conecte-se conosco


Política

Espetáculo infantil é exibido para público de agendamento escolar em comemoração ao Dia das Crianças

Publicado

Foto: KAREN MALAGOLI / ALMT

Foto: KAREN MALAGOLI / ALMT

Foto: KAREN MALAGOLI / ALMT

O foyer do Teatro do Cerrado Zulmira Canavarros ficou tomado de pequeninos sentados no chão, ansiosos, tagarelando (daqueles barulhos que se gosta de ouvir), brincando de adoleta, esperando para assistir ao espetáculo “Fiu-Fiu – um encontro entre pássaros”, com o grupo Tibanaré.

A sessão de agendamento escolar comemorativa ao Dia das Crianças, na última sexta-feira (11), acolheu mais de 400 alunos de três unidades de ensino público de Cuiabá, uma ação fruto da parceria entre o grupo cênico e a Assembleia Social (antiga Sala da Mulher).

A rodinha de meninos de seis anos de idade, da Escola Municipal de Educação Básica Jescelino José Reiners, estava projetando como seria a programação do dia. Enzo Gabriel Vieira sabia que veria uma peça de teatro, mas estava esperando um passeio. Questionado se não seria esse um passeio, refletiu e concordou. Matheus Henrique Salomé, David Kevin Campos e Tailon José perguntaram se teria cachorro-quente, picolé e pastel.

Não, meninos… A programação é para alimentar a alma. É uma tarde de cultura, de sensibilidade, para despertar emoções. E que emoções! Sem uma palavra sequer (mas alguns pius), os dois pássaros de Fiu-Fiu comunicaram com a plateia infantil sobre diversidade – representada pelas diferentes espécies – e afeto. “Esse espetáculo é muito especial para nós, porque fala de amor, de respeito às diferenças”, sintetiza Jefferson Jarcem, ator e diretor do grupo Tibanaré.

Leia mais:   Governo sanciona lei que altera código de terras e facilita regularização fundiária

Os pequeninos, nas poltronas do Zulmira Canavarros, se dedicavam para ver o palco de tal forma que não conseguiam se manter sentados. E que pesar uníssono quando o balão de coração (com gás hélio) voou! Interagindo, uma vozinha distante asseverou: “ele [pássaro personificado pelo ator Jefferson Jarcem] vai ter que voar para pegar”.

Na interação com o espetáculo, o público, com idades entre três e nove anos, teve medo de escuro, gargalhou, aplaudiu chuva de papel, fez coro de “beija, beija” para os bicudos no palco.

Ian Vinícius, de quatro anos, aluninho da Creche Municipal Rafael Rueda, resumiu sua percepção em “gostei bastante”. Lorrayne Meury, da mesma unidade escolar e com a mesma idade, elogiou “o patinho”, como identificou uma das aves da peça teatral.

“Eles adoraram, é importante essa interação com as crianças! É oportunidade de socialização delas com o mundo aqui fora, além, é claro, de se entrosarem com a cultura”, avalia Kátia Maria, uma das professoras da creche.

Leia mais:   Deputado Romoaldo Júnior retorna à AL após cirurgia

“É sempre uma alegria receber alunos aqui em nosso teatro! Abrimos a porta para os pequenos, abrimos o palco para os grupos culturais e contribuímos para a formação de plateia. Nós acreditamos na educação e na cultura como formação legítima de cidadãos conscientes, nosso futuro. Que outras escolas tragam seus alunos, estamos sempre disponíveis!”, explicou a diretora da Assembleia Social – braço social da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) – e do Teatro Zulmira.

A ALMT, além de possibilitar espetáculo sem custo para os coletivos artísticos e para os estudantes, ainda (nesta ação), disponibilizou dois ônibus para buscar e levar os 90 alunos da creche Rafael Rueda.

Ainda compuseram o público 78 estudantes da Escola Estadual Leônidas Antero de Matos e 275, da escola Jescelino Reiners.

Comentários Facebook

Destaque

Prefeito demite secretários e fará fusão de secretarias

Publicado

A exemplo de anos anteriores, no final deste ano, o prefeito Francis Maris Crus (PSDB) fará mudanças no secretariado, começando o próximo ano, com novos nomes no staff e fusões em secretarias. Desta vez, a secretária mais antiga da administração, Nelci Eliete Longhi puxou a fila. Depois de sete anos, Nelci foi substituída, na secretaria de Fazenda e Planejamento, pelo advogado Gustavo Calábria. O próximo que deverá deixar a pasta será o assessor Especial do prefeito o advogado Maikon Carlos de Oliveira.

A informação é de que Maikon Oliveira pediu para sair. Francis não confirma. Porém, informações de interlocutores do gabinete, asseguram que outras “peças” do secretariado serão remanejadas até o final do ano. O que o prefeito se convenciona chamar de “reoxigenação”. “São mudanças que ocorrem em qualquer administração. É normal essa reoxigenação da máquina. Seja por questões econômicas seja por ajustes normais nas secretarias” assinala confirmando o pedido de demissão do assessor.

“Estamos avaliando alguns currículos de pessoas que podem substituir o assessor especial Maikon Oliveira que pediu para sair” disse lembrando que, a posse do secretário Gustavo Calábria substituto de Nelci Longhi deverá ocorrer na segunda-feira.

Leia mais:   Comissão medeia conflito entre estado e município sobre processo de regulação

Além de mudanças no secretariado, com a proposta de “enxugar” ainda mais a máquina pública, o prefeito irá realizar a fusão de algumas secretarias. A Secretaria de Fazenda, por exemplo, irá juntar-se com a de Finanças, tendo como titular a secretária Arly Monteiro Rodrigues. Outra fusão será a da Secretaria de Administração com a de Planejamento. Nesse caso, o secretário Gustavo Calábria, já entra no staff com status de supersecretário. Assim como Arly Rodrigues que irá comandar as finanças da administração.

A “reoxigenação da máquina” no final do ano é quase comum na administração do prefeito Francis Maris. Em 2017, ele exonerou a então secretária de Planejamento Marli Oliveira Assis e o então secretário de Administração Luiz Fernando. Em 2018, nesse mesmo período, foram exonerados o então secretário de Governo, Wilson Massahiro Kishi e o assessor Especial Átila Silva Gattass. No início do ano, também foi exonerado o secretário de Planejamento, Júlio da Semelc.

Editoria – Sinézio Alcântara

Comentários Facebook
Continue lendo

Política

CPI da Renúncia e Sonegação Fiscal recebeu o secretário Rogério Gallo

Publicado

Foto: Helder Faria

A CPI da Renúncia e Sonegação Fiscal ouviu, na tarde desta quinta-feira (14), o secretário estadual de Fazenda, Rogério Gallo. Ele apresentou dados sobre arrecadação, renúncia fiscal e combate à sonegação em Mato Grosso.

De acordo com Gallo, os números da sonegação fiscal variam entre 5% e 10% do valor arrecadado por cada segmento da economia do estado. “Temos bons indicadores em relação ao restante do país. Temos setores que têm baixam sonegação, como o de energia elétrica, que só tem um contribuinte. Então, é mais fácil fiscalizar. Mas à medida que você aumenta o número de contribuintes, isso acaba trazendo uma dificuldade maior”, afirmou.

Aos deputados, o secretário garantiu que o governo trabalha na recuperação desses recursos e disse que o estado acumula R$ 11 bilhões em autuações nos últimos quatro anos. Rogério Gallo também destacou a importância de ações de prevenção da sonegação. “O mais importante é que a sonegação não ocorra. Estamos na prevenção, na abertura de empresas laranjas que podem ensejar sonegação fiscal. Se uma empresa fantasma opera dois meses, ela pode causar, a depender do setor, um rombo milionário”, ressaltou.

Leia mais:   Projeto de lei obriga governo estadual a detectar presença de agrotóxicos na água

O chefe da pasta de Fazenda estima que no início do próximo ano já seja possível que a Sefaz cruze banco de dados para detectar, por exemplo, se um beneficiário do programa Bolsa Família está cadastrado como dono de uma grande empresa. “Tecnologia da informação, monitoramento e estarmos próximos da ocorrência para evitar o que aconteceu no estado”, completa Rogério Gallo.

O presidente da CPI, deputado estadual Wilson Santos (PSDB), garantiu que o Parlamento vai acompanhar se os incentivos fiscais e demais renúncias estão cumprindo o papel desejado. “São quase seis bilhões de reais em renúncia por ano e desses mais de três bilhões de incentivos fiscais”, frisou o parlamentar.

Santos disse estar preocupado com a capacidade do estado de fiscalizar e considera baixo o valor arrecadado em impostos de produtos como soja e algodão. “Movimenta 45, 50 bilhões e não pagam um bilhão de impostos”, reclamou o deputado. “Há muita empresa fantasma. A justiça já está com operações e há inclusive delações. Então nós estamos apenas iniciando a CPI”, garantiu. Wilson Santos ainda cobrou mais colaboração do governo nas investigações.

Leia mais:   Secretários de Fazenda e de Desenvolvimento Econômico depõem à CPI nesta quinta-feira

De acordo com o presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito, a investigação do setor de combustíveis está mais adiantada e o relatório sobre esse segmento deve ser entregue em breve. Wilson Santos espera ouvir ainda em 2019 o ex-governador Silval Barbosa, além de pessoas ligadas ao setor de combustíveis. O secretário de Desenvolvimento Econômico do estado, César Miranda, não foi ouvido por falta de tempo. 

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Entretenimento

Mais Lidas da Semana