FIPe aquece comércio e turismo em Cáceres

183

A 37ª edição do Festival Internacional de Pesca Esportiva, em Cáceres, aqueceu o mercado local e estimulou o turismo na região oeste de Mato Grosso. Turistas do mundo inteiro acompanharam o maior evento de pesca esportiva em água doce do mundo. Os hotéis da cidade ficaram com lotação máxima nos dias do evento e os pontos turístico estavam pronto para recepcionar os turistas.

Segundo o presidente da Associação Comercial de Cáceres, Valdinei Félix de Macedo, os hotéis e restaurantes foram os mais beneficiados com o festival. O aumento registrado no comércio como um todo foi de 20% com relação a 2017. No entanto, segundo ele, o aumento poderia ser maior ainda se o festival fosse realizado no mês de setembro, quando o clima quente contribui.

Destaca que a rede hoteleira da cidade e também o setor de vestuário ganharam muito com o festival. Além é claro dos restaurantes da cidade. Para ele, é necessário ampliar ainda mais o evento.

Mais de 150 mil pessoas acompanharam o festival. O governador Pedro Taques participou do festival na sexta-feira (08.06) e no sábado (09). Destacou que ano a ano o Governo de Mato Grosso vem ajudando na realização do festival que além de fomentar o turismo, também coloca o meio ambiente e a preservação do Pantanal em debate.

“O festival tem a sua importância internacional, está nos Livros dos Recordes, só de crianças inscritas para participar da prática do pesque e solte são 4 mil, o que mostra a importância da consciência ambiental”, disse o governador Pedro Taques.

Dolina – Águas Milagrosas

Os turistas que foram a Cáceres, puderam conhecer a dolina, Águas Milagrosas, que fica a 20 quilômetros da cidade. Lugar com beleza de encher os olhos, tem entrada controlada com preço de R$ 15. Responsável pelo local, Carlos Alberto Quintana, disse que o local, em formação de dolina são uma das únicas do país.

As águas cristalinas do local encantam os turistas, segundo Carlos, mergulhadores já chegaram a 183 metros de profundidade e ainda não acharam o fundo. A formação do local ainda é um mistério, e por falar em mistério, os antigos moradores do local tomavam banho na dolina para curar de doenças, e assimilaram a cura a da doença ao banho na água.

Segundo ele, o FIPe e outros eventos que acontecem em Cáceres ajuda a fomentar o local, porque os turistas aproveitam para conhecer o Pantanal e os outros pontos turísticos da cidade.

Thiago Andrade | Gcom-MT

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here