conecte-se conosco


Estadual

Defensoria atenderá na Pestalozzi uma vez por mês a partir de março

Publicado

Os pais de 120 frequentadores da escola Nova Esperança Pestalozzi, no município de Água Boa, 738 km de Cuiabá, contarão, uma vez por mês, com orientação jurídica e extrajudicial de uma equipe da Defensoria Pública de Mato Grosso, no local. A ação, intitulada “Defensoria Inclusiva” pela autora da iniciativa, defensora Carolina Weitkiewic, pretende levar serviços do órgão até aqueles com maior dificuldade de acesso.

A Nova Esperança, instituição filantrópica que atende há 32 anos na cidade, funciona o dia inteiro ofertando atividades socioeducativas e serviços na área de saúde, para crianças, adolescentes e adultos com diagnósticos de algum tipo de deficiência, física, mental ou ambas. Lá, eles recebem o café da manhã, almoço e lanche da tarde.

“A ideia surgiu depois que fiz uma palestra para os pais que têm filhos matriculados na escola, sobre os direitos das pessoas com deficiência. Apresentamos o tema de forma bastante abrangente e a partir dai, surgiu a ideia de atendermos lá. Hoje demos início ao projeto, com a intenção de facilitarmos a vida dessas famílias, carentes materialmente, de ajuda, de informação, e também com o propósito de desempenharmos nossa maior razão de existir”, afirma a defensora.

Leia mais:   CGE e TCE aprimoram a realização de auditoria operacional

Carolina informa que no primeiro dia de atendimento recebeu pedidos de ajuda para viabilizar medicamentos de uso contínuo, que não estão sendo fornecidos; para que os pais consigam acompanhamento especializado para os filhos que frequentam a escola; para entrar com o pedido de benefício de prestação continuada no Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), entre outros.

“Percebemos que muitas dessas crianças, adolescentes e adultos são cuidados por avós, bisavós, e que essas pessoas não têm a curatela, ou seja, autorização judicial para ser o curador e isso os impossibilita de tomar medidas em nome dessas pessoas. Um de nossos trabalhos aqui será o de regularizar essa situação”, afirma a defensora.

Para o coordenador pedagógico da Nova Esperança, Emerson Godoy e para a assistente social Silvana Maria Mazzonetto, a ida da Defensoria até o público da Instituição agilizará o alcance dessas pessoas a serviços jurídicos que elas teriam que esperar por meses, caso fossem atendidas individualmente.

“Para sermos atendidos na sede, por agendamento, a data mais próxima seria no mês de abril. Agora, com essa parceria, vamos fazer uma espécie de mutirão. Vamos reunir as necessidades e documentações previamente e no dia que a Defensoria vier, já estaremos com as demandas organizadas e pré-prontas para que a defensora e sua equipe tomem as medidas cabíveis”, explica a assistente social.

Leia mais:   Inscrições abertas para cursos de Atualização Profissional

A Nova Esperança, apesar de atender o seu público o dia inteiro, se propõe a prestar um serviço complementar ao da escola regular, explica Silvana. “As famílias que têm filhos aqui são muito pobres e aqui recebem atendimento de fonoaudiólogo, psicólogo, fisioterapeuta, técnico de enfermagem, de educador físico, mas não o de alfabetização. Para os que são menores, buscamos que a família tente as escolas, mas elas percebem muitas dificuldades e desistem”, explica.

Para essa demanda, a defensora afirma que poderá auxiliar as famílias, buscando apoio do município na oferta de auxiliares para acompanharem esses alunos durante as aulas. “Para nós também é muito importante poder fazer esse tipo de ação, ajudar de forma mais completa possível, a um público tão vulnerável como o dos deficientes físicos, cuja legislação protege e ampara”, conclui a Carolina.

Márcia Oliveira
Assessoria de Imprensa

Comentários Facebook

Estadual

Greve: Educadores comparecem a inauguração da nova Santa Casa e cobram compromisso do governo com as Políticas Sociais

Publicado

Na manhã desta terça-feira (23.07) os profissionais da Educação, em greve há 58 dias, se mostraram ainda mais resistentes a intransigência do governo estadual. Cerca de 300 educadores mobilizados na capital, levaram a cobrança pelo respeito aos direitos da categoria para frente da Santa Casa de Misericórdia, de Cuiabá, onde o governador Mauro Mendes esteve presente para a inauguração da reforma do hospital.

A escolha do local, deliberada em Assembleia Geral, foi simbólica por representar outra área das políticas públicas que sofre com o descaso dos governos. O hospital ficou meses fechado por falta de recursos, deixando os funcionários em estado de penúria, com atraso de salários de até 6 meses. A Santa Casa, que sempre se manteve com a verba pública, teve que fechar as portas na ocasião. “A situação da Santa Casa de Misericórdia era semelhante aos inúmeros hospitais públicos do estado, onde muitas pessoas no interior de Mato Grosso está padecendo aguardando atendimento”, esclareceu o dirigente estadual do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (SIntep-MT), Henrique Lopes.

Leia mais:   Financeiro, contabilidade e aquisições lideram consultas no canal "Pergunte à CGE"

Os educadores manifestaram a indignação mostrando que a inauguração desse hospital é fundamental para a sociedade. Contudo a educação também passa por necessidades e precisa de reformas estruturais das escolas, condições de trabalho e valorização profissional. “A letargia do governo em apresentar proposta a pauta da educação leva os educadores a protestos como esses e poderá levar a outras radicalizações em relação ao posicionamento do governo do estado”, afirmou o presidente do Sintep/MT, Valdeir Pereira, durante o protesto.

Histórico

A greve na educação estadual teve início em 27 de maio, exigindo: cumprimento da Lei 510/2013, na data base da categoria; convocação dos concursados; direitos a licenças (Prêmio e qualificação); pagamento de 1/3 de férias para contratados; e reforma nas mais de 400 escolas do estado.

Apesar dos encaminhamentos dados em alguns pontos da pauta, e não cumpridos, como é o caso da convocação dos concursados. A pauta determinante que assegura a correção salarial da categoria da educação, a Lei 510/2013, permanece ignorada pelo governo Mauro Mendes com justificativas falaciosas.

Confira fotos no facebook do Sintep/MT

Roseli Riechelmann (65) 99621-9178
Assessoria de Comunicação
Comentários Facebook
Continue lendo

Destaque

OPORTUNIDADE: Unemat possibilita reingresso de ex-alunos que perderam o vínculo com a Instituição

Publicado

A Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) publicou edital de processo seletivo de reintegração de ex-alunos aos quadros da Instituição. Os ex-alunos do ensino presencial, em qualquer modalidade, ou a distância que perderam o vínculo, a partir do semestre 2014/2, podem concorrer. O reingresso é possível no mesmo curso que o aluno fazia, tanto no mesmo câmpus quanto em outro que oferte o curso, desde que seja em oferta contínua.

As inscrições são presenciais e iniciam em 29 de julho e encerram dia 02 de agosto. Os interessados devem procurar a Supervisão de Apoio Acadêmico do câmpus onde desejam reingressar. Para inscrição é preciso comprovar vínculo com a Unemat há menos de cinco anos (períodos 2014/2 a 2019/1) e ter cursado 50% ou mais da carga horária prevista para integralização do curso.

O Colegiado de Curso será responsável pela análise favorável de reintegração. Os candidatos que tenham como pendência apenas o Trabalho de Conclusão de Curso e ou o estágio para integralizar a carga horária do Curso serão reintegrados imediatamente, na matriz curricular vigente de quando ocorreu seu desligamento. Já os candidatos que também necessitem cursar disciplinas serão reintegrados somente se houver vaga disponível. Neste caso o candidato será enquadrado na matriz curricular vigente do curso.

Leia mais:   MT Prev arrecada R$ 1,3 bilhão a menos que o necessário para pagar aposentados

Resultado: 8 de agosto

Matrícula: De 8 a 12 de agosto

Edital 005/2019-Proeg

Cursos de oferta contínua:

Alta Floresta: Agronomia, Ciências Biológicas (B e L), Direito, Engenharia Florestal

Alto Araguaia: Ciência da Computação, Letras (L)

Barra do Bugres: Arquitetura e Urbanismo, Ciência da Computação, Direito, Engenharia de Alimentos, Engenharia de Produção Agroindustrial, Matemática (L)

Cáceres: Agronomia, Ciência da Computação, Ciências Biológicas (B e L), Ciências Contábeis, Direito, Educação Física (L), Enfermagem, Geografia (L), História (L), Letras (L), Matemática (L), Medicina, Pedagogia (L)

Diamantino: Administração, Direito, Educação Física (L), Enfermagem

Juara: Administração, Pedagogia (L)

Nova Mutum: Administração, Agronomia, Ciências Contábeis

Nova Xavantina: Agronomia, Ciências Biológicas (L), Engenharia Civil, Turismo

Pontes e Lacerda: Direito, Letras (L), Zootecnia

Sinop: Administração, Ciências Contábeis, Ciências Econômicas, Engenharia Civil, Engenharia Elétrica, Geografia (L), Letras (L), Matemática (L), Pedagogia (L), Sistemas de Informação

Tangará da Serra: Administração, Agronomia, Ciências Biológicas (B e L), Ciências Contábeis, Enfermagem, Engenharia Civil, Jornalismo, Letras (L)

(L) – Licenciatura | (B e L) – Bacharelado e Licenciatura | Todos os demais – Bacharelado

Qualquer dúvida, basta entrar em contato pelo imprensa@unemat.br. Estamos à disposição.
Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Entretenimento

Mais Lidas da Semana