conecte-se conosco


Política

General Carneiro pode ter mutirão oftalmológico e entrega de óculos em escolas estaduais

Publicado

Em 2016 o deputado Max Russi apresentou o Projeto de lei nº 303/2016, que propôs a instituição da realização de exame oftalmológico periódico para todos os alunos matriculados nas escolas públicas do Estado de Mato Grosso

Foto: JLSIQUEIRA / ALMT

Uma das proposições apresentadas pelo primeiro secretário da Assembleia Legislativa, o deputado Max Russi (PSB), durante a última semana, pede a realização de um mutirão oftalmológico e de entrega de óculos em escolas estaduais de General Carneiro. A Indicação nº 1541/2019 está sendo feita ao governo do estado.

Conforme a justificativa, professores e gestores das escolas necessitam de ajuda para realizar esse tipo de encaminhamento em alguns alunos, após detectarem baixa produtividade no ensino aplicado.

“O problema de visão é uma das principais causas na alteração de rendimentos na escola e muitas vezes os pais não sabem ou não tem condições de levarem seus filhos ao oftalmologista. Lembrando também que essa ação também prevê a entrega dos óculos, justamente por se tratarem de crianças pertencentes a famílias de baixa renda”, complementou o parlamentar.

Leia mais:   Projeto de Thiago Silva proíbe nomeação de condenados por racismo no serviço público estadual

Em 2016, o deputado Max Russi apresentou o Projeto de lei nº 303/2016, que propôs a instituição da realização de exame oftalmológico periódico para todos os alunos matriculados nas escolas públicas do Estado de Mato Grosso. Tal proposta se tornou a Lei Estadual nº 10.739, de 10 de agosto de 2018.

“Especialistas afirmam que a saúde visual dita 80% do comportamento infantil dentro da sala de aula. Um problema não identificado e não adequadamente corrigido pode comprometer diretamente o rendimento escolar. Essa dificuldade tem sido recorrente em  escolas de General Carneiro. Recebi essa demanda e fiz essa solicitação”, justificou Russi.

Comentários Facebook

Política

Parlamentares lamentam a morte de ex-deputado Adriano Silva

Publicado

Foto: Marcos Lopes / Secretaria de Comunicação Social

A Mesa Diretora da Assembleia Legislativa comunica, com profundo pesar, o falecimento na noite desta quarta-feira (3.6) do ex-deputado estadual Adriano Silva. Desde o último domingo, Silva apresentava sintomas de coronavírus, motivo pelo qual chegou a ser internado ainda na cidade de Cáceres, onde residia com a família. O resultado do teste para Covid-19 não ficou pronto até o momento para confirmar a causa do óbito.

Nesta quarta-feira, já em um hospital da capital, Silva não resistiu a duas paradas cardíacas durante uma manobra no momento de sua transferência hospitalar. O falecimento foi confirmado no início da noite.

Atualmente, Adriano Silva ocupava o cargo de presidente da Fundação de Apoio à Pesquisa de Mato Grosso (Fapemat). Fez sua carreira no mundo acadêmico, como professor do curso de Direito e reitor da Universidade do Estado de Mato Grosso.

Em 2014, disputou uma cadeira na Assembleia Legislativa pelo PP e ficou como primeiro suplente, assumindo no ano de 2016, por duas vezes, uma vaga no Parlamento estadual como suplente dos deputados Eduardo Botelho e Oscar Bezerra- respectivamente. Direcionou sua atuação política para a educação, área que atuou por mais de 20 anos. 

Leia mais:   Lei cria política de apoio ao cooperativismo na agricultura familiar

Adriano Silva tinha 50 anos de idade e deixou esposa e filhos. O velório e sepultamento aguardam confirmação de horário e local.

Comentários Facebook
Continue lendo

Política

Por empregos, projeto propõe favorecer micro-empreendedores

Publicado

Foto: ANGELO VARELA / ALMT

O deputado estadual Wilson Santos (PSDB) é o autor do projeto de lei (PL 502/2020) que desburocratiza a retomada da atividade econômica no período posterior aos efeitos do coronavírus (Covid-19), favorecendo com dispensa de regras tradicionais aplicadas pelo poder público os microempreendedores que se dispõem a gerar emprego e distribuição de renda.

Pela proposta, ficam dispensadas de quaisquer atos públicos, licenças e alvarás todas as atividades econômicas de baixo ou médio risco desenvolvidas em Mato Grosso em edificações que contenham até 200 metros quadrados, edificações com até três pavimentos e que sejam desempenhadas em local sem subsolo com o uso distinto de estacionamento.

Também serão favorecidos estabelecimentos que desenvolvam atividades econômicas com edificações de até três pavimentos e em locais sem subsolo com uso distinto de estacionamento.

O projeto ainda contempla atividades econômicas em estabelecimentos que não possuam gás GLP em quantidade superior a 190 kg (cento e noventa quilos) e que não possuam líquido inflamável ou combustível de 1000 (mil) litros.

Leia mais:   Delegado Claudinei confirma emenda de R$ 90 mil para a educação em Jaciara

Em sua justificativa, o deputado Wilson Santos cita que o excesso de exigências pelo poder público inviabiliza a retomada de atividades econômicas, ainda mais em um momento em que o desemprego registra alta por conta da política de isolamento social necessária para disseminação do coronavírus.

“É enorme o número de novos desempregados e de empresas que fecharam as portas em consequência da pandemia. E, se já era necessário anteriormente, torna-se imprescindível, neste momento, que o poder público promova ações que viabilizem a retomada econômica e facilite a vida daqueles que tenham coragem de investir e gerar empregos em meio a um cenário com tamanha imprevisibilidade”, diz um dos trechos.  

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana