conecte-se conosco


Mato Grosso

Estado cumpre meta e economiza R$ 9,6 milhões com combustível em 2019

Publicado

O Governo do Estado alcançou uma economia de R$ 9,6 milhões com gastos em combustíveis entre os meses de janeiro e novembro de 2019, em comparação ao mesmo período de 2018. No ano passado, o Estado gastou R$ 48,2 milhões, já este ano o montante ficou em R$ 38,6 mi, uma redução de 20%.

Os dados são da Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag), que detém o Sistema de Gestão de Abastecimento de Combustíveis.

A economia só foi possível devido às várias medidas administrativas de contenção de gastos adotadas pela secretaria, com o intuito de atingir a meta de 20% de redução de consumo. As medidas foram estabelecidas pelo Decreto nº 8/2019, que propôs diretrizes para controle, reavaliação e contenção das despesas em toda a administração direta e indireta.

Bloqueio de abastecimento

A principal medida de contenção foi o bloqueio no sistema para o abastecimento da frota de veículos flex com gasolina, a partir de maio. Um levantamento da Secretaria constatou a vantajosidade no abastecimento com álcool. O consumo de gasolina em litros reduziu 62% desde que a suspensão foi implementada.

O cálculo básico para se descobrir se o álcool é vantajoso ou não em relação a gasolina é simples. Basta dividir o preço do litro do etanol pelo da gasolina. Se o valor do derivado da cana de açúcar estiver custando menos de 70% do valor da gasolina, então compensa.

Leia mais:   Polícia Militar flagra suspeitos com 29 exemplares de pescado irregular

A Seplag, órgão central de compras públicas e que detém a gestão do sistema de abastecimento, irá inserir na próxima Ata de Registro de Preço de combustíveis uma cláusula que permita o remanejamento do quantitativo de gasolina e álcool para que o órgão abasteça com o que for mais vantajoso, ao invés de ter que realizar o bloqueio no sistema como foi feito.

Para que a cláusula seja implementada com sucesso, a Secretaria Adjunta de Patrimônio e Serviços da Seplag irá monitorar e orientar os órgãos e entidades para que seja utilizado o combustível que oferecer maior economicidade aos cofres públicos.

Recadastramento de veículos

Além do bloqueio, a Seplag adotou várias outras medidas administrativas que possibilitaram essa economia. Entre elas estão o recadastramento de veículos, máquinas, motores, condutores e operadores de máquinas no Sistema de Gestão de Abastecimento de Combustíveis, com objetivo de controlar o consumo, atualizar informações relativas a veículos e condutores e padronizar a utilização dos veículos oficiais, próprios e locados.

A pasta também determinou a substituição dos veículos administrativos e operacionais, por veículos de melhor performance de consumo, trazendo além de economia a eficiência pela qual a administração deve se pautar sempre.

Leia mais:   SES monitora rede de atenção às urgências em hospitais e prontos-socorros

Implantação de Tags

Também foi implantado um dispositivo de identificação eletrônica, denominado tag, para fins de controle do abastecimento de veículos oficiais do Estado. O mecanismo contém uma chave eletrônica associada à identificação do veículo no ato do abastecimento. A tag é intransferível e seu uso é obrigatório em substituição ao cartão magnético.

A tag é fixada no para-brisa do veículo sob os cuidados do condutor cadastrado, que deve ter seus dados no Sistema de Gestão de Abastecimento de Combustíveis sempre atualizados e estar ciente sobre o saldo do cartão e estabelecimentos credenciados pelo governo. É expressamente proibido abastecer outro veículo que não aquele ao qual a tag está vinculada.

Para o secretário Basílio Bezerra medidas como as que foram adotadas são extremamente importantes para ajudar a equilibrar as finanças do Estado.

“Estamos fazendo a lição de casa com eficiência, pois é importante reduzir custos sem perdermos qualidade nos serviços prestados ao cidadão. Essa economia alcançada com o consumo de combustíveis é um exemplo de que isso é possível”, finaliza.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook

Estadual

Mais de 1200 empreendedores acreditam no Programa de Inovação de MT

Publicado

Ao todo 498 idéias inovadoras foram submetidas

Encerrou com sucesso as inscrições para o Programa Centelha em Mato Grosso, com mais de 1200 participantes cadastrados e 498 idéias Inovadoras submetidas. O programa tem objetivo desenvolver e disseminar a cultura do empreendedorismo inovador e acelerar a geração de novos empreendimentos de base tecnológica.

O programa visa criar 27 startups e capacitar empreendimentos ou processos inovadores para o desenvolvimento de bens ou serviços. Na criação das empresas, cada projeto receberá R$ 60 mil , não reembolsáveis, com um prazo de execução em um ano.

Foram ao todo 498 propostas inovadoras e as áreas com maior números de propostas submetidas foram: Tecnologia sociais, Química novos materiais, Inteligência rtificial   Machine learning e Internet das coisas, oriundas  de 39 cidades diferentes do Estado.

Para o Presidente da Fapemat Prof. Adriano Silva,” é importante este tipo de fomento, acreditamos no potencial de novos empreendedores, que trarão com certeza  vários benefícios econômicos, bem como a geração de emprego e renda em todo o estado, esta tem sido uma das grandes preocupações do Governador Mauro Mendes”.

Leia mais:   Mais de 1200 empreendedores acreditam no Programa de Inovação de MT

O resultado parcial será divulgado no dia 02 de março, e os empreendedores selecionados receberão apoio técnico profissional especializado para o desenvolvimento e aprimoramento de suas idéias, em cada uma das etapas foram preparadas materiais, como vídeos e manuais para auxiliar os coordenadores a submeterem as propostas da melhor maneira possível.

Da Assessoria

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Escola de Itaúba aposta em aula de campo para ensinar bioma amazônico

Publicado

Alunos da Escola Estadual Papa João Paulo II, localizada no município de Itaúba (a 600 quilômetros ao norte da Capital) participam de aula de campo sobre “Bioma Amazônia no Vale das Castanhas”, uma área de floresta nativa. Da aula prática, ocorrida na terça-feira (14.01), participaram estudantes de duas turmas do 8º ano.

Os alunos foram visitar o Vale da Castanha, área preservada cujo nome se deve ao grande número de castanheiras presentes no local.

Segundo a professora de ciências Sônia Luciano Ferreira, coordenadora da aula de campo, a atividade faz parte do planejamento da disciplina de ciências, cujo tema trabalhado em sala foi sobre o bioma amazônico.

“A aula foi bastante produtiva e os alunos ficaram entusiasmados com o que visualizaram. Muitos alunos nascidos no município não conheciam o lugar e não sabiam como a castanha era produzida, embora seja símbolo do município e fonte de economia local”, destaca a professora.

Durante a aula de campo, os alunos puderam observar de perto as espécies da flora estudadas em sala de aula. No decorrer do percurso de 40 quilômetros foram realizadas cinco paradas, conforme planejado no roteiro.

Leia mais:   Núcleo de Desaparecidos localiza 816 pessoas durante 2019

No entendimento da professora, cada parada era momento de muito aprendizado e muitos questionamentos.  “Os alunos conseguiram perceber a floresta como algo essencial para a população local e também sua importância de forma global. Foi um momento muito gratificante em que os questionamentos foram surgindo e a aula acontecendo a partir da curiosidade de cada aluno”, assinala.

Na aula de campo, os alunos também observaram como a pecuária e a monocultura vêm avançando no município. Durante o trajeto, os alunos manifestaram a preocupação com a conservação da floresta quando se depararam uma extensa área de plantação de soja e áreas de pastagens.

Segundo o diretor Edinei Gleison da Silva Colhiado, a aula de campo possibilitou também que os alunos compreendessem que é possível utilizar a floresta de forma rentável, sustentável e assim manter a biodiversidade.

“A conservação da floresta foi bastante citada durante a aula de campo. Esse é um tema de relevância e que vem sendo trabalhado durante as aulas de ciências com os alunos, pois vivem no bioma amazônia que ganhou um novo olhar, voltado para as espécies de grande valor ambiental e comercial como é o caso da castanha do Brasil”, frisa o diretor.

Leia mais:   Festival de Lambadão segue com inscrições abertas até dia 31 de janeiro

A aula de campo contou com a colaboração dos professores de língua portuguesa Nilson Caires e Sidnéia Gomes e da professora de educação física Marizete Sauer.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Entretenimento

Mais Lidas da Semana