conecte-se conosco


Brasileirão Série A

Flu na Eslováquia: conheça primeiros convocados e mais detalhes do projeto

Publicado

O Fluminense caminha a passos largos para a ter a sua filial na Europa. A terceira fase do projeto, iniciado no meio de 2015, começa nos primeiros dias de julho. Já há uma opção de compra firmada pela diretoria tricolor para a aquisição de 77% das ações do clube eslovaco STK Samorin, atual campeão da Terceira Divisão nacional. A iniciativa, aprovada pelo Conselho Diretor e que será colocada em votação em breve no Conselho Deliberativo, foi noticiada pelo jornal ”O Globo” no último dia 18. E o GloboEsporte.com entrevistou o coordenador das categorias de base do Flu e idealizador do projeto, Marcelo Teixeira, para apresentar à torcida mais detalhes da ousada entrada do clube das Laranjeiras no mercado internacional.

flu samorin campeão 2015/2016 (Foto: Divulgação)Já com a participação de atletas do Flu, Samorin ganhou a Série C e garantiu acesso para a Segunda Divisão do futebol eslovaco. Objetivo é lutar por uma vaga na Liga Europa dentro de cinco anos (Foto: Divulgação)

No próximo dia 2, quatro jogadores com passagem por Xerém embarcarão para a nova fase do projeto: Peu, Matheus Pato, Luiz Fernando e Luquinha. A partir de agora, com a disputa da Segunda Divisão e o início da luta por uma vaga na elite eslovaca, o clube vai jogar 50% de suas partidas com a camisa do Fluminense e as outras 50% com o uniforme do Samorin. Ambas as camisas terão os dois escudos, um em cada lado do peito. O CEO do clube será o brasileiro Marco Manso, que participa do projeto
desde o início. Ex-jogador, ele tem experiência em gestão de futebol na
Finlândia, onde fixou moradia após a aposentadoria. Nasce assim o Flu Samorin.

– Do time que luta pelo bicampeonato brasileiro sub-20, acho que sete
estouram a idade no fim do ano. Qual a chance de ter sete vagas nos
profissionais em 2017? Nenhuma. Eu estava investindo R$ 15 milhões por
temporada em Xerém para chegar no fim do ano e não utilizar?
Investe e joga fora. Ou empresta sem controle nenhum. Ai o clube troca
de técnico três vezes, contrata 40 jogadores e seu jogador fica naquele
ambiente…. vai se perder. Agora temos o projeto certo para desenvolver
os atletas. O Flu Samorin vai ajudar na atração, na retenção, no desenvolvimento e na exposição dos talentos – resumiu Teixeira.

01

Convocados

Matheus Pato atacante Fluminense sub-20 (Foto: Danilo Sardinha/GloboEsporte.com)Matheus Pato, artilheiro do último Campeonato Brasileiro Sub-20, vai para a Eslováquia (Foto: Danilo Sardinha/GloboEsporte.com)

O projeto entra na sua terceira fase no início de julho. No próximo dia 2, quatro jogadores revelados em Xerém vão embarcar para a Eslováquia para iniciar a pré-temporada de olho no campeonato nacional – a estreia está prevista para o fim do mês. Ao todo, o Fluminense vai ter seis jogadores no elenco profissional. Dois que já estavam defendendo o Samorin vão permanecer: o meia Levir e o atacante argentino Leonel. Conheça os outros quatro convocados:

Luiz Fernando (volante, 22 anos) – capitão do time campeão brasileiro sub-20 em 2015. Estava emprestado ao Vila Nova (GO) e disputou 15 partidas no primeiro semestre, entre Campeonato Goiano, Copa Verde e Série B.

Peterson (atacante, 23 anos) – também participou da campanha do título sub-20. No primeiro semestre de 2016, disputou o Campeonato Catarinense pelo Metropolitano e marcou cinco gols. Foi o artilheiro de sua equipe no estadual – empatado com Thiaguinho. É conhecido como Peu.

Luquinha (apoiador, 22 anos) – passou pelo Fluminense há cerca de dois anos, vindo do Porto (PE). Não houve acordo para a permanência na época. Acabou de voltar ao Tricolor. Foi um dos destaques do título do Torneio de Obendorf, na Alemanha, em 2013.

