Eleições para reitor da Unemat ocorrem até no final de junho; cinco nomes estão colocados para a disputa

12286

Ariel Lopes Torres, vice-reitor, de Tangará da Serra; Anderson Amaral, pró-reitor de Extensão e Cultural, de Cáceres; Rodrigo Zanin, pró-reitor de Pesquisa e Pós Graduação, de Sinop; Vera Maquea, pró-reitora de Ensino e Graduação, de Cáceres e Celso Fanaia, pró-reitor de Assuntos Estudantis, de Cáceres. Um desses cinco nomes será o novo reitor da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat). A eleição, de acordo com o estatuto da universidade, deve acontecer até o final do mês de junho.

A data exata para a eleição ainda não está definida. Contudo, não deverá ultrapassar o mês de julho, para não coincidir com o período eleitoral nacional. Um Conselho Universitário – Consuni, previsto para ser realizado, ainda neste mês, é que irá definir o processo.

A princípio, será formada uma Comissão Eleitoral, que irá elaborar um edital com as regras da eleição. O novo reitor irá substituir a reitora Ana Maria Di Renzo, a partir de 1 de janeiro de 2019. O mandato é de quatro anos, sem direito a reeleição. O novo mandatário da universidade irá administrar um orçamento geral de cerca de R$ 360 milhões, anuais, o equivalente a 2.5% da corrente líquida do Estado. Apesar da proximidade do pleito, os nomes colocados preferem não se manifestar publicamente.

Na Unemat o voto é paritário, o que significa que cada segmento – docente, discente e técnicos administrativos -, representa um terço dos votos. O resultado da eleição será calculado sobre o número total de votos válidos em cada segmento.

Diante das constantes investidas, principalmente, de professores da região norte do Estado, em retirar a sede da reitoria de Cáceres e levar para Cuiabá. Inclusive, proposta nesse sentido, foi colocada em pauta no último Congresso Universitário realizado em novembro do ano passado, em Cuiabá, a perspectiva é de que haja um movimento de fora para dentro da universidade, no sentido de reforçar a candidatura de um nome local, com possibilidades reais, para concorrer e vencer e, consequentemente, inibir novas ações nesse sentido.

Fundada em 1978 como Instituto de Ensino Superior de Cáceres (IESC) a Unemat se tornou universidade em 1993. Sediada em Cáceres a Unemat é considerada uma das mais novas universidades estaduais do país. Além da sede, dispõe de 13 campus universitários; 23 núcleos pedagógicos e 24 polos de apoio ao ensino à distância. Possui 849 professores efetivos e 520 contratados, totalizando 1.369 docentes, dos quais 436 são doutores, 563 mestres e 370 graduados. São 634 profissionais técnicos e 22.593 estudantes.

Conta com 189 cursos de graduação (regulares e modalidades diferenciadas), dos quais 60 regulares/oferta contínua; 24 parceladas (especifico para formação de professores em serviço); 10 turmas fora da sede, 84 UAB, 4 indígenas e 4 Parfor. 17 mestrados, 11 doutorados, 392 projetos de pesquisas e 203 projetos de extensão.

Editoria – Sinézio Alcântara

1 Comentário

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here