conecte-se conosco


Destaque

Energisa orienta sobre consumo de energia em períodos de altas temperaturas

Publicado

Assessoria

Aneel definiu Bandeira Tarifária Amarela para janeiro/21

A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) definiu a bandeira tarifária amarela para janeiro de 2021, o que significa um custo de R$ 1,343 para cada 100 quilowatts-hora consumidos. Por isso, em períodos de altas temperaturas, o consumidor precisa ficar atento a uma regra básica: economizar energia é uma atitude sustentável para o meio ambiente e para o bolso.

Em Mato Grosso, a conta de energia elétrica de um cliente residencial com um consumo de 249 kw/h mês, durante a vigência da bandeira amarela, deve sofrer uma variação média de 1,94%.  Ou seja: se no período de bandeira verde esta fatura é de R$ 219,06, com a mudança para bandeira amarela ela poderá custar, em média, R$ 223,31. É importante lembrar que a mudança na bandeira tarifária incide também nos impostos estaduais e federais.

Em dezembro, a ANEEL reativou o sistema de bandeiras tarifárias, com a aplicação da bandeira vermelha patamar 2, com custo de R$ 6,243 para cada 100 quilowatts-hora consumidos, o que representou uma variação de 9,03% para uma fatura de 249 kw/h mês de um cliente residencial em Mato Grosso.

A Energisa alerta que o consumidor precisa redobrar a atenção para o uso adequado da energia elétrica, especialmente porque as temperaturas seguem elevadas e os equipamentos como refrigeradores e aparelhos de ar-condicionado naturalmente já consomem mais energia nesse período.

Leia mais:   Governo publica decreto com novas medidas para frear contágio da covid-19

O gerente de Serviços Comerciais da Energisa Mato Grosso, Murilo Galvão Marigo, reforça que colocar em prática orientações para usar a energia elétrica sem desperdício ajuda os consumidores a mudar hábitos e atitudes que podem contribuir para a redução do valor da conta.

“Rever os hábitos individuais e coletivos no dia a dia são fundamentais para garantir um consumo mais adequado às condições de cada família. A Energisa quer que todos tenham o conforto da energia elétrica sem sustos com o orçamento doméstico no fim do mês”, destaca.

Sobre bandeiras tarifárias

O sistema de bandeiras tarifárias foi criado pela ANEEL e funciona como uma sinalização para que o consumidor de energia elétrica conheça, mês a mês, as condições e os custos de geração no País. Quando a produção nas usinas hidrelétricas (energia mais barata) está favorável, aciona-se a bandeira verde, sem acréscimos na tarifa. Em condições ruins, podem ser acionadas as bandeiras amarela, vermelha 1 ou vermelha 2.

 

Confira abaixo algumas Dicas de Economia de Energia:

Chuveiro elétrico

●      Tomar banhos mais curtos, de até cinco minutos

Leia mais:   Toque de recolher vai até o dia 3 de fevereiro em Cáceres

●      Selecionar a temperatura morna no verão

Ar-condicionado

●      Não deixar portas e janelas abertas em ambientes com ar-condicionado

●      Manter os filtros limpos

●      Diminuir ao máximo o tempo de utilização do aparelho de ar-condicionado

●      Colocar cortinas nas janelas que recebem sol direto

Geladeira

●      Só deixar a porta da geladeira aberta o tempo que for necessário

●      Regular a temperatura interna de acordo com o manual de instruções

●      Nunca colocar alimentos quentes dentro da geladeira

●      Deixar espaço para ventilação na parte de trás da geladeira e não a utilizar para secar panos

●      Não forrar as prateleiras

●      Descongelar a geladeira e verificar as borrachas de vedação regularmente

Iluminação

 

●      Utilizar iluminação natural ou lâmpadas econômicas e apagar a luz ao sair de um cômodo; pintar o ambiente com cores claras

Ferro de passar

●      Juntar roupas para passar de uma só vez

●      Separar as roupas por tipo e começar por aquelas que exigem menor temperatura

●      Nunca deixe o ferro ligado enquanto faz outra coisa

Aparelhos em stand-by

●      Retirar os aparelhos da tomada quando possível ou durante longas ausências

Comentários Facebook

Cáceres e Região

MPF pede informações sobre o consumo de oxigênio na região de Cáceres

Publicado

Assessoria GD

O Ministério Público Federal (MPF), por meio da unidade no município de Cáceres (MT), solicitou ao Escritório Regional de Saúde em Cáceres, ao Hospital São Luiz e às secretarias municipais de Saúde de Cáceres, Mirassol D’Oeste, Pontes e Lacerda e Comodoro informações sobre o consumo e a regularidade do abastecimento de oxigênio medicinal nas respectivas unidades de saúde.

Conforme despacho do procurador da República Bernardo Meyer, é notório o caos vivenciado em parte do país pela ausência de oxigênio nas unidades de saúde, após o substancial aumento no consumo do gás resultado, principalmente, do aumento do número de casos de contaminação pelo Sars-COV-2, de novembro de 2020 até janeiro de 2021.

Além disso, ressalta que “é de conhecimento de todos que a insuficiência de oxigênio gera consequências danosas como a morte de pacientes internados em hospitais ou em tratamento em home care ou graves sequelas causadas pela asfixia. Ademais, o problema é ainda maior pois tem o potencial de atingir indistintamente todas as pessoas internadas que dependem do oxigênio, independentemente se a causa da assistência médico-hospitalar for a covid-19”.

O procurador também ressalta que o estado do Mato Grosso vive atualmente novo crescimento de casos – fenômeno que vem ocorrendo em outros estados da Federação – em razão de diversos fatores, o que poderá resultar em um pico acentuado da doença, com o consequente aumento nos casos de assistência hospitalar e internações, resultando, eventualmente, em vertiginoso aumento no consumo de oxigênio medicinal. “A título ilustrativo, o painel analítico da covid-19 mostra que o Mato Grosso registrou 1.979 novos casos e 31 novos óbitos, com a respectiva média móvel de 1.310 casos e 17,5 mortes”.

Leia mais:   Enfermeira do Hospital Regional é a primeira profissional de saúde a receber a vacina contra o Covid-19 em Cáceres

Dessa forma, o MPF requisitou ao Escritório Regional de Saúde em Cáceres, ao Hospital São Luiz e às secretarias municipais de Saúde de Cáceres, Mirassol D’Oeste, Pontes e Lacerda e Comodoro, informações, com prazo de cinco dias para a resposta, acerca do consumo médio de oxigênio medicinal pelas unidades de saúde (m³) e a regularização do abastecimento e estoque de oxigênio medicinal para o provimento das respectivas unidades de saúde.

Solicitou aos destinatários, ainda, que seja realizado o monitoramento contínuo do estoque de oxigênio medicinal (na forma líquida ou gasosa), a fim de identificar substancial aumento no consumo – se comparado ao consumo médio -, potencial ou a iminência de falta de oxigênio medicinal (líquido ou gasoso). Em caso de potencial insuficiência ou iminente falta do referido oxigênio medicinal, devem notificar os responsáveis pelo reabastecimento com o intuito de manter o estoque regularizado e o normal fornecimento dos estabelecimentos de saúde.

Procedimento administrativo

Tramita no Ministério Público Federal em Cáceres o procedimento administrativo para acompanhamento de políticas públicas relacionadas às ações emergenciais e de enfrentamento da pandemia da covid-19. O objetivo é fiscalizar as medidas adotadas para a prevenção e tratamento da doença causada pelo vírus na área de atribuição da unidade.

Leia mais:   Cáceres recebe 955 vacinas, mas precisa de 10 mil só para quem está na linha de frente do coronavírus

Assim, em razão do aumento do número de casos verificado no estado de Mato Grosso e da elevada ocupação de leitos clínicos e de terapia intensiva (UTI), a triste e lamentável situação vivenciada pela população no estado de Amazonas e, mais recentemente, no Pará, em razão da ausência de oxigênio, e a necessidade de acompanhamento contínuo das medidas tomadas no enfrentamento da atual pandemia, o MPF em Cáceres requisitou, no bojo do mencionado procedimento, as informações sobre o consumo e a regularidade do abastecimento de oxigênio medicinal nas respectivas unidades de saúde.

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Fim de semana será de chuva e com alerta de temporais para 10 cidades

Publicado

Assessoria GD

A sexta-feira (22) amanheceu com céu encoberto e temperatura amena. O clima deve permanecer durante todo o fim de semana. Há alerta de temporais para 10 cidades.

De acordo com o Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos (Cptec), a mínima chega a 24°C e a máxima não passa de 34°C em Cuiabá. Não deve chover somente no sábado (23).Em Chapada dos Guimarães (67 km ao Norte), a mínima chega a 18°C e máxima a 30°C. Fim de semana chuvoso.A previsão do tempo para Cáceres (225 km a Oeste) é de termômetros marcando entre 22°C e 31°C. Deve chover nos próximos dias.Já em Sinop (500 km ao Norte), chove todos os dias e a temperatura varia de 21°C a 34°C.Chove todos os dias em Rondonópolis (225 km ao Sul) e os termômetros marcam entre 23°C e 33°C.

Confira cidades sob alerta

Alto Araguaia
Alto Taquari
Barão de Melgaço
Cáceres
Itiquira
Nossa Senhora do Livramento
Pedra Preta
Poconé
Rondonópolis
Santo Antônio do Leverger

Comentários Facebook
Leia mais:   Carreata 'Fora Bolsonaro' será realizada em Cuiabá neste sábado
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana