conecte-se conosco


Cáceres e Região

Equipe cacerense leva o prêmio principal do Fipe 2019

Publicado

Em meio a apreensão e suspense foram conhecidos os campeões do 38º Festival Internacional de Pesca Esportiva de Cáceres (FIPE), na categoria pesca embarcada. Após cerca de 8 horas de pescaria na raia, as 268 equipes aguardaram a divulgação dos pontos que levaram as equipes ao pódio.

A equipe cacerense “Deus Vivo” composta pelos pescadores Alex Flaviano da Silva, Karina Albuquerque e Anderson dos Santos, foram os vitoriosos e levaram o prêmio principal do FIPe 2019, um Saveiro OKM. A equipe capturou 15 exemplares, sendo na maioria jurupocas, jurupensém e pintados, que totalizaram 28605 mil pontos.

Em segundo lugar uma equipe do município de Gloria D’Oeste foi contemplada com uma lancha Pegasus 19 pés e uma carretinha, a equipe “Malibu” capturaram 18 exemplares e somaram 24720 mil pontos.

Já em terceira colocação ficou a equipe “Vila Aparecida”, que levaram como prêmio um barco 6 metros e um motor 30hp, da cidade de Cáceres a equipe composta pelos pescadores, Aldir Ivo Ehle Nodari, Norival e Ivonir Nodari.

Considerado o maior evento do turismo da região oeste, o FIPe é uma marca reconhecida pelos seus recordes durante esses 38 anos, foi o que o prefeito de Cáceres destacou em seu discurso de encerramento. “Foi um dos melhores FIPe de todos os tempos, entregamos uma premiação superior a 250 mil aos pescadores da categoria pesca embarcada motorizada. Agradecemos aos patrocinadores, aos apoiadores, ao Governo do Estado e a Assembléia Legislativa de Mato Grosso. A partir de amanhã (segunda-feira) começamos a pensar no próximo evento de 2020”, afima Francis.

De acordo com o Secretário de Turismo e Cultura de Cáceres, Junior César Trindade, todo evento foi pensado para atender as expectativas dos turistas e munícipes que passaram pelo evento durante esses cinco dias de evento. “Entendemos que era preciso pensar no evento nos mínimos detalhes, e foi isso que fizemos, muito graças aos nossos servidores da SMTC que se dedicaram diuturnamente para que tudo saísse de acordo com o que havíamos planejado. Nesse momento em que se encerra o evento, agradeço a Deus, a minha família, a gestão municipal e aos servidores aguerridos que ajudaram a fazer esse lindo evento”, finalizou.

 

1º Lugar (Deus Vivo) – Cáceres – 15 peixes – 28605 Pontos

Alex Flaviano da Silva, Karina Albuquerque e Anderson dos Santos

Prêmio 1 Saveiro 0 KM

 

2º Lugar (Malibu) – Gloria D’Oeste – 18 peixes – 24720 Pontos

Eduardo Henrique Penachiore dos Santos, Silvio Lebrero dos Santos e Luciano dos Santos Sete

Prêmio 1 Lancha Pegasus 19 pés e uma carretinha

 

3º Vila Aparecida – Cáceres – 24 peixes – 21555 Pontos

Aldir Ivo Ehle Nodari, Norival de Souza e Ivonir Nodari

Prêmio 1 Barco de 6 metros e 1 motor 30 hp

 

4º Sem Destino – Cáceres – 5 peixes – 19959 Pontos

Clodoaldo Luiz da Silva, Marluci Aparecida da Silva e Márcio da Silva Queiroz

Prêmio 1 Barco de 6 metros e 1 motor 15 hp

 

5º R.R Torno e Solda – Porto Esperidião – 7 peixes – 19745 Pontos

Raimundo Rodrigues de Souza, Norberto Alves de Lima e João Batista Suquere Filho

Prêmio: 1 motor 15 hp e 1 Gerador

 

6º Os Biscoitos – Cáceres – 7 peixes – 17750 Pontos

Antonir Buck, Cleonice Buck Leite e Kellima Maria de Arruda

Prêmio: 1 motor 15 hp

 

7º Canoa Furada – Porto Estrela – 6 peixes – 16280 Pontos

Ronaldo de Jesus Matos, Roger de Faria e Veslei Faria Lemes

Prêmio: 1 Barco 6 metros

 

 

9º Os Três Pirangueiros– Cáceres – 3 peixes – 14651 Pontos

Onorio Henrique da Silva, Rodrigo Henrique da Silva E Osvaldo Ximenes

Prêmio: 1 motor rabeta

Assessoria

Comentários Facebook
Leia mais:   Cáceres recebe Colégio de presidentes e delegados do sistema OAB-MT

Cáceres e Região

Diretores da CEF prestam informações sobre viabilidade de financiamento para projeto de esgoto sanitário em Cáceres

Publicado

Editoria – Sinézio Alcântara

A importância e os benefícios para a população e a relevância para o meio ambiente, saúde e turismo com a implantação do projeto de coleta e tratamento do esgoto sanitário de Cáceres foram esclarecidos aos vereadores, por representantes da diretoria da Caixa Econômica Federal (CEF). O projeto, em análise de viabilidade, com possibilidade de aprovação pela CEF, foi encaminhado à Câmara Municipal para análise e votação. Os esclarecimentos desfizeram informações distorcidas levadas a população e aos próprios vereadores sobre o projeto.

Os esclarecimentos feitos pelo gerente de Sistema de Gestão de Governo da CEF, Ubiratan Alves e pelo engenheiro Marlon Martendal, desfizeram informações distorcidas sobre o projeto. Entre elas de que haveria aumento de 100% na tarifa da conta da água de imediato e que comprometeria a capacidade de endividamento do município.

O projeto será implantado em toda área urbana, contemplando todos os bairros da cidade. Será uma das maiores obras já realizadas, em benefício da população. O projeto consta de rede coletora, 29 Estações Elevatórias e a Estação de Tratamento de Esgoto que será construída na área do Distrito Industrial.  A diretoria da CEF já se manifestou com a possibilidade de aprovação, depende da autorização da Câmara Municipal e da revalidação do Ministério de Desenvolvimento Regional.

O investimento de R$ 129 milhões necessário para execução do projeto será financiado pela CEF com recursos do Fundo de Garantia de Tempo de Serviço (FGTS) a juro de 6% ao ano, mais 2.5% de custo financeiro da caixa. O prazo para pagamento será de 24 anos. Sendo quatro anos de carência para o início do pagamento e mais 20 anos para quitação total do empréstimo.

Leia mais:   16 integrantes de facção criminosa são presos em Mirassol D’Oeste

A previsão de conclusão das obras é de quatro a cinco anos, Período em que iniciará a cobrança da taxa do esgoto. Em função do alto custo de tratamento, o valor será proporcional ao valor da tarifa de água; ou seja quem paga R$ 40 de tarifa de água mensal, estará pagando a mesma quantia de tarifa do esgoto. Aliás, taxa essa que é cobrada na maioria dos municípios brasileiros que dispões de coleta e tratamento de esgoto domiciliar.

A implantação desse projeto trará inúmeros benefícios, para o município e, consequentemente, para a população. O principal e mais importante, será a melhoria da saúde da população. Estudos realizados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) comprovam que, investimento de R$ 1 em saneamento básico economiza-se R$ 4 na saúde. A incidência de doenças como leptospirose, hepatite, dengue, Zica vírus, chikungunya e verminoses, serão reduzidas. Consequentemente reduzirá também a alta demanda de recursos públicos municipais para atender a população na área.

Outra questão significante será a melhoria da preservação e conservação do ecossistema pantaneiro. Com a execução do projeto a cidade se tornará mais atrativas, por ser considerada um polo turístico, devido ao sua localização geográfica privilegiada a margem do rio Paraguai, no berço do pantanal mato-grossense, considerado patrimônio mundial da humanidade.

Leia mais:   Cáceres recebe Colégio de presidentes e delegados do sistema OAB-MT

O esgoto que, atualmente, polui o rio Paraguai, despejado de forma criminosa, devido as ligações clandestinas na rede de drenagem, após a execução do projeto, só será despejado com o adequado tratamento, conforme as normas ambientais federais vigentes. Além disso, o restante dos esgotos domiciliares, estão contaminando o lençol freático em razão dos descartes em fossas sépticas e rusticas, onde muitas se tornam criadouros de mosquitos e propagadoras de doenças infecto contagiosas.

A melhoria na questão ambiental e nas obras estruturais, também irão proporcionar atrativos para empreendimentos imobiliários e empresas que demonstram interesses em se instalar no município.  Os custos estruturais de implantação desses empreendimentos, serão automaticamente, reduzidos. Com isso, proporcionando aumento de oferta de emprego e renda em todos os setores. Como por exemplo, postos de combustíveis, oficina mecânica, supermercado, hotéis, farmácias, entre outros.

Diretor da Autarquia Águas do Pantanal, Paulo Donizete Costa, assinala que o município tem consciência da grande responsabilidade em assumir o financiamento para a implantação do projeto. Porém, destaca que “se cada cidadão e representantes públicos não assumirem juntos esse compromisso, a tendência é que o município nunca irá chegar no padrão de qualidade de vida que todos desejamos” e que “essa é uma oportunidade única que a cidade está tendo” e que “a não concretização desse projeto pode significar um atraso irreversível como estamos a 240 anos desde a fundação da cidade”.

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Workshop marca encerramento do Senar Tec Leite em Pontes e Lacerda

Publicado

No próximo dia primeiro de novembro acontece em Pontes e Lacerda, o Workshop ATeG – Senar-MT. O evento será no parque de exposição, a partir das 8 horas e reunirá produtores de leite de toda a região. Um dos palestrantes será o superintendente do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Minas Gerais (Senar-MG), Christiano Nascif. Ele também é coordenador técnico do Programa de Desenvolvimento da Pecuária Leiteira – UFV e também do projeto Educampo.

Durante o evento será revelado o nome dos produtores que se destacaram em  2019 e também a “propriedade destaque” do Senar Tec Leite, no período de 2015 a 2019. Este é um programa de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG), desenvolvido pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (Senar-MT).

Pontes e Lacerda foi o primeiro município a receber o Senar Tec Leite que atendeu durante quatro anos, 120 produtores de leite. O workshop realizado no primeiro dia de novembro será o marco de encerramento do projeto na região. Nos últimos quatro anos os produtores da região receberam a visita mensal dos técnicos de campo do Senar-MT.

Leia mais:   PÓS-GRADUAÇÃO: Prova para primeiro mestrado indígena da Unemat acontece no domingo (20)

Em 2019, mais de 20 municípios estão sendo atendidos pela ATeG, do Senar-MT. Além da cadeia produtiva do leite, a entidade também está desenvolvendo projetos para a pecuária de corte e para a cadeia produtiva da Horticultura.

A ideia é propiciar ao produtor as ferramentas necessárias para o gerenciamento correto da propriedade. Os técnicos do Senar-MT auxiliam os produtores de leite a entender o seu custo de produção e a ter um olhar diferenciado para várias atividades executadas dentro de uma propriedade rural.

Produzindo leite desde sempre, os irmãos Ildo, Ilton e Nilton Vicente Souza estão entre os 120 produtores atendidos pelo Senar Tec Leite.  “Depois de integrados neste programa passamos a ter uma visão mais ampla do negócio, ou seja, quando é para fazer um serviço maior nos unimos e trabalhamos juntos. Nós passamos a ver que a dificuldade de um é a de todos”, conta Ildo.

Além desta união que fortaleceu não só a relação dos irmãos, mas de toda a comunidade de Cerro Azul, em Pontes e Lacerda, o conhecimento, a troca de informação e a capacitação se tornaram elementos importantes no dia a dia dos produtores de leite que vivem na região. “Dias de Campo e treinamentos são primordiais para melhorarmos a qualidade do nosso produto e também a nossa renda”, acrescenta Ilton. Ele garante que capacitação de mão de obra é primordial em qualquer cadeia produtiva. “Mas na do leite é ainda mais importante porque nosso lucro é muito pequeno”.

Leia mais:   16 integrantes de facção criminosa são presos em Mirassol D’Oeste

Já para Nilton, o Senar Tec Leite trouxe conhecimento. “A comida para o rebanho é a coisa mais importante na cadeia produtiva do leite. Este programa nos deu mais conhecimento sobre pastagens, genéticas e também nos orientou sobre a importância da higiene na sala de ordenha. Fomos nos adequando, melhorando e já conseguimos ver o resultado no rebanho e na qualidade do nosso produto. A ATeG é primordial para o sucesso do produtor de leite”.

Fonte: Assessoria de Imprensa/Senar-MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Entretenimento

Mais Lidas da Semana