conecte-se conosco


Brasileirão Série A

Flu avaliará renda contra o Vitória para optar entre Maracanã e Edson Passos

Publicado

Fluminense Edson Passos (Foto: MAILSON SANTANA/FLUMINENSE FC)A torcida abraçou o Fluminense no Giulite Coutinho (Foto: Mailson Santana / FluminenseFC)

A partida contra o Vitória, dia 28, não será apenas o
retorno do Fluminense ao Maracanã. Válido pela 33ª rodada do Brasileirão, o
duelo servirá de avaliação ao Tricolor para determinar o palco de outros dois
confrontos como mandante na competição. Caso a renda seja alta, suficiente para
evitar prejuízo com os custos de operação do estádio, há chance de encarar
Atlético-PR e Internacional no Rio. Caso contrário, o Estádio Giulite Coutinho, em
Edson Passos, na cidade de Mesquita, tem tudo para continuar sendo utilizado.

 

O Flu fez um acordo com a concessionária do Maracanã e com o
governo do estado do Rio para utilizar o estádio na reta final de 2016 – ficou sem
casa na temporada devido a Rio 2016. Sem atuar no Rio desde 28 de novembro de
2015, estima que a torcida irá em bom número ao confronto diante do time
baiano.

 

Resultado operacional do Flu em Edson Passos

Brasileiro
Flu 1×2 São Paulo – não divulgado
Flu 3×1 Sport – R$ 77.308.25
Flu 1×2 Chapecoense – R$ 2.559.85
Flu 4×2 Atlético-MG – R$ 32.968.67
Flu 3×2 Figueirense – R$ 1.148.34
Flu 3×0 Ponte Preta – R$ 85.193.51
Flu 2×0 Cruzeiro – R$ 111.405.86

Copa do BrasilFlu 1×1 Corinthians – R$ 41.776,52

Será necessário. Com o acordo, o Flu assumirá todo o custo
de operação do Maracanã. O valor é estimado em R$ 200 mil, o que gera uma
necessidade de público de 25 mil pessoas para evitar prejuízo – haverá custo
com segurança, bilheteria, bares e orientadores além das taxas fixas. O
ingresso mais barato deve ser R$ 40. Todo o serviço da partida será divulgado
nos próximos dias, e existe a possibilidade de os bilhetes começarem a ser
vendidos na segunda-feira.

 

Em Edson Passos, um estádio menor, com capacidade para 13
mil pessoas, o custo de operação é menor. Cerca de R$ 100 mil. Em sete jogos (o
resultado financeiro contra o São Paulo ainda não foi divulgado), não teve
prejuízo. O ingresso mais barato cobrado foi de R$ 20, diante da Chapecoense.

 

Em nono lugar, com 46 pontos, o Flu tem dois a menos do que
o último colocado do G-6. Soma três derrotas consecutivas e enfrenta o Coritiba
no domingo. O time provável: Júlio César; Wellington Silva, Gum, Henrique e
Giovanni; Pierre (Douglas ou Edson), Cícero, Scarpa e Marcos Junior; Wellington
e Richarlison.


Comentários Facebook

Esportes

Palmeiras volta a ter time feminino depois de 9 anos

Publicado

Repórter Lincoln Chaves trouxe todas as informações da preparação do Verdão para o Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino dentro do programa No Mundo da Bola desta quinta-feira (14); ouça na íntegra
Começa neste sábado (16) a sétima edição do Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino. E a Rádio Nacional traz uma série de matérias sobre a principal competição do futebol feminino no país. A terceira reportagem fala do Palmeiras e dos seus reforços para disputar a competição além do projeto da diretoria para a modalidade. O repórter Lincoln Chaves trouxe todas as informações do Verdão dentro do programa No Mundo da Bola desta quinta-feira (14).

Ouça no player abaixo:

O Palmeiras retorna ao feminino após nove anos. O time vai jogar em Vinhedo, cidade parceira do versão nesta edição.

A equipe foi apresentada em meados de fevereiro e é comandada pela treinadora Ana Lúcia Gonçalves.

O No Mundo da Bola é transmitido pela Rádio Nacional do Rio de Janeiro, de segunda a sexta-feira, a partir das 17h. Para participar das transmissões, o internauta deve ligar para (21) 2117-6918 ou (21) 2117-6919. Fale com a equipe de esportes das Rádios EBC pelo e-mail: esporte.radios@ebc.com.br.
Tags: Palmeiras Futebol Feminino Brasileirão Feminino

Agência Brasil

Comentários Facebook
Continue lendo

Sport

Manga destaca participação do CTN/Cacerense na Copa Joia Ribeirinha e agradece apoios

Publicado

Francisco Welson Amarante, o Manga Rosa, Diretor e Técnico das equipes do CTN/Cacerense que representaram  o município de Cáceres na 1ª Copa Internacional de Futebol “Joia Ribeirinha” em Presidente Epitácio, estado de São Paulo, comemorou os resultados obtidos na competição.

Das três equipes que disputaram o difícil torneio, duas foram vice-campeãs, a equipe sub 13 para atletas nascidos a partir do ano de 2005 e o sub 17 para atletas nascidos em 2001.  Os meninos do sub 13 venceram na semifinal a tradicional equipe do Mac de Marília (SP) e perderam a final por um a zero para a Associação Atlética de Osvaldo Cruz, cidade paulista que foi uma das sedes da Copa São Paulo e que investe em equipes de categorias de base. Já a equipe  sub 17, foi uma das que se destacaram na competição e se não fosse uma confusão generalizada contra a equipe do Gama de Brasília (DF), na semifinal, que culminou com a expulsão de dois atletas cacerenses, que não puderam disputar a final contra a equipe da cidade sede, Presidente Epitácio. Para Manga Rosa isto desestruturou a equipe. Mais, para piorar, na grande final, a equipe do CTN jogando contra a grande e animada torcida do time da casa, abriu o placar e jogava com muito equilíbrio ao ter um jogador expulso, ficando com um a menos, o que foi fator determinante para Presidente Epitácio vencer a final pelo elástico placar de cinco a um. Segundo Manga Rosa, os números não representam o futebol jogado pelos cacerenses. “As expulsões acabaram nos prejudicando, porém apresentamos um futebol digno de elogios e fomos vice-campeões com méritos”, destacou Manga.

A equipe sub 16 foi uma grata revelação e fez uma semifinal emocionante contra a fortíssima Chapecoense. A equipe de Santa Catarina havia imposto  três grandes goleadas antes de enfrentar os cacerenses.  8 a 1, 5 a 0 e 6 a 1, mas achou pela frente na semifinal a equipe de Cáceres, bem armada e jogando um futebol envolvente, que surpreendeu a equipe de Chapecó. Os cacerenses abriram o placar, deixando o jogo emocionante e sem favoritos. Porém, os catarinenses empataram e  depois marcaram o gol da vitória, tirando o CTN da grande final. “Os meninos foram valentes, venderam caro a derrota para uma equipe de muita tradição no Brasil, a Chapecoense, um time forte e muito alto. Fizemos o melhor jogo da competição e perdemos nos detalhes. Todos estão de parabéns, infelizmente foi uma final antecipada, deu brilho a competição”, analisou Manga Rosa.
Para Manga Rosa, chegar tão longe em uma competição tão importante, coroa de êxito todo trabalho da comissão técnica, jogadores e apoiadores das equipes. Sem a colaboração dos pais e parceiros não teríamos conseguido viajar para São Paulo.

“Agradeço a minha comissão técnica, aos pais e responsáveis pelos atletas, aos jogadores em especial e aos professores Miqueias, Martins, Julhian  e Ricardo pela dedicação e competência. Aos professores parceiros Mardone de Cáceres, Agnaldo Borgati de 4 Marcos, Bruno de Pontes e Lacerda , Gerson e  Nei de Mirassol D’Oeste e Professor Marcelo de Presidente Prudente.  Aos apoiadores Marcão secretário de Esportes, Grupo Cometa, Professor Adriano Silva, os vereadores Claudio Henrique  e Rosinei, ao ex-jogador Matheus, Lima Acessórios, Creidson Oliveira , Soft Art, Roger Alessandro Secretário de Saúde e a Prefeitura de Cáceres por ceder o Geraldão para treinamentos,”  finalizou.

CTN/Cacerense

Manga Rosa, fala com orgulho que  milita no futebol desde 1996  e  que em 2001 criou a escolinha de futebol CTN. Em 2008, firmou uma parceira com o Cacerense Esporte Clube, passando o Projeto a se chamar CTN/Cacerense. A partir daí as equipes de todas as categorias, de 07 a 19 anos de idade, tem participado de inúmeras competições em Mato grosso e diversos estados do Brasil, como Mato Grosso do Sul, Rondônia, São Paulo, Paraná, Santa Catarina entre outros estados.

Manga Rosa comenta  que  nestes 22 anos de dedicação e luta em prol do esporte, pelo CTN já passaram  muitos atletas importantes, como o craque Gustavo Scarpa, recentemente contratado pelo Palmeiras, que defendeu o CTN em um torneio realizado na cidade de Colorado, no Paraná.  Outro atleta citado por ele, foi o Aguilar, que começou aos 08 anos na escolinha CTN e aos 13 foi para o Cruzeiro e posteriormente no  Desportivo Brasil fazendo parte do badalado projeto do Manchester United.  Wesley que começou em Cáceres, foi outro destaque que  passou pelo Brasil Central, Novo Hamburgo e chegou a ser titular da lateral do Grêmio de Porto Alegre. Segundo Manga, são estas conquistas que fazem  com que ele e sua comissão técnica sigam firmes. “Formamos e revelamos muitos jogadores, mas nosso maior propósito é acima de tudo, formar cidadãos de bem, homens completos para a vida”, destacou.

Por Esdras Crepaldi

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Entretenimento

Mais Lidas da Semana