Matheus Pato (atacante, 21 anos) – artilheiro do Brasileirão Sub-20 do ano passado com seis gols. Se recupera de uma grave lesão no joelho e deve ter condições de jogo no fim de agosto. Por isso, viajará um pouco depois dos outros companheiros, por volta do dia 10 de agosto.

No total, o elenco do Flu Samorin será composto por 24 jogadores. Além dos seis tricolores, o time terá 18 eslovacos: cinco remanescentes da temporada 2015-2016 e mais 13 contratados. Outros dois jovens de Xerém vão viajar para treinar com os profissionais e reforçar o sub-19 do clube: Hernandes e Rômulo, ambos nascidos em 1998. Segundo Marcelo Teixeira, a ideia é começar a levar os principais jogadores da base a partir do próximo mês de janeiro.

– Quando sobem do juvenil para os juniores, por exemplo, os atletas estão
no primeiro ano da nova categoria e dificilmente jogam. Ao invés de
ficarem seis meses parados, eles vão para a Eslováquia. A partir de janeiro, vamos
começar a levar os tops, pelo menos dois. É fundamental que o craque vá. Acreditamos demais na ideia ”fazendo uma melhor pessoa, teremos um melhor jogador”. Como? Tirando ele do ambiente que ele vive no Brasil, levando para a Europa onde todos terão aula de inglês, jogando no futebol europeu, conhecendo uma nova cultura, uma nova comida. Quando ele voltar e um dia receber uma proposta de um clube europeu, já vai ter uma experiência no continente. Vai saber que é frio, que tem outra língua, como mora sozinho, como é o treinamento europeu… Nosso time campeão brasileiro sub-20 em 2015 tinha cinco jogadores que jogaram na Europa e voltaram transformados.

01

detalhes do projeto

A ideia surgiu por volta de 2012: tentar ter uma filial fora do Brasil. O presidente Peter Siemsen ouviu o plano de Teixeira e aprovou o projeto. O primeiro tentativa foi nos Estados Unidos. Mas o Tricolor acabou perdendo a cidade que sediaria o projeto. Sem a franquia desejada, o clube até arrumou outra cidade. Mas o investidor que ajudaria no negócio desistiu. No meio de 2015, surgiu a possibilidade do Samorin, da Eslováquia. O projeto atual é dividido em três fases.

Primeira fase: projeto piloto de seis meses (junho a dezembro de 2015), nada mais do que uma parceria normal que o clube já vinha fazendo para a colocação de atletas na Europa. Com uma pequena diferença: levando um profissional do Fluminense para acompanhar tudo de perto. O escolhido foi Bruno Caetano, técnico do sub-15, que assumiu como auxiliar técnico do Samorin. Com cinco atletas de Xerém no elenco, a equipe terminou 2015 na vice-liderança da Série C da Eslováquia. Só o campeão conseguiria o acesso.

Segunda fase: nos seis meses seguintes (janeiro a junho de 2016), o Fluminense começou a formatar a possível compra e assumiu o comando técnico da equipe. Em um primeiro momento o Samorin exigiu dinheiro para aceitar o novo técnico. Após uma intensa negociação, a diretoria tricolor conseguiu o que queria sem precisar investir. Seguiu pagando apenas os salários de seus jogadores, do auxiliar e do agora novo treinador, o americano Mike Keeney. Ao final do primeiro ano, o Samorin garantiu o acesso para a Série B com três rodadas de antecedência. 

– Queríamos um treinador com conceitos europeus, pois um dos objetivos é o desenvolvimento do atleta do Fluminense em um contexto europeu técnico, tático, físico e mental. Mike é americano, mas vive há muito tempo na Europa. É um instrutor de cursos da UEFA na Alemanha e já tinha vindo em Xerém para dar treinamentos – resumiu Teixeira.

fluminense samorin eslovaquia jogadores xerém (Foto: Divulgação)Jovens de Xerém que participaram das duas primeiras fases: Leonel, à direita, vai seguir na Eslováquia (Foto: Divulgação)

Terceira fase: com as duas fases iniciais terminadas, o Tricolor deu outro passo para se tornar sócio majoritário. Foi quando Peter viajou para a Eslováquia, conheceu toda a estrutura e a opção de compra de 77% das ações foi assinada. Nascia ali o STK Fluminense Samorin. A partir de agora, o Flu precisa investir 250 mil euros (R$ 915 mil) no custo de operação do clube para se tornar dono das ações. Quatro novos jogadores vão viajar em breve, outros dois permanecem. Bruno Caetano retorna a Xerém e Celso Martins, técnico do sub-17, assume a vaga de auxiliar. O restante da comissão será eslovaca. Marco Manso vai ocupar o cargo de diretor esportivo.

– Já temos todo o modelo de compra no papel firmado, basta exercer no fim do ano. Agora o Marco está agora recrutando os profissionais. Da equipe do
ano passado, vão ficar cinco eslovacos e dois brasileiros. O elenco deve ter por volta de 
24 jogadores. Monitoramos ao longo do ano toda a segunda e terceira
divisão da Eslováquia. Mapeamos 22 jogadores que nos interessavam. O custo
é zero, não paga nada, são jogadores sem contrato e que querem se juntar ao
projeto. Salários que variam de 500 a 1000 euros – explicou.

01

valores

Pela opção de compra firmada, o Fluminense se comprometeu a investir 250 mil euros (R$ 915 mil) no custo de operação do clube nos próximos seis meses para se tornar dono de 77% das ações. O valor vai sair do dinheiro investido em Xerém para o desenvolvimento de jogadores. Segundo Marcelo Teixeira, o Tricolor gasta R$ 15 milhões com suas categorias de base por ano, números que tornam o investimento irrelevante diante da grandeza do projeto.

– O dinheiro que será investido para a aquisição das ações não vai para o bolso de ninguém. Ele será investido na equipe ao longo da temporada. Em um primeiro momento, 250 mil euros em seis meses. Gastamos R$ 15 milhões por ano com Xerém e no final da temporada não temos espaço no profissional para todos os jogadores formados. A partir de agora temos mais espaço. No último jogo, tivemos três jogadores da base em campo.
Agora vamos ter três mais cinco lá. Se você vendia um, na teoria vai
vender dois ou três. A receita aumenta – frisa.

fluminense samorin bruno caetano mike keeney (Foto: Divulgação)Bruno Caetano, auxiliar técnico formado em Xerém, segura a taça ao lado do técnico Mike Keeney. Bruno era do sub-15 e volta para trabalhar no sub-20 em Xerém. Celso Martins, do sub-17, assume seu lugar (Foto: Divulgação)

Se o Conselho Deliberativo aprovar o projeto, o Flu vai se tornar sócio majoritário e continuará bancado a operação. Será responsável por todo o custo anual (folha salarial,
contratações, viagens, etc) e ainda terá de investir mais 100 mil euros
(R$ 370 mil) por ano, durante cinco anos, em infraestrutura. Valores que podem chegar a zero dependendo da receita do clube.

– Em dois ou três anos prevemos que esteja zerado, que o clube seja superavitário.
Se chegar na primeira divisão, por exemplo, tem cota de televisão. Existem outros fatores como escola de futebol, que é muito forte por lá, ingressos, vendas, patrocínios… Qualquer receita faz diferença pelos baixos custos do futebol na Eslováquia. A receita do Samorin no último ano foi de 300 mil euros. Já temos 150 mil euros garantidos para a próxima temporada e esperamos chegar aos 400 mil euros – explicou Teixeira.

01

eslováquia?

Conhecido o projeto e os valores envolvidos, o torcedor se pergunta: mas por que a Eslováquia? O país caiu como uma luva para os planos do Flu e vários fatores levaram à essa decisão:

Localização geográfica: fica bem no centro da Europa. A cidade de Samorin tem 15 mil habitantes e é
colada à capital Bratislava. É possível chegar até lá de trem ou de
carro de vários outros país importantes do continente com República
Tcheca, Hungria, Ucrânia, Áustria, Itália, Alemanha… Ou de avião em poucas horas de voo de qualquer ponto da Europa.

samorin fluminense eslovaquia (Foto: Reprodução / Google Maps)A cidade de Samorin tem 15 mil habitantes e fica localizada no sul da Eslováquia, colada à capital Bratislava: bem no centro da Europa (Foto: Reprodução / Google Maps)

Limite de estrangeiros: ao contrário de vários países da Europa, na Eslováquia são permitidos cinco em campo e um número ilimitado no
elenco. E ainda mais cinco no elenco sub-19. Permite o Fluminense, por exemplo, ter
dez jogadores em campo em uma só rodada. Somente
Portugal permitiria o mesmo.

Idade: É uma liga de jovens. A Eslováquia tem uma das médias de idade mais
baixas entre todos os torneios da Europa. O Trencin, atual bicampeão nacional,
tem uma média de 23 a 24 anos. Um dado importante já que a intenção é levar
sempre atletas jovens para lá.

Valores: O custo do país é considerado baixo. A economia da Eslováquia é tímida, o que reflete em um futebol barato. O valor dos salários nos clubes de primeira divisão fica entre 1.500 e 3 mil euros (R$ 5.500 a R$ 11mil). Um preparador físico, por exemplo, ganha cerca de 600 euros (R$ 2.200). Isso permite um projeto de desenvolvimento a valores baixos, o que decidiu o jogo a favor da ideia. O Fluminense não queria fazer investimentos relevantes.

X-bionic Sphere: Um dos homens mais ricos da Eslováquia é de Samorin e construiu um enorme complexo esportivo na cidade. Se chama X-bionic Sphere e abriga 23 modalidades esportivas. A ideia do Fluminense e fazer do local a casa do Flu Samorin no futuro, seja para treinos ou jogos oficiais. Já existem conversas nesse sentido. O estádio do complexo tem capacidade para cinco mil pessoas, mas ainda precisa de ajustes. Um acordo será desenhado nos próximos seis meses. A estrutura atual do Samorin tem um estádio para 1800 pessoas e dois campos anexos de treinamento.

01

objetivos

No total, são oito objetivos – sendo três deles ligados ao desenvolvimento de profissionais. Com uma futura filiação à UEFA (é preciso chegar na Série A para isso), o Fluminense visa a tecnologia do futebol que é compartilhada entre os clubes europeus. Há ainda o maior número de vagas para jogadores formados em Xerém, a natural exposição da marca e a aproximação dos clubes europeus. O foco é alcançar a classificação para a Liga Europa em até cinco anos. Uma participação na Liga dos Campeões ainda entra como sonho e não objetivo.

– Desenvolvimento da pessoa, do jogador e dos profissionais da base.

– Plano de carreira (mais cinco vagas garantidas) .

– Filiação à UEFA  e à ECA (European Club Association).

– Exposição da marca.

– Classificação para a Liga Europa em cinco anos.

– Aproximação dos clubes europeus (B2B – Bussines to Bussines).

Segundo Teixeira, um investimento baixo que vai fazer do Fluminense o clube com o melhor projeto de desenvolvimento de atletas no mundo.

– Na hora que fizermos esse projeto rodar, eu te asseguro que vamos ter o
melhor projeto de desenvolvimentos de atletas do mundo.
Ninguém vai ter parecido: futsal, escola de futebol, academia de Xerém,
projeto profissional e projeto Europa. Queremos ter a melhor base do mundo no médio prazo. Com a aproximação dos clubes europeus, queremos relações diretas sem precisar de empresários no meio. Nossa intenção é em cinco anos estar brigando pela vaga na Liga Europa. A Liga dos Campeões não está na meta, mas é um sonho. Quem sabe um dia ter a camisa do Fluminense na principal competições de clubes do mundo?
Mas isso vem em médio prazo com um investimento baixíssimo.

Comentários Facebook

Entretenimento

Eclipse lunar traz ‘Lua de sangue’ no domingo (15); saiba mais

Publicado

No próximo domingo (15), acontecerá o primeiro eclipse lunar de 2022. Será um eclipse do tipo total, que ocorre quando a Lua cheia se move para a chamada sombra umbral profunda da Terra (parte mais interna e escura). Isso ocorre porque nosso planeta passa em frente à luz solar enviada para o nosso satélite natural.

De acordo com o astrofísico americano Fred Espenak, conhecido por prever eclipses, como a Lua cheia do dia 15 de maio é a chamada superlua, por estar no perigeu, o ponto mais próximo da Terra, esse eclipse será considerado uma superlua de sangue. O fenômeno, que poderá ser visto em todo o Brasil, ocorre quando a luz do sol passa pela atmosfera terrestre, mas desvia pelos comprimentos de onda para refletir de forma avermelhada na Lua.

Diagrama da sombra do eclipse lunar do dia 15 de maio. (Fonte: NASA/Divulgação.)Fonte:  NASA 

Quando acontecerá o eclipse total da Lua no domingo?

Conforme o perfil Astronomiaum no Twitter, nas cidades com fuso horário de Brasília, o eclipse lunar de domingo terá início às 22h32, e terá o seu ápice na madrugada de segunda-feira (16) à 1h11, com o término ocorrendo às 3h51. Além do Brasil, a Lua de sangue poderá ser vista também nos EUA e Canadá, além de partes da África e Europa.

Diferentemente do eclipse solar, que só é observável em uma área relativamente pequena do mundo, os eclipses lunares podem ser vistos em qualquer lugar no lado noturno da Terra. A sua visualização também é mais segura, pois esses fenômenos não necessitam de nenhum tipo de proteção para os olhos, pois são mais escuros do que a própria lua cheia em si.

Para quem mora em grandes cidades, e não pretende viajar para locais com baixa poluição visual para assistir ao eclipse total da Lua no domingo, será possível visualizá-lo através do canal oficial da NASA do YouTube. O telescópio da agência aeroespacial norte-americana irá iniciar a transmissão das imagens do fenômeno a partir da zero hora do dia 16 de maio, no horário de Brasília.

Para assistir, basta clicar no link acima para definir o lembrete e, na hora marcada, acompanhar os detalhes em alta resolução.

Fonte: https://www.tecmundo.com.br/ciencia/238420-eclipse-lunar-traz-lua-sangue-domingo-15-saiba.htm

Comentários Facebook
Continue lendo

Brasileirão Série A

Em Minas, Cuiabá perde para o líder Atlético-MG e cai invencibilidade

Publicado

A Gazeta

Após 12 jogos sem derrotas fora de casa pelo Campeonato Brasileiro, o Cuiabá perdeu a longa invencibilidade que acumulava na série A para o líder Atlético-MG neste domingo (24), em Belo Horizonte, pela 28ª rodada do Brasileirão. O galo venceu por 2 a 1 e pôs fim a longa série do auriverde sem derrotas longe de casa.

O Dourado continua com 35 pontos, em décimo lugar na tabela de classificação. O Galo, por sua vez, chegou aos 59 tentos e é mais líder do que nunca.

A mil por hora, assim começou o início do jogo entre Cuiabá e Atlético-MG no Mineirão. Logo aos 2 minutos, Nathan Silva, contra, inaugurou o marcador em recuo infeliz para Everton, que viu a bola entrar lentamente no gol. Aos 4, Hulk, dentro da pequena área, deixou tudo igual após jogada ensaiada de escanteio.

O time mineiro conseguiu a virada com Jair, que completou de cabeça para as redes após assistência de Guilherme Arana.

No início da etapa final, Hulk marcou o terceiro para o Atlético, mas o gol foi anulado após a arbitragem pegar um toque de mão do atacante. Daí em diante o Atlético continuou pressionando, mas sempre parando nas defesas seguras do goleiro Walter.

À medida que o relógio foi passando, o Atlético deixou o Cuiabá mais a vontade para trabalhar com a bola e passou a contar com os contra-ataques. O Dourado martelou, porém não conseguiu criar chances claras de gol.

O próximo compromisso do Cuiabá no campeonato brasileiro é contra o Red Bull Bragantino no dia 1º de novembro, na Arena Pantanal, às 19h30 (de MT.

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana