conecte-se conosco


Geral

DEM prioriza Adriano Silva à Câmara Federal

Publicado

Com a reviravolta de última hora, resultando na desistência do deputado Fabinho do projeto de reeleição e entrada deste como 1º suplente de Jayme ao Senado, o DEM escalou para concorrer à Câmara o ex-reitor da Unemat, professor Adriano Silva, de Cáceres.

Em princípio, Adriano relutou, pois vinha trabalhando candidatura a deputado estadual.

Foi preciso uma negociação direta com o presidente nacional do DEM, ACM Neto, para Adriano topar o desafio.

O partido se comprometeu a priorizá-lo, inclusive com recursos do fundo partidário e campanhas massificadas em praticamente todos os municípios, já que o DEM é bem estruturado em seus diretórios locais.

Nessa onda, é possível que Adriano tenha boa votação.

Hoje suplente na AL e no palanque de Mauro Mendes, Adriano vai disputar voto direto com o colega deputado cacerense, o médico Leonardo Albuquerque (SD), que concorre à Câmara no bloco do governador Taques.

O chapão de Adriano, com DEM, MDB, PDT e PSD aposta na conquista de 4 das 8 vagas.

Por RDNEWS

Comentários Facebook
Leia mais:   Silvio Fávero quer isenção de Guia de Trânsito Animal às APAE’s

Cáceres e Região

IFMT Campus Cáceres realiza I Encontro de Agropecuária

Publicado


Com o objetivo de promover integração entre os cursos técnicos em Agropecuária e fomentar discussões sobre temas que tenham relevância para a formação técnica, profissional e cidadã dos estudantes, o Instituto Federal de Mato Grosso, IFMT Campus Cáceres – Prof. Olegário Baldo realiza o I Encontro de Agropecuária do campus. O evento teve abertura na manhã desta quarta-feira (13.03) e estenderá a programação até a sexta- feira (14.03), com conferencias, mesas redondas e espaços culturais.

Na abertura, presidida pelo diretor-geral do campus, professor Salmo César da Silva, foi destacado o protagonismo das alunas e alunos de Agropecuária na iniciativa da realização do evento que, nas palavras de Salmo, “fortalece o ensino e a extensão” ao trazer experiências e contribuições do mundo do trabalho para o cotidiano da formação.

O coordenador-geral do EAGRO, professor Juberto Babilônia Sousa, doutor em geografia e mestre em agronomia com ênfase em Solos e Nutrição de Plantas, apresentou um panorama nacional sobre a importância da Agropecuária para em economia e, de modo particular, para a alimentação das pessoas. ” Se formos pensar a agricultura familiar ela produz 80 % da comida do nosso país e representou nesse último ano, 13 % do PIB ( Produto Interno Bruto). A pecuária brasileira no último ano, cresceu em torno de 13 % e, de acordo com o IMEA (Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária), o agronegócio representou em torno de 21 % do PIB no Brasil”, afirmou o coordenador, ao destacar o papel do Técnico em Agropecuária:

“São números que expressam essa dimensão e essa extensão da agropecuária no nosso país e, é por essa razão que temos que valorizar a formação técnica de vocês”, afirma Sousa.

O professor que é coordenador do curso Técnico Subsequente em Agropecuária enfatiza também a contribuição do campus com a formação para o mundo do trabalho, em seus 39 anos de atuação, e das amplas ofertas de contratações de formandos na área. “nós temos o orgulho, enquanto instituição, de dizer que nossos alunos formados aqui, e eu digo em particular os nossos técnicos em Agropecuária, são altamente requisitados. Temos situação, períodos do ano, que o número de formandos é insuficiente para a demanda de trabalho apresentada pelo mercado, sem falar em outros campos de atuação no mundo do trabalho”, pontua o coordenador.

Leia mais:   CPI da Previdência tem cinco dias para indicar os nomes

Para o aluno Junior Pedrosa, da equipe de organização, o Eagro enriquece a formação com a possibilidade de troca de experiências com profissionais, pesquisadores e com as reflexões sobre as temáticas atuais abordadas. “o nosso sonho é que a cada ano o nosso evento seja maior, com grande abertura para a comunidade. Essa primeira experiência tem sido riquíssima para mim e para todas as pessoas envolvidas. Nós alunos participamos de todas as comissões e estamos realizando o EAGRO juntos com nossos docentes, todos os demais servidores envolvidos e com a gestão. Em 2020 quero está aqui contribuindo já como profissional técnico formado por esse instituto para a realizarmos a segunda edição”, afirma o aluno que conclui o curso técnico subsequente em Agropecuária no próximo semestre.

Entre as autoridades acadêmicas, participaram da abertura a diretora do Departamento de Desenvolvimento Educacional do campus, professora doutora Juçara Tinasi de Oliveira; o Coordenador-geral de Ensino, professor mestre Marcos Aparecido Pereira e o coordenador do Curso Técnico em Agropecuária Integrado ao Ensino Médio, professor Fernando Rodrigues Maciel. A solenidade contou com espaços culturais com a participação da dupla formada pelo aluno Vinícius Miranda e o seu pai, o cantor Cleomir, com música acústica de sertanejo raiz.

Na sequência da solenidade foi realizada a apresentação cultural da Orquestra de Violões do IFMT Campus Cáceres, regida pelo professor doutorando em Ciências e Tecnologia das Artes, Célio Jonas Monteiro.

Mesas-redondas e conferências

Com a temática Agropecuária: desafios e perspectivas, o encontro iniciou a programação a partir do debate sobre Empreendedorismo com a contribuição do servidor técnico do IFMT Cáceres, mestre em Agricultura Tropical, Vagner Aniceto Teixeira em conferência mediada pelo professor mestre Roney Mendes de Arruda. Vagner contextualizou a temática a partir da sua vivência desde a formação como técnico em Agropecuária no IFMT Cáceres, então Escola Agrotécnica Federal de Cáceres, até as experiências no âmbito de empreendimentos inovadores como servidor e gerente local de incubadora de projetos do Núcleo Incubador do IFMT Campus Cáceres.

Leia mais:   Assembleia instala Comissão de Revisão Territorial

Ainda nesta quarta-feira, o campus recebeu o engenheiro Adilson Domingos dos Reis representando o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Mato Grosso, CREA- MT em conferência sobre Trabalho e Registro Profissional. A atividade mediada pelo Professor do IFMT Campus Cáceres, Juberto Babilônia contou com a participação da servidora da Inspetoria do CREA em Cáceres, Joziane Leite da Silva e do fiscal Jonathan José Lima dos Santos.

Na quinta-feira (14.03), as atividades têm inicio com depoimentos de egressos técnicos em Agropecuária da instituição sobre a vivência na escola e vida profissional. A conferência, coordenada pelo professor doutor Reginaldo Antonio Medeiros, contará com a participação dos técnicos Valter Domingues Filho e Wilson Coimbra. Ainda no período matutino, terá mesa redonda sobre sanidade animal e vegetal com os fiscais do Instituto de Defesa de Agropecuária de Mato Grosso, INDEA, Adriano Garcia Araújo, Giovana Gonçalves Souza Muniz e Tiago Felipe de Almeida Gonçalves, com a coordenação do docente do IFMT, professor mestre Fernando Rodrigues Maciel.

No período vespertino serão abordadas as temáticas “Nutrição para piscicultura” e “Panorama da Agropecuária na região de Cáceres”, com os conferencistas convidados Wellington Correa Silva, da empresa VB Alimentos e do pecuarista João Oliveira Gouvêa Neto. As conferências serão mediadas pelos docentes do campus, professor doutor Victor Manuel Aleixo e o professor mestre Paulo Ribeiro de Barros.

O fechamento do ciclo de debates em conferências e mesas-redondas da primeira edição do EAGRO trará as contribuições do pesquisador e professor doutor Wanderley Pignatti da Universidade Federal de Mato Grosso com o tema Agrotóxicos e seus impactos no ambiente e saúde humana. A atividade será mediada pelo professor do IFMT Antonio Nobre da Silva, mestre em Agricultura Tropical.

A programação contará ainda com apresentação, na sexta-feira (15), às 9h40, do documentário ‘Travessia de boiada – pantanal/ cerrado’, do autor e diretor Franco Valério Cebalho da Cunha. O espaço cultural será encerrado com a apresentação da Fanfarra do IFMT Cáceres.


Edna Pedro DRT RJ 5056/2001
Assessoria de Comunicação
IFMT/Campus Cáceres – Prof. Olegário Baldo
(65) 3221-2631

Comentários Facebook
Continue lendo

Destaque

Órgãos federais aceitam CPF como documento de identificação

Publicado

Um decreto publicado pelo governo federal no Diário Oficial da União (DOU) desta terça-feira (12) institui o Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) como documento “suficiente e substitutivo” para o cidadão obter uma série de informações e serviços públicos no âmbito federal.

O Decreto nº 9.723 ratifica a dispensa do reconhecimento de firma e da autenticação em documentos produzidos no País e institui a Carta de Serviços ao Usuário. As medidas visam a simplificação do atendimento aos usuários dos serviços públicos por meio da redução da burocracia estatal.

Com a iniciativa em vigor, os cidadãos que requisitarem informações públicas, demandarem serviços ou solicitarem benefícios concedidos por órgãos e entidades federais poderão, salvo as exceções previstas no decreto, informar o número de inscrição no CPF em substituição aos números de Identificação do Trabalhador (NIT); dos programas de Integração Social (PIS) ou de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep); bem como da Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) e da Carteira Nacional de Habilitação.

O CPF também poderá ser informado em substituição aos números de matrícula em instituições públicas federais de ensino superior; dos Certificados de Alistamento Militar, Reservista, Dispensa de Incorporação ou de Isenção do Serviço Militar, além dos registros de inscrição em conselhos de fiscalização de profissão regulamentada; do número de inscrição no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) e demais números de inscrição existentes em bases de dados públicas federais.

Leia mais:   Selma solicita verba de licença prêmio no Tribunal de Justiça

Assinado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, e pelo advogado-geral da União, André Luiz de Almeida Mendonça, odecreto estabelece que a substituição dos demais dados pelo número de inscrição no CPF é ato preparatório à implementação do Documento Nacional de Identidade (DNI), previso na Lei 13.444 , de maio de 2017.

Os órgãos e as entidades da administração pública federal terão três meses, a partir da publicação do decreto, para adequar os sistemas e procedimentos de atendimento ao cidadão às mudanças. E um ano para consolidar os cadastros e as bases de dados a partir do número do (CPF).

Agência Brasil

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Entretenimento

Mais Lidas da Semana