conecte-se conosco


Destaque

Descaso: Hidrovia do Rio Paraguai está paralisada há mais de uma década

Publicado

Embora seja um dos modais de transporte mais viáveis no mundo, por uma série de fatores, principalmente, pela economia, levando em conta que o valor do frete, pode chegar a até 60% mais barato que, o transporte pela rodovia, à hidrovia Paraguai/Paraná, através do porto de Cáceres, está desativada há quase uma década. Apesar de dispor de dois terminais – um público e outro privado -, há mais de 10 anos, não se realizada um único embarque de cargas nos terminais. O último carregamento ocorreu em fevereiro de 2009.

Enquanto os equipamentos dos terminais se enferrujam na estrutura a margem do rio, a produção de milhares de toneladas de grãos, principalmente, soja, milho, trigo e algodão, além de madeiras a maioria produzidos na região da chamada Grande Cáceres, composta por 23 municípios do Oeste do Estado, são transportados em centenas de caminhões, milhares de quilômetros até chegar aos portos de Santos ou Paranaguá, estado de São Paulo, deteriorando asfalto, castigando ainda mais as já surradas rodovias.

A posição geográfica da hidrovia é estratégica. Ela começa em Cáceres,atravessa 4.122 quilômetros até Nueva Palmira, no Uruguai. É uma via fluvial que percorre cinco países: Argentina, Bolívia, Brasil, Paraguai e Uruguai, passando pelas cidades de Corumbá-MS e Assunção, capital do Paraguai. De toda a extensão da hidrovia, 1.270 quilômetros passam por território brasileiro ou por suas fronteiras, sendo 890 km no interior do Mato Grosso do Sul, 48 km na fronteira com a Bolívia e 332 km na fronteira com o Paraguai.

Leia mais:   Sétima reunião da CCJR analisa 13 matérias

De acordo com o auditor Fiscal Federal Agropecuário aposentado do Ministério de Agricultura, Natanael Ferrarezi, entre os anos de 2003 a 2009, foram transportados milhares de toneladas de grãs por esse modal. Com destaque para o ano de 2006, quando desceu pelo rio, em várias barcaças 206 mil toneladas de grãos, especificamente, soja, milho e farelo de soja. O que proporcionou um ganho de U$ 36 milhões na balança comercial. Gerando além de divisas para o país, estado e município, centenas de postos de trabalho direta e indiretamente.

A desativação dos terminais ocorre por vários fatores, entre eles a questão burocrática pela falta de ação política. Mesmo, a concessão pública do terminal seja do Estado de Mato Grosso, os últimos governos, não deram lá muita importância ao transporte pela hidrovia.

O engenheiro Adilson Reis, especialista no ramo, diz que para operacionalidade do terminal portuário serão necessárias várias ações: desde renovação de licenciamento ambiental, processo de prevenção e combate a incêndio e pânico junto ao Corpo de Bombeiros, o cumprimento de Normas do SPU (Patrimônio da União), Processo de Alfandegamento junto à Receite Federal, licenciamento junto à Agência Nacional de Transportes Hidroviários-ANTAQ, entre outros.

Francis reivindica a concessão do porto

 e distrito indústria para o município

Diante da inércia do governo estadual, o prefeito Francis Maris Cruz vem mantendo contatos com políticos e representantes do governo federal na tentativa de conseguir uma cessão de transferência do terminal portuário público para o município. Francis pleiteia que, o governo federal, realize uma transferência no mesmo molde em que foi feito para o Estado, em favor do município. Além do porto, Francis deseja a administração do Distrito Industrial que também pertence ao governo.

Leia mais:   Famílias que vivem próxima a barragem em Bom Jesus do Araguaia estão expostas a risco

A proposta da administração municipal será para que, de posse da cessão de transferência, viabilizar um acordo com a iniciativa privada para fazer o porto funcionar. Para isso, conforme o prefeito, já conta com duas empresas com know-how no ramo, interessadas a “tocar” o terminal. O Grupo Centro Oeste, o mesmo que está construindo o terminal de Paratudal, nas proximidades da  localidade da Barranco Vermelho a multinacional paraguaia “Panchipa”. Assim como os especialistas no assunto, o prefeito vê na hidrovia um grande salto econômico para a região.

Cláudio Henrique e Valdeníria

se reúnem com deputados

Alguns representantes do Poder Legislativo também tem se manifestado a favor do assumo. Na semana passada, os vereadores Cláudio Donatoni e Valdeníria Ferreira, se reuniram com deputados estaduais Dilmar Dal Bosco e Carlos Avalone pra tratar tanto do Porto quanto do Distrito Industrial e o Porto. A intenção dos vereadores é iniciar os trâmites para municipalizar o Distrito Industrial que hoje está em poder do Estado.

Segundo o vereador, a iniciativa pode trazer investidores para a cidade. “Isso vai nos possibilitar criar um próprio programa de incentivo e atração de empresas para virem se instalar em Cáceres. Hoje nós só temos áreas urbanas para oferecer à iniciativa privada e essa expansão beneficiária muito nosso município, possibilitando inclusive uma maior área pro chão de fábrica”, afirma Donatoni.

Editoria – Sinézio Alcântara

Comentários Facebook

Destaque

Reconhecimento – Gefron homenageia parceiros da atividade operacional na fronteira

Publicado

A Medalha Mérito Policial de Fronteira foi entregue para militares, civis e autoridades como agradecimento as ações positivas em prol do grupamento.

Sessenta pessoas, entre policiais civis, militares e autoridades, receberam na noite desta segunda-feira (22), a medalha Mérito Policial de Fronteira. A honraria é um reconhecimento ao trabalho realizado em prol do grupamento, que atua nos 983 km de fronteira com o Brasil e a Bolívia. A solenidade foi realizada no Salão Nobre Cloves Vettorato e contou com a presença do governador, Mauro Mendes, que também foi um dos homenageados.

Em sua fala, o chefe do Executivo destacou que em três meses ainda fez pouco pelos profissionais que atuam na fronteira, mas ressaltou que para os próximos anos vai contribuir para melhorar ainda mais a atividade operacional.

“Este reconhecimento hoje é para aquelas pessoas que já contribuíram e ainda vão contribuir para a atividade na fronteira. Estou honrado em receber esta medalha e quero poder fazer mais por estes profissionais”, enfatizou.

A entrega de medalhas encerra as atividades em comemoração ao aniversário de 17 anos de atuação do Grupo Especial de Segurança na Fronteira (Gefron), que é celebrado no dia 13 de março. A programação começou com o 5º Torneiro de Tiro seguido da corrida kids e adulto. Todas as programações foram voltadas para as unidades que integram as ações de segurança na fronteira, Polícia Militar, Polícia Judiciária Civil, Corpo de Bombeiros Militar, Politec, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Federal, Exército Brasileiro e Marinha.

Leia mais:   Campanha Escola Segura pretende alcançar mais de 5 mil alunos na capital e interior

“Esta solenidade fecha com chave de ouro a programação de aniversário. A entrega de medalhas é em homenagem para aquelas pessoas que desempenham funções que fortalecem o grupamento, seja ela na atividade operacional ou na administração. A tropa que está na fronteira atua diuturnamente para o enfrentamento à criminalidade”, destacou o coordenador do Gefron, tenente-coronel PM José Nildo de Oliveira.

Já o secretário chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, ressaltou os resultados obtidos pelos profissionais no primeiro trimestre do ano. “O Gefron tem feito um trabalho espetacular. Somente neste primeiro trimestre foram apreendidas mais de uma tonelada de drogas. Este resultado nos dá muito orgulho e é reflexo de um trabalho desempenhado com muito afinco e engajamento”, frisou.

Entre os homenageados estavam o secretário de Estado de Segurança Pública, Alexandre Bustamante dos Santos,  delegado geral da Polícia Judiciária Civil, Mário Dermeval Aravechia de Resende, o comandante do Corpo de Bombeiros Militar, coronel BM Alessandro Borges Ferreira, a juíza de direito, Ana Cristina Mendes, diretor geral da Politec, Rubens Sadao Okada, o delegado da Polícia Federal, Diógenes Curado, dentre outros.

Leia mais:   IFMT Cáceres realiza seminário sobre Carreiras e Empregabilidade do Curso de Tecnologia em Biocombustíveis

“O Gefron é uma força que é modelo nacional. Atualmente é responsável pelo patrulhamento na fronteira no estado de Mato Grosso com a Bolívia e tem os maiores índices de apreensão de drogas no Brasil, alto índice de recuperação de veículos e carga roubada. Ser homenageado por este grupamento é uma honraria muito interessante que só nos envaidece”, destacou o secretário de Segurança Pública, Alexandre Bustamante.

Atividade operacional

O Gefron passou a operar na repressão aos crimes transfronteiriços em 13 de março de 2002. Os 140 policiais realizam patrulhamentos pelas rodovias, estradas vicinais, operações, barreiras fixas e volantes na repressão ao tráfico de drogas, contrabando e descaminho de bens e valores, evasão de divisas e roubos de veículos.

A base operacional do Grupamento fica no município Porto Esperidião. Outros pontos de fiscalização estão distribuídos na região do Matão (no município de Pontes e Lacerda), Vila Cardoso, Avião Caído (em Cáceres), Canil Integrado (Cáceres), além da sede administrativa que fica na Sesp, em Cuiabá.

Hérica Teixeira | Sesp-MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Destaque

IFMT Cáceres realiza seminário sobre Carreiras e Empregabilidade do Curso de Tecnologia em Biocombustíveis

Publicado

Com o propósito de orientação sobre os critérios a serem observados para ingresso no mercado e no mundo do trabalho, o Instituto Federal de Mato Grosso, IFMT Campus Cáceres Prof. Olegário Baldo, por meio da coordenação do curso superior de Tecnologia em Biocombustíveis realizou na última semana o I Seminário de Carreiras e Empregabilidade para acadêmicas e acadêmicos do curso.

A palestra de abertura contou com a colaboração da psicóloga Matilde Aristeti da Silva que alertou sobre posturas a serem adotadas em entrevistas de emprego. A partir de abordagens sobre critérios avaliados em Recursos Humanos para seleção de pessoal, a palestra propiciou espaços de reflexões sobre autoestima, autoconhecimento, relações interpessoais, assédio e saúde mental, entre outras temáticas.

De acordo com a coordenadora do curso de Tecnologia em Biocombustíveis, professora Isabel Fraga, mestra em Engenharia Química, o evento foi pensado para atender a demanda apresentada pelo corpo discente do curso com toda a programação “baseada nas angustias e dúvidas dos alunos”.

Em meio as atividades, foram desenvolvidos cursos práticos ofertados por mestres e doutores do quadro docente de Tecnologia em Biocombustíveis do campus com a utilização dos recursos de informática disponíveis no laboratório de Geoprocessamento. Além do contexto de processos imediatos de empregabilidade, com orientações e práticas de uso de plataformas virtuais e a sua relação com mercado de trabalho, o seminário abordou possibilidades de formação de carreiras em nível de mestrado para as pessoas interessadas em aprofundamento na vida acadêmica com apresentação de programas de pós-graduação stricto sensu que estão com seleções abertas para o segundo semestre de 2019. O evento possibilitou também capacitação sobre normas técnicas para produções acadêmicas e de acesso a periódicos internacionais.

No que tange à utilização de plataformas virtuais, o professor Cristian Jacques Bolner de Lima, doutor em Engenharia Química com pós-doutorado em Microbiologia Industrial ofertou o curso prático sobre acesso e preenchimento da plataforma lattes. Na ocasião, as pessoas participantes tiraram dúvidas e exercitaram a elaboração e atualização do currículo lattes, além de aprofundarem as informações sobre essa plataforma virtual do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) que reúne em um único sistema, base de dados de grupos de pesquisa, currículos de estudantes e pesquisadores e instituições de todo o país, na área de ciência, tecnologia e inovação.

Ainda no eixo intitulado “Plataformas Virtuais e o Mercado de Trabalho”, a professora Mônica Elizabeth Craveiro Theodoro, química e mestra em Ensino de Ciências ofertou o curso prático de como se conectar ao mercado de trabalho por meio da plataforma Linkedin e orientou com a realização de exercícios práticos a elaboração do currículo vitae – um importante instrumento de apresentação do perfil profissional na demonstração de habilidades e competências para empresas e outras instituições. A docente ministrou ainda a capacitação sobre acesso à plataformas de periódicos internacionais.

Nas intervenções voltadas à capacitação em normas técnicas, a professora Cláudia Roberta Gonçalves, doutora em Biotecnologia, ofertou o curso prático em escrita de Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) com base nas normas técnicas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Em outra atividade, a docente que é integrante de corpo editorial e revisora de periódico da área de ciência e tecnologia e já participou de mais de 60 bancas de avaliação de monografias e dissertações, realizou oficina a partir de avaliações sobre TCCs de egressos do curso de Tecnologia em Biocombustíveis com a identificação de erros e acertos na organização dos trabalhos e na aplicação das normas.

Além das acadêmicas e acadêmicos de Biocombustíveis, participaram do evento, discentes do curso superior de Engenharia Florestal e do Curso Técnico em Agropecuária. A atividade de abertura e recepção da primeira edição do seminário realizada no Centro de Capacitação do IFMT Cáceres, contou com a presença de docentes e coordenação do curso de Tecnologia em Biocombustíveis, do coordenador-geral de ensino do campus, professor Marcos Aparecido Pereira e do coordenador do curso de Técnico em Agropecuária, Juberto Babilônia. 

Edna Pedro  DRT RJ 5056/2001
Assessoria de Comunicação
IFMT/Campus Cáceres – Prof. Olegário Baldo
(65) 3221-2631
Comentários Facebook
Leia mais:   Prefeito em MT vira réu por desviar energia de prédio público para obra própria
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Entretenimento

Mais Lidas da Semana