conecte-se conosco


Política

Comissão Agropecuária solicita correções de processos ao Intermat

Publicado

Foto: ANGELO VARELA / ALMT

A Comissão de Agropecuária, Desenvolvimento Florestal e Agrário e de Regularização Fundiária analisou e designou relatores para 26 documentos durante a reunião da tarde de terça-feira (10), na Assembleia Legisaltiva.

Na oportunidade, o deputado Valdir Barranco (PT), que na reunião anterior havia pedido vista de seis processos envolvendo o Instituto de Terras do Estado de Mato Grosso (Intermat), devolveu apenas dois deles, sendo que, os quatro restantes aguardam resposta do próprio órgão sobre os questionamentos das irregularidades constatadas nas demarcações.

“Essas irregularidades têm sido algo recorrente desde que essa comissão iniciou os trabalhos. O Intermat não tem consultado o Incra se há ou não sobreposição nas áreas que eles estão encaminhando para a titulação. Em alguns deles, há erros grotescos de medição em áreas envolvendo assentamentos, por isso pedi a correção dos erros para depois passar pela comissão”, disse Barranco.

Após análise criteriosa da equipe técnica, o deputado encaminhou ao Intermat questionamentos sobre os processos que estão irregulares e que “faça as correções necessárias antes de enviar à Assembleia, evitando assim problemas futuros”, argumentou ele.

Leia mais:   TJ acata tese da AL sobre indicação de conselheiro e salienta período de "debilidade" no TCE

O presidente da comissão, deputado Ondanir Bortolini (PSD), o Nininho, entende que a comissão tem função importante perante a população de Mato Grosso fazendo a sua parte nas análises dos processos de ocupação e regularização fundiária.

“Há quatro processos devolvidos para o Intermat onde foram constatadas irregularidades, após análise junto ao Incra. Então pedimos para o Intermat para que faça as correções necessárias e, posteriormente, quando estiveram corretas retornem à Casa”, detalhou Nininho.  

Para Barranco, a Assembleia não pode correr riscos de aprovar projeto que incide sobre área federal e, consequentemente, depois sofra investigação do Ministério Público Federal.

“É uma forma de evitar problemas para os dois lados: para os assentados e, também para o Incra. Esses quatro processos estão nestas condições de irregularidades e anexamos as respostas do Incra com as respectivas anotações cartográficas com mapas”, afirmou o parlamentar.

Conforme declarações de Barranco, as irregularidades foram constatadas na documentação da Fazenda Serra Negra onde a resposta do Incra confirma que sobrepõe os assentamentos Planalto Iriri e Terra Nova II. Na Fazenda Jacutinga também há o mesmo erro, com sobreposição ao assentamento Planalto Iriri.

Leia mais:   Encontro de chefes com apoio da Assembleia tem aulas, palestras e concurso

“Com base nisso, quero solicitar alguns requerimentos para o Incra, que relatam que há subreposição no sistema, que pretende ir à campo para verificar se existe esse problema. Tudo isso poderia ser evitado se o Intermat fizesse seu dever e expedisse os ofícios requerendo essas informações, e comprovado a sobreposição, que paralisasse a titulação dessas áreas. Trata-se de uma questão muito séria envolvendo essas áreas”, apontou ele.

Comentários Facebook

Destaque

Ministério do Turismo aprova projeto e empenha R$ 17 milhões para construção da orla do Rio Paraguai

Publicado

Um dos mais importantes projetos turísticos de Cáceres, a Revitalização e Urbanismo da Orla do rio Paraguai será executado nos próximos meses. O Ministério do Turismo o aprovou na semana passada e, consequentemente, empenhou R$ 17 milhões para execução das obras. Caberá ao município a contrapartida de R$ 4,5 milhões. O projeto arquitetônico prevê a requalificação de 1.240 metros da orla do Rio Paraguai, na área central da cidade, desde a sede da Sematur até a praça Vilas Boas. O projeto foi elaborado em 2016.

De acordo com o prefeito Francis Maris Cruz e o secretário de Meio Ambiente e Turismo, Junior Cesar Trindade todas as licenças ambientais necessárias como da Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema), Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Agência Nacional de Água (Ana), Marinha e Conselho Nacional do Meio Ambiente (Consema) já foram concluídas e anexadas ao processo que será reavaliado pela equipe técnica do Ministério do Turismo, para a liberação dos recursos.

A proposta, conforme o prefeito e o secretário será realizar a licitação para contratação de empresa, ainda neste ano, para que a execução do projeto seja no início de 2020. Ao todo serão 78.827,15 metros quadrados de área construída. A reurbanização da orla prevê a construção de Gazebo para prática de atividades físicas, playground e contemplação; construção de muro de arrimo com rampas e escadas ao longo de toda orla; 242 metros de deque flutuante para atracamento de embarcações.

