conecte-se conosco


Estadual

Desfile de crianças que aguardam adoção é alvo de críticas em MT; evento dá chance a jovens tidos como ‘invisíveis’, diz organização

Publicado

Por Flávia Borges, G1 MT

Um desfile de crianças e adolescentes de 4 a 17 anos que aguardam adoção promovido em um shopping de Cuiabá nesta terça-feira (21) foi alvo de críticas nas redes sociais. A Associação Mato-grossense de Pesquisa e Apoio à Adoção (Ampara), que organizou o evento, defendeu a iniciativa, citando que ela promove a “convivência social” e “mostra a diversidade da construção familiar”.

O desfile, que aconteceu pela segunda vez e faz parte das ações ligadas à Semana da Adoção, foi feito em parceria com a Comissão de Infância e Juventude (CIJ) da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Mato Grosso (OAB-MT).

A realização foi autorizada pela juíza Gleide Bispo Santos, da 1ª Vara Especializada da Infância e Juventude de Cuiabá.

Ao G1, a presidente da Ampara, Lindacir Rocha, disse que o projeto dá aos jovens a oportunidade de integrar uma convivência social “em um mundo que os trata como se fossem invisíveis”.

Segundo ela, será realizada uma exposição fotográfica com as crianças e adolescentes, com o objetivo de mostrar também a diversidade da construção familiar por meio da adoção.

Em nota, a Ampara informou: “A OAB-MT e a Ampara repudiam qualquer tipo de distorção do evento associando-o a períodos sombrios de nossa história e reitera que em nenhum momento houve a exposição de crianças e adolescentes”.

O trecho é uma referência a críticas em redes sociais feitas pelo advogado e membro da Academia Mato-grossense de Letras Eduardo Mahon, que comparou o desfile às antigas feiras em que escravos era comercializados (leia mais abaixo).

“Crianças e adolescentes que desfilaram o fizeram na companhia de seus ‘padrinhos’ ou com seus pais adotivos. A realização do evento ocorreu sob absoluta autorização judicial conferida pelas varas da Infância e Juventude de Cuiabá e Várzea Grande, bem como o apoio do Poder Judiciário”, acrescenta o texto.

‘Adoção tardia’

Em novembro de 2016, quando a primeira edição do desfile foi realizada, dois adolescentes foram adotados.

Lindacir Rocha cita ainda a questão da adoção tardia, que faz com que sejam urgentes medidas como a Semana da Adoção, que tornam público o que ela considera um problema social.

O Relatório de Dados Estatísticos do Cadastro Nacional de Adoção do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) informa que, no Brasil, 8,7 mil crianças e adolescentes aguardam por uma família.

Shopping diz repudiar ‘objetificação de crianças e adolescentes’

Em nota, o shopping onde foi realizado o desfile afirma que repudia a objetificação de crianças e adolescentes e esclarece que o único intuito em receber a ação foi contribuir com a promoção e conscientização sobre adoção e os direitos da criança e adolescente com palestras e seminários conduzidos por órgãos competentes que possuem legitimidade no assunto.

O shopping afirma que a ação foi promovida pela Ampara em parceria com Comissão de Infância e Juventude (CIJ) da OAB-MT e reitera que o evento contou ainda com o apoio do Ministério Público Estadual (MPE), Poder Judiciário de MT, governo estadual, Secretaria Estadual de Assistência Social e Cidadania, Sindicato dos Oficiais de Justiça, Associação Nacional do Grupo de Apoio à Adoção e Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente, além do Tribunal de Justiça do Mato Grosso.

Leia mais:   Sefaz aponta crescimento de quase 20% na receita tributária de MT nos 4 primeiros meses de 2020
Comentários Facebook

Destaque

MT ultrapassa 70 mil casos da covid-19 e 2,3 mil óbitos

Publicado

Novo boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), nesta quinta-feira (13), aponta que Mato Grosso registrou 38 mortos nas últimas 24 horas. Além disso, a atualização sinaliza que o estado ultrapassou os 70 mil casos de contágio pelo novo coronavírus.

De acordo com balanço, o estado notificou 1.623 novos casos de contágio e já contabiliza mais de 2,3 mil mortes pela doença. Contudo, cerca de 2,4 mil amostras aguardam para serem analisadas pelo Laboratório Central do Estado.

Leia também – Professora aposentada morre vítima do novo coronavírus

Cuiabá, Várzea Grande e Rondonópolis ainda são as cidades mato-grossenses mais afetadas pela pandemia. Contudo, Tangará da Serra, Sorriso, Sinop, Primavera do Leste, Nova Mutum e Campo Novo do Parecis também têm apresentado índices alarmantes.

A taxa de ocupação das Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) é de 72,3%, com 280 internações. Já as enfermarias estão com 270 em uso, o que equivale a uma taxa de ocupação de cerca de 30%.

Leia mais:   Cáceres na Rota do Turismo Equestre.

Nacionalmente, o Ministério da Saúde já computou mais de 3,1 milhões de contágios pelo novo coronavírus, dos quais em pouco mais de 103 mil casos os pacientes não resistiram e morreram por conta de complicações da doença.

Dentre as recomendações mais frequentes emitidas pelas autoridades sanitárias competentes para combate ao espalhamento da covid-19 está a lavagem constante das mãos, evitar o contato direto com pessoas infectadas e tampar boca e nariz ao tossir ou espirrar.

GD

Comentários Facebook
Continue lendo

Estadual

Corte de energia em MT poderá ser novamente suspenso

Publicado

O projeto de lei nº 652/2020, que pretende suspender novamente o corte de energia durante a pandemia da covid-19, poderá ser colocado em votação na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (AL). A suspensão do serviço por dívidas atrasadas no estado foi retornada no dia primeiro deste mês após um intervalo de meses.

De acordo com o presidente da AL, deputado Eduardo Botelho (DEM), o PL de sua autoria visa garantir às famílias de baixa renda a seguridade na manutenção do serviço básico de distribuição de energia elétrica, uma vez que o orçamento desta parcela da população foi amplamente afetado durante a pandemia.

Leia também – Professor morre de covid-19 após mais de duas semanas internado

Na manhã desta segunda-feira, Botelho disse que a proposta já está sendo avaliada nas comissões e que poderá ser votada ainda nesta semana. Sob a premissa de garantia do serviço fundamental, o projeto deverá contar com ressalvas para o público a que se dirige, garantindo que aqueles que tenham condições de pagar as dívidas continuem arcando com as despesas junto à concessionária de energia.

Leia mais:   Cáceres diminui número de mortes e internações após distribuição de kit-covid, diz Francis

“Tem gente que consegue pagar, que pague então. Tem gente que tem auto consumo. Estes então têm que pagar. Agora, aquele consumidor de baixa renda, que está desempregado, este sim vamos fazer esse projeto para que essas pessoas que estão em isolamento e não podem ficar sem energia neste momento”, disse o presidente da ALMT.

Além do PL que tramita na Casa de Leis, uma proposta semelhante também é avaliada no Senado. Contudo, de acordo com Botelho, a proposta de Mato Grosso deverá ser aprovada antes do projeto nacional, por questão da tramitação mais rápida a nível estadual.

GD

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana