conecte-se conosco


Mato Grosso

Escola Plena aposta em conscientização ambiental trabalhada de forma transdisciplinar

Publicado

A Escola Estadual Plena Padre César Albisetti localizada no município de Poxoréo (a 251 quilômetros ao sul da capital) concluíram uma ação de Educação Ambiental. No evento, realizado na sexta-feira (11.10), os alunos convidaram colegas de escolas estaduais e municipais, para prestigiarem os trabalhos desenvolvidos.

A orientadora da Área de Ciência Humanas, Alice David de Freitas destaca que, ao longo da realização do projeto, os alunos participaram de diversas atividades externas, como visita a usina hidrelétrica José Frageli e no sistema de captação de água da cidade. Na exposição dos trabalhos, os alunos apresentaram espécies de árvores ornamentais, além da produção de vídeos, painéis informativos, murais, maquetes, análise de gráficos, tabelas entre outros.

“Durante o andamento da ação, os estudantes foram divididos em grupos e desenvolveram um subtema escolhido pelos professores de acordo com os interesses dos estudantes. Assim promovemos, desta forma, o protagonismo juvenil”, explica a professora.

A professora assinala que a ideia da ação é conscientizar a sociedade a reduzir os danos ambientais causados pelo ser humano. Os objetos de conhecimento trabalhados vão além da sala de aula, pois temas relevantes são apresentados aos estudantes nos espaços que a escola dispõe. A EE Padre César Albisetti tem laboratórios de informática, química, física, além de biblioteca, locais que os estudantes utilizam com frequência.

A ação de Educação Ambiental foi trabalhado de forma transdisciplinar envolvendo as disciplinas de geografia, sociologia, história, filosofia, língua inglesa, língua portuguesa, matemática, biologia, física e química, trabalhando temas relacionados ao Meio Ambiente.

Comentários Facebook

Estadual

Embaixador dos EUA: “É impressionante o trabalho que o Governo de Mato Grosso está fazendo”

Publicado

O embaixador dos EUA no Brasil, Todd Chapman

Todd Chapman elogiou atuação do Estado e quer repetir esse modelo em outros locais

Por Lucas Rodrigues | Secom-MT

     O embaixador dos EUA no Brasil, Todd Chapman, elogiou a atuação do Governo de Mato Grosso no combate aos crimes ambientais, em especial o desmatamento ilegal e os incêndios florestais.

Chapman e o governador Mauro Mendes se reuniram na tarde desta quinta-feira (22.04), por videoconferência, e falaram sobre as estratégias do Governo do Estado para prevenir e combater os crimes ambientais, bem como as potencialidades da nossa produção agrícola.

“No meio ambiente, Mato Grosso é um líder e eu quero muito ouvir sobre o seu programa, porque todos falam sobre isso. O que eu tenho ouvido sobre Mato Grosso é que vocês têm um sistema, através de sua Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), uma maneira tecnológica de saber quando e onde estão começando as queimadas ilegais, e entrar em contato com os proprietários dessas áreas. Muitos estão querendo repetir esse sistema”, afirmou Chapman.

De acordo com o embaixador, vários agentes públicos de outros estados têm comentado com ele sobre a eficácia do monitoramento de Mato Grosso sobre as áreas atingidas por desmatamento ilegal.

“Estou como embaixador há pouco mais de um ano. E várias vezes pessoas disseram a mim ‘Mato Grosso tem um sistema tal, que funciona’. Já ouvi pelo menos 10 vezes, de vários lugares. E eles dizem ‘Mato Grosso tem vantagem em relação a Pará, Amazonas, porque vocês sabem a quem pertence as áreas’. Me parece um extraordinário trabalho. É impressionante. Queremos articular para repetir esse modelo em outros estados do Brasil. É impressionante o que Mato Grosso está fazendo”, pontuou.

O governador Mauro Mendes explicou que a ferramenta em questão foi implantada pelo estado em 2019. O sistema monitora todo o território de Mato Grosso por satélite e detecta qualquer desmatamento acima de 1 hectare.

“Em qualquer ponto do Estado de Mato Grosso, se alguém começar um desmatamento e ele for superior a 1 hectare, o nosso sistema consegue – pelas imagens de satélite do dia anterior e do dia seguinte – cruzar as imagens e o sistema dá o alerta. O analista olha, identifica e imediatamente pelo Cadastro Ambiental Rural nós ligamos para o proprietário. A grande maioria cessa com aquele desmatamento e aqueles que persistem, as nossas equipes vão a campo e aplicam as multas”, relatou.

Mauro pontuou que, somente no ano passado, foi aplicado mais de R$ 1,5 bilhão em multas com o auxílio desse sistema. E que, ao contrário do que ocorria anteriormente, as multas geram consequências aos infratores.

“Temos feito campanhas muito fortes nos meios de comunicação, dizendo exatamente isso: não aposte na ineficiência do estado, pois nós estamos equipados tecnologicamente e aqueles que arriscarem poderão ter consequências muito graves. Alguns anos atrás, essas multas ficavam engavetadas. Hoje temos uma força-tarefa que está dando sequência e consequência em todas essas multas. Quem desmatou, vai ter que regenerar e responder criminalmente. Hoje uma multa resulta em um administrativo e simultaneamente os dados são enviados ao Ministério Público, que já começa o processo de responsabilização criminal”.

O governador ainda destacou que Mato Grosso já reduziu os alertas de desmatamento em 31,5% entre agosto de 2020 e janeiro de 2021, comparando com o mesmo período do ano anterior. O dado oficial é do Sistema de Detecção do Desmatamento em Tempo Real (DETER) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

“Estamos aplicando corretamente a lei, o Código Florestal Brasileiro e penalizando a minoria que comete esses crimes, mas que causam danos ambientais, de imagem e econômico para a grande maioria. Estamos investindo R$ 73 milhões para combate ao desmatamento ilegal e incêndios florestais. É um trabalho que demanda tempo, investimento e muita dedicação, e que tem dado resultado”, finalizou.

Comentários Facebook
Continue lendo

Destaque

O caminho da vacina contra a Covid-19 em Mato Grosso, sob olhar da PM

Publicado

Por Diário de Cáceres

Foto: PMMT

      Quando as doses da vacina contra o coronavírus desembarcam em Mato Grosso, inúmeras equipes das áreas de saúde e das Forças de Segurança Pública trabalham integradas para que o medicamento seja destinado aos pontos de vacinação e unidades de saúde na região metropolitana e em todo o interior do Estado.

Com mais de 7 mil policiais militares, a Polícia Militar faz parte desta equipe e vem atuando diuturnamente para que os grupos prioritários de todos os municípios recebam as doses da tão esperada vacina contra o coronavírus.

O comandante geral da Polícia Militar em exercício, coronel Daniel Lipi Alvarenga destaca que toda a tropa da instituição está trabalhando na pandemia; nas operações de dispersão de pessoas, fiscalizações, no policiamento de rotina nos bairros e na escolta, segurança e transporte das doses da vacina contra a Covid-19.

“Nas cidades mais longínquas, a responsabilidade destes profissionais que manuseiam, transportam, escoltam e entregam as vacinas é ainda maior. A Polícia Militar e todos os profissionais envolvidos nesta importante ação de combate ao coronavírus fazem um trabalho sincronizado para que as dificuldades impostas pela distância e os locais de difícil acesso não atrapalhem a vacinação dos grupos prioritários e que todos sejam imunizados contra essa doença”, explica coronel Alvarenga.

Para os policiais militares que participam deste momento, o trabalho deles é dedicado a salvar vidas de uma forma diferente e ainda levar a esperança de que a pandemia vai passar e tudo vai ficar bem com todo mundo vacinado.

Ajudar a retirar as doses do avião, escoltar as equipes de saúde até o posto de vacinação em cidades distantes é para os policiais uma missão de correr contra o tempo, que requer cuidados e sincronicidade entre os profissionais envolvidos neste trabalho.

Os policiais fazem a escoltas e ajudam nos imprevistos que surgem pelo caminho até a unidade de saúde como problemas mecânicos nos veículos, atoleiros, árvores ou quaisquer obstáculos que podem aparecer durante o trajeto. As viaturas da PM é mais uma opção de transporte, caso não seja possível os profissionais de saúde levarem o medicamento que tem o período certo para o armazenamento, transporte e a refrigeração.

Para escoltar as vacinas até a cidade de Serra Dourada ( a 639.29 km de Cuiabá), sargento Juscelino Ferreira, comandante do Núcleo da PM no município, confidenciou que ficou emocionado quando chegou no pequeno município e viu os idosos sendo imunizados. Do desembarque das doses vacina do avião, a equipe da PM encarou o trajeto de 150 km de estrada de chão até a unidade de saúde.

“Levar a vacina e ajudar as equipes de saúde até os postos de vacinação é algo emocionante, sinto que estou levando esperança para os moradores desta querida cidade”, declara o policial militar.

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana