conecte-se conosco


Destaque

DEU EM A GAZETA Porte de arma cresce 252% em Mato Grosso

Publicado

Assessoria

Mato Grosso está entre os estados que mais expediram registros de armas neste ano. Os números chegam a quase 2,5 mil no primeiro quadrimestre de 2020. Destes, 73%, o correspondente a mais de 1,8 mil, são para cidadãos. Comparando o mesmo período do ano passado, quando totalizaram 517 pedidos em 4 meses, o número de pessoas físicas com registros de porte de arma aumentou em 252%.

Os dados foram fornecidos pela Polícia Federal, responsável pelo controle de armas para pessoas físicas, segurança pública, segurança privada, órgão público e outros. De 2015 para 2019, o aumento de registros de armas por pessoa física no Estado foi de 30%, saindo de 1,7 mil para 2,3 mil. Para o sociólogo Naldson Ramos, o ideal é que não se tenha armamento em casa, sendo dever da segurança pública proteger o cidadão. Suicídio, acidentes com crianças e homicídios também são citados como reflexos de armamento em casa.

Naldson pondera que há um discurso muito forte de insegurança e, por isso, as pessoas querem se armar. Tanto que a arma tornou-se um objeto de desejo de muitas pessoas e traz o fetiche da segurança pessoal. Naldson frisa ainda que a flexibilização do Estatuto do Desarmamento, para que todos pudessem ter uma arma, foi uma das promessas do presidente Jair Bolsonaro.

“Mas ‘este todos armados’ é uma propaganda enganosa, pois por menos de R$ 8 mil a R$ 10 mil não consegue legalizar uma arma”, complementa Naldson.

O sociólogo reforça que o aumento de armas é preocupante, sendo também é o primeiro bem a ser subtraído pelo bandido. “A arma dentro de casa representa um perigo para própria família, na medida que crianças podem ter acesso a ela. Com a arma de fogo as pessoas se sentem encorajadas para suicidar”, avalia.

Leia mais:   Aposentados com benefício aprovado até 30 de junho de 2020 devem realizar recadastramento

Falta rigor na fiscalização

Falta de rigor nas fiscalizações para armamento é uma das fragilidades apontadas pelo presidente da Comissão de Direito Penal e Processo Penal da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Mato Grosso (OAB/MT), Leonardo Bernazzolli. O advogado salienta que o Estado nunca possuiu mecanismos de controle. Se aumentou a possibilidade de armamento, precisa melhorar o rigor nas fiscalizações, o que não se observa, para ele. As condições subjetivas de estabilidade emocional e o laudo de aptidão técnica para utilizar a arma continuam prevalecendo desde a época da concessão.

“O fato é que o aumento de armas preocupa porque temos conhecimento de que a concessão é muito restrita e o acompanhamento não é um dos melhores. Concede um título para o cidadão durante 10 anos e o Estado nunca apresentou mecanismo de controle”, afiança.

Bernazzolli lembra que anterior ao Estatuto do Desarmamento, lei de 2003 para coibir uso da arma, havia o apontamento para o grande número de acidentes domésticos e crimes por discussão em trânsito. E esses registros tendem a crescer ainda mais. “O Estatuto não deu certo, precisa ser repensado, retirou a arma da população e o crime organizado continuou armado. Mas devolver a arma a todo vapor para a população sem qualquer critério ou fiscalização é um caminho perigoso”, diz.

O advogado aponta que Mato Grosso figura entre os que mais apresentam pedidos de armas como reflexo dos decretos apresentados pelo presidente Jair Bolsonaro. As normas trazem elastecimento do rol de cidadãos que podem portar arma de fogo, entre eles os fazendeiros e produtores rurais. Por Mato Grosso ser um estado que economicamente vive da agropecuária, os registros aumentaram.

Leia mais:   Companhia Independente de Força Tática de Cáceres inaugura nova sede

Preparo a partir de R$ 450

Proprietário de lojas de armas e instrutor de tiros, Raphael Eubank destaca aumento na procura por armas e cursos de preparação. Com investimento a partir de R$ 450, os cursos vão desde tiro prático a tiro de defesa, com várias ramificações. Os alunos são preparados com noções básicas de balística, funcionamento do armamento e regras de segurança. Essas preparações são essenciais para quem deseja possuir um armamento em casa.

Para Eubank, é exatamente a falha na segurança pública que tem feito com que a população em Mato Grosso busque pelos portes de armas. Entre os apontamentos está o aumento da insegurança e, por outro lado, o governo que não consegue suprir a demanda. Eubank pondera que as armas, nas mãos de cidadãos, com o registro, possibilitam saber onde as mesmas se encontram.

Reforça que o cidadão já podia adquirir uma arma registrada para defesa, porém, só com a divulgação do assunto aumentou a procura.