Leia mais:   Encontro de chefes com apoio da Assembleia tem aulas, palestras e concurso

Conta ainda a construção de quiosques – sendo três para lanchonetes e um para o Centro de Atendimento ao Turista (CAT). E, também a revitalização total da Praça Vilas Boa, com construção de quadra de areia, quiosque e uma pequena fonte luminosa. Ao longo de toda orça será construída uma ciclo faixa, para possibilitar a trafegabilidade no trecho urbanizado.

A construção da orla do Rio Paraguai é uma promessa de campanha do prefeito Francis Maris, feita há 7 anos. Ele, inclusive, teria condicionado o lançamento de sua candidatura – feita a convite do então, governador Silval Barbosa – a execução desse projeto.  Na primeira gestão, segundo ele, não foi possível por falta de recursos. E, agora, finalmente, será construída. Ele acredita que a promessa será cumprida antes do término do seu segundo mandato, em dezembro de 2020.

Editoria – Sinézio Alcântara

Comentários Facebook
Continue lendo

Política

Em visita a obras na região região sul de MT Nininho destaca a agilidade do atual Governo.

Publicado

Foto: VÂNIA NEVES

Nesta quinta-feira (12), o deputado estadual Ondanir Bortolini (PSD) – Nininho participou da comitiva do governo do estado nas visitas técnicas e assinaturas de ordens de serviços nos municípios de Guiratinga, Tesouro e Rondonópolis, localizados no sul de Mato Grosso. O governador Mauro Mendes (DEM) fez as visitas acompanhado do secretário de Estado de Infraestrutura Marcelo de Oliveira, o Padeiro, e também dos deputados Sebastião Rezende (PSC), Thiago Silva (MDB) e Valmir Moretto (PRB), além da equipe de engenheiros civis.

Em Guiratinga, Humberto Domingues (PSDB) e Antônio Leite (MDB), respectivamente, prefeitos de Guiratinga e  de Tesouro, acompanharam  as autoridades. A primeira obra visitada foi a MT-110 onde a pavimentação está todo vapor. Em seguida, assinaram a ordem de serviço para a construção de uma ponte de concreto sobre o Rio Batoví. Já a segunda parte da visita no município foi na MT-270 acesso a Rondonópolis, onde 62 Kms estão sendo restaurados.

Para o parlamentar, as obras representam mais que desenvolvimento para região. “Todo esse trabalho realizado nos municípios de Guiratinga e Tesouro representa respeito e a dignidade que a população merece para transitar e retirar sua produção. Desde 2014 cobramos a execução dessa obra; são 41 Kms que em 30 dias devem ser entregue na sua totalidade. A obra estava licitada há cinco anos e a população nem acreditava mais, mas agora falta pouco”, comemorou o parlamentar.

Leia mais:   ‘Estado deve adotar política de prevenção à depressão nas escolas’, alerta especialista

“Outro grande sonho da população era a recuperação da MT-270, pois não adiantava mais os paliativos. Foram muitas cobranças e logo no início da gestão do governador Mauro Mendes a ordem de serviço foi emitida. O lote de 62 Kms será entregue em 60 dias. A execução da obra é com reciclagem do pavimento inserindo cimento para reforçar a base,além do Tratamento Superficial Duplo (TSD) e duas camadas de micro-revestimento com polímetro, uma obra de qualidade e de tempo de vida superior”, acrescentou o deputado.

Na cidade rondonopolitana o governador Mauro Mendes assinou a ordem de serviço para a execução da obra de restauração do Anel Viário de Rondonópolis (217 km de Cuiabá). Orçada em R$ 5,947 milhões, o trecho tem a extensão de 16 quilômetros das rodovias MT-483 e MT-270, nos entroncamentos da BR-163, à margem da cidade. Nininho destacou a importância da obra. “Fizemos muitas reuniões na Secretaria de Estado de Infraestrutura a pedido dos vereadores da região e da população, sem contar das caminhadas até o Palácio para explicar a importância da obra e da segurança que o Anel Viário representa, e em menos de 10 meses, de mandato o atual governador assina à O.S, tenho acompanhado o cronograma e a seriedade da equipe de Infraestrutura sob a direção do secretário Marcelo ‘Padeiro’, não vai demorar muito para a entrega de outra grande conquista”, salientou o deputado.

Leia mais:   Comissão retoma debate sobre saúde mental ao abordar políticas sobre drogas no estado em reunião ordinária

Dos compromissos na região Sul também participaram o secretário-adjunto da Casa Civil, Carlos Brito, o prefeito de São José do Povo, Arivaldo, vereadores e demais autoridades.

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Entretenimento

Mais Lidas da Semana