conecte-se conosco


Mato Grosso

Carteiras de identidade com nome social são entregues para reeducandas de Cuiabá

Publicado

Cinco recuperandas do Centro de Ressocialização de Cuiabá tiveram reconhecidas suas identidades de gênero, com a oficialização dos seus nomes sociais em suas carteiras de identidade. Os documentos foram entregues nesta sexta-feira (14.06).

O processo de inclusão da informação às reeducandas da “ala arco-íris” foi requisitado pelo diretor do CRC Winkler de Freitas Teles, por meio do setor de assistência social, que intermediou o contato com a Gerência de Identificação da Politec.

Durante a solicitação da segunda vida por extravio, foi anexado um requerimento de inclusão de nome social, em conformidade com o decreto federal nº 8.727 de 28 de abril de 2016, que dispõe sobre o uso do nome social e o reconhecimento da identidade de gênero de pessoas travestis e transexuais no âmbito da administração pública federal direta, autárquica e fundacional; e conforme o decreto federal 9.278, de 5 de fevereiro de 2018, que dispõe sobre a possibilidade de inclusão do nome social no documento de identidade. 

O papiloscopista Carlos Eduardo José da Silva realizou a coleta das impressões digitais e o cadastro das informações civis para a emissão do documento dentro da penitenciária em abril. Os documentos ficaram prontos em junho e foram entregues à assistente social.

Segundo a assistente social Mércia Aparecida Oliveira Gomes, o acréscimo do nome social na carteira de identidade era uma reivindicação antiga das recuperandas, que antes mesmo da oficialização já eram chamadas por seus nomes sociais pelos funcionários da penitenciária. “Como o CPF delas já continha a alteração, sempre quando elas precisaram emitir o RG me questionavam se já poderiam incluir este nome, até que em março o papiloscopista Carlos Eduardo nos informou que a Politec estava se preparando para inclusão do nome social, com a implantação do novo modelo de RG”, afirmou.

Leia mais:   Governo de Mato Grosso distribuiu 23,8 mil testes para a região Oeste

Para o presidente do Conselho Municipal de Atenção à Diversidade Sexual, Valdomiro Luiz Arruda, o documento representa um avanço para a sociedade no respeito à diversidade. “É uma conquista para toda a sociedade e para as pessoas travestis e transexuais que alcançaram o direito de ser respeitadas pelo que são”, considerou.

“Para mim este documento significa uma porta de entrada para novas oportunidades quando sair daqui, conseguir um serviço erguer a cabeça e me manter lá fora”, afirmou a recuperanda T.N.C.

“Para nós ser chamada pelo nome social e ser reconhecida com esse nome em um documento é uma conquista muito grande que levaremos para a vida”, comentou a recuperanda N.P.L.

“Gostaria de agradecer o diretor do presídio que abriu as portas para a gente ser chamada pelo nome social, o sentimento é de gratidão”, agradeceu Natascha Carlos. “Ser chamada pelo nome de batismo é muito constrangedor para todas nós, e agora temos um documento que é um meio de comprovar a nossa identidade”, disse a recuperanda I.S.

Nome social

Leia mais:   Ano letivo nas escolas estaduais inicia com aulas online e off-line; saiba como foi

O nome social é a designação pela qual a pessoa travesti ou transexual se identifica e é socialmente reconhecida. Em maio de 2019, A Perícia Oficial e Identificação Técnica implementou os novos padrões de documentos de identidade onde o requerente poderá optar pela informação no documento, além de outros dados.  Até o dia 11 de junho, treze pessoas solicitaram a inclusão do nome social em Mato Grosso.

“Se a pessoa deseja trocar de nome devido a opção de gênero, antigamente era necessário abertura de processo judicial e que depois passou a ser alterado em cartórios de registro civil.  Com a inclusão do nome social na carteira de identidade, as travestis, mulheres transexuais e homens transexuais podem a partir de um requerimento fazer o pedido de utilização do nome social no documento de identidade. Podendo nesse caso, mudar o nome, e também a assinatura preservando o sobrenome de família” explicou o diretor metropolitano de Identificação Técnica, Aílton Silva Machado.

Para solicitar o documento, a pessoa deve procurar um dos postos de identificação credenciados da Politec, e no ato de seu atendimento apresentar ou solicitar o formulário de requerimento de “nome social”. Também é obrigatória a apresentação da certidão de nascimento ou casamento originais e da fotografia 3×4 nos postos que ainda não possuem atendimento biométrico.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook

Estadual

Vídeos mostram animais mortos e destruição em incêndios no Pantanal

Publicado

Moradores de Poconé (104 km ao Sul de Cuiabá) registraram vídeos do incêndio florestal que atinge o Pantanal desde o dia 21 de julho. Filmagens mostram pontos diferentes da queimada e o combate aéreo ao fogo, feito pelo Corpo de Bombeiros.

Leia também – Hotel retira funcionários durante incêndio no Pantanal

Independente da área que se mostra, o cenário é o mesmo: de fogo, fumaça e destruição. A trilha sonora de estalos do mato queimando está por toda parte, assim como o rastro de triste. Animais mortos carbonizados estão por toda a parte.

Os enormes jacarés, encontrados por todo lado no Pantanal, não conseguiram fugir, assim como diversos outros bichos que habitam a área alagada, seca no período.

Reprodução

jacaré queimado no pantanal

Em um dos vídeos feitos na estrada que dá acesso ao Hotel Porto Cercado, o cinegrafista ainda comenta: “fogo brabo aqui. Muito vento (sic)”.

Segundo o último boletim divulgado pelo Corpo de Bombeiros, o incêndio florestal já atinge 77 mil hectares. Mais de 100 militares atuam no combate ao fogo via terrestre e aérea. Empresas privadas e a comunidade também ajudam no trabalho.No decorrer dos dias de incêndio, a estratégia adotada pelos combatentes tem sido alterada devido às mudanças do vento e pontos críticos.

Leia mais:   “Quem praticar crime ambiental em Mato Grosso vai pagar caro”, alerta governador

Vídeo

GD
Comentários Facebook
Continue lendo

Estadual

Busca por profissionais da área da saúde cresce em meio à crise causada pelo coronavírus

Publicado

Em cinco meses de pandemia, a crise causada pela Covid-19 vem provocando uma fila imensa por trabalhadores na área da saúde, tais como enfermeiros, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas, entre outros. Em levantamento feito pela Grandy Desenvolvimento Humano, empresa especializada em recrutamento e seleção de talentos, é notória a procura por recrutamento e seleção de profissionais deste segmento.
“Com o início da pandemia nós percebemos que muitas empresas recuaram em relação às contratações de novos colaboradores, houve bastante suspensão, porém com o passar de poucas semanas, notamos que enquanto alguns segmentos do mercado desacelerava bruscamente, o segmento da saúde acelerava mais ainda. Nunca tivemos tanta demanda quanto estamos tendo agora por esses profissionais”, comenta Cynthia Lemos, sócia da Grandy.
Atualmente, há dez vagas abertas na plataforma da Grandy, com a expectativa de abertura de mais vagas para o mesmo segmento, os locais de trabalho são em Cuiabá e Várzea Grande. Os postos disponíveis são para técnicos de enfermagem – os salários oferecidos são de R$1.550 com vários benefícios.
Ao receber uma grande demanda por posições na linha de frente, Cynthia destaca que para essas vagas é