“O aumento é considerável, já que estamos tendo maior criminalidade, o cidadão de bem está cansado de esperar que o governo ofereça segurança e quer ter o direito de se defender”, diz.

O empresário lembra que uma das exigências para aquisição de arma de fogo é um local de guarda (cofre) impossibilitando, assim, o acesso a outras pessoas que não sejam o proprietário. Afirma que os acidentes domésticos que acontecem com crianças, por exemplo, são com armas sem registros. Acredita que esses tipos de acidentes são mais comuns por ferimentos com facas, atropelamento, espancamento.

Comentários Facebook

Cáceres e Região

Com maior número de votos entre os reeleitos, Pastorello diz que o povo soube julgar

Publicado

Sinézio Alcântara – Expressão Notícias

            Com 684 votos, maior número de aceitação popular entre os reeleitos, o vereador Cesare Pastorello (Solidariedade), diz que o povo soube julgar. Afirma que o Pastorello de 2020, não é igual ao Pastorello de 2016. Entrevistado pelo sie Expressão Notícias, ele diz que neste mandato tem a obrigação de fazer mais porque adquiriu mais experiência. Destacou que manterá o mesmo posicionamento de independência, em relação a administração, e que não ficará “em cima do muro” pois quem se omite já está do lado errado.

            Sobre a fórmula de ser um dos mais votados, em uma eleição onde apenas quatro vereadores se reelegeram, Pastorello diz que focou em usar as redes sociais para divulgar os trabalhos realizados durante os últimos quatro anos. “Fiz uma campanha totalmente diferente de todos os demais. Sem fazer nenhum arrastão ou visita a eleitores, foquei em usar as redes sociais e divulgar os trabalhos realizados”.

Ressaltou que “o candidato à reeleição não tem que criar expectativa e nem prometer nada. Tem que mostrar o que fez, como se posicionou, e deixar a população decidir se aprovou o modelo ou não. E, para isso, eu apenas disponibilizei nas redes sociais o meu trabalho. O resultado foi a aprovação, tanto que sem fazer reunião na casa de ninguém, nem arrastão e nem porta a porta, tive a 4ª maior votação no geral e a primeira entre os reeleitos. Ou seja, eu confiei no julgamento do povo, e o povo soube julgar”

Ao contrário de a maioria Cesare diz que não teve gastos excessivos para se reeleger: “não contratei nenhum cabo eleitoral, não gastei gasolina e nem material excessivo. Porém, tive uma coisa que me valeu todo o mandato: voluntários, que fizeram toda a distribuição dos nossos kitizinhos, que deram nosso nome para os amigos, que compartilharam nossas publicações. Chegar ao fim de um mandato e se sentir querido, até por pessoas que eu nunca vi, foi uma das coisas mais emocionantes da minha vida”

Leia mais:   Companhia Independente de Força Tática de Cáceres inaugura nova sede

Afirmou que fará ainda mais neste mandato porque adquiriu experiência. “O Pastorello de 2020 não é mais o Pastorello de 2016. Meus princípios são os mesmos, a seriedade com a coisa pública é a mesma e o ideal de fazer pelo coletivo, igual. Porém, a vontade e a disposição são muito maiores agora. Neste mandato tenho a obrigação de fazer mais do que no primeiro, pois tenho a experiência. O povo, insatisfeito com a política, em modo geral, sempre fala em renovação para melhorar. Não vejo assim. Na vida pública, deve haver é um melhoramento da qualidade representativa.”

Ao contrário de a maioria ele diz não ter a ambição de presidir a Câmara. “Eu nunca entendi, sob o ponto de vista republicano, essa vontade que têm alguns parlamentares para ocupar presidência, seja na Câmara ou na Assembleia. Eu entendo que é um cargo que exige conhecimento e experiência, pois além de ser vereador, o presidente ainda exerce a “gerência” sobre a Câmara. E essa gerência administrativa é traiçoeira.”

Entre os projetos para a nova legislatura destacou a modernização do Código Tributário: “Tenho vários projetos para a próxima legislatura, claro. Como disse, não fiz “campanha” com os projetos porque eu tive uma grande produção legislativa para mostrar. Mas, na nossa pauta estão a modernização legislativa dos nossos códigos, principalmente o Tributário e o de Obras e Posturas, além de um projeto que eu tenho de aproximar o cidadão das ações de fiscalização. O cidadão tem que parar de bater palmas em inauguração e cobrar porque a pia está torta. Serviço público não é favor, é obrigação, e vamos trabalhar essa conscientização.”

Leia mais:   Órgãos e entidades ligadas ao setor educacional se reúnem para dialogar sobre políticas públicas

Reafirmou a proposta de defender os direitos do servidor público. “Como eu não me canso de dizer, o cidadão tem direito a um serviço público condizente com os altos impostos que paga. E para ter serviço público de qualidade o servidor público tem que ser reconhecido e valorizado. Então, na nossa pauta está a regularização da situação de alguns cargos públicos como os Agentes de Saúde, Auxiliares de Desenvolvimento Infantil, horas atividade dos interinos, insalubridade e periculosidade de quem tem direito, dsr, etc… E tenho certeza que vamos avançar muito mais nessas pautas com a nova administração e os novos colegas de parlamento.”

Em relação a prefeita eleita Eliene Liberato Dias disse que irá atuar de forma independe mas que pretende ajudar na solução dos problemas.“Eu já me ofereci à prefeita eleita, Eliene, para ajudar, no que puder, na sua transição, inclusive, com a minha visão, pelo lado de vereador, dos principais problemas a serem enfrentados. Além disso, pessoalmente pedi que ela averiguasse, com a sua equipa, a LOA/2021 que está para ser apreciada e aprovada na Câmara. Meus votos são de que a administração dê certo e seja boa pro meu povo. Jamais eu iria torcer contra.

Destacou a pecha de vereador de oposição. “Esse conceito de “situação ou oposição” é da velhíssima política. Eu só tenho um lado, é o do povo. Naquilo que eu entender ser bom para o povo, para a cidade, a administração vai ter meu total apoio, defesa e empenho. No que for onerar ou prejudicar a população, vai receber o mesmo tratamento que a atual recebeu nessas questões. A única coisa que a população nunca vai me ver é omisso ou em cima do muro. Quem se omite já está do lado errado.

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Unemat inaugura hoje o Centro de Inovação e Redes Inteligentes

Publicado

Assessoria
A Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) inaugura nesta sexta-feira (27) o Centro de Inovação Redes inteligentes e Soluções Criativas (Risc). O prédio localizado no Câmpus Jane Vanini, no centro de Cáceres, com cerca de 450 metros quadrados de área construída segue um conceito sustentável, todo feito com conteiners, é fruto de parcerias com diversos entidades e empresas.
O coordenador do Risc, professor Robson Gomes de Melo, explica que a construção do espaço físico foi possível graças a aprovação de projetos desenvolvidos por professores ligados ao Centro que acabaram gerando parcerias e convênios com entidades e órgãos públicos como a Prefeitura Municipal de Cáceres  e Caixa Econômica Federal com a intermediação da Fundação de Apoio ao Ensino Superior Público Estadual (Faespe).  “Esse prédio totalmente sustentável, com construção mais rápida e barata já que utiliza materiais reciclados. Além disso, as parcerias permitiu uma construção sem que impactássemos os recursos da universidade”, afirma.
O novo espaço que está sendo inaugurado nesta sexta-feira é um ambiente destinado a promoção da inovação, tecnologia e empreendedorismo . A ideia é que o espaço atenda não só a comunidade acadêmica, mas também a comunidade externa. “Após esse período de pandemia, esperamos que a sociedade possa nos procurar para que possamos dar auxilio, assessoria, e fazermos o trabalho de mentoria,  de incubação  de projetos e fomento ao empreendedorismo e a inovação tecnológica para a comunidade local. Então o foco é promover e desenvolver tecnologia, inovação e soluções  tecnológicas que possam ser utilizadas por empreendedores local e comunidade acadêmica”, diz o professor Robson.

Leia mais:   Com maior número de votos entre os reeleitos, Pastorello diz que o povo soube julgar

Estrutura física: 

O Risc, tem cerca de 450 metros quadrados área construída, e cerca de 400 metros quadrados de área externa. O espaço conta com um auditório com capacidade para até 100 pessoas; laboratório de desenvolvimento, que vai permitir até 30 pessoas trabalhando;  sala de reunião e vídeo conferência;  sala de uso compartilhado, uma espécie de co-working para atendimento a comunidade que necessita de atendimento e mentoria; sala para orientações e atendimento individualizado, além de uma sacada ou área de descompressão, destinada a atividades mais recreativas. , uma espécie de terraço.

Atendimento: 

O Risc também será o ponto de apoio ao empreendedorismo e Inovação da mesorregião centro-sul de Mato Grosso, que compreende 17 municípios. O local servirá como ambiente físico e virtual de incentivo à inovação e ao empreendedorismo para a promoção, o desenvolvimento e a realização de negócios e empreendimentos inovadores em redes inteligentes e soluções criativas.

“Esse atendimento que se estenderá para além da população de cáceres, mas deve beneficiar moradores de 17 cidades só é possível, graças ao financiamento de um projeto inovador pela Fundação de Amparo a Pesquisa de Mato Grosso, que abriu edital específico para as diferentes regiões de Mato Grosso a fim de apoiar os empreendedores,  principalmente no  almejam no período pós-COVID19”, explica.

Leia mais:   Desde o início da pandemia 124 pessoas foram a óbitos pelo Covid-19 em Cáceres
Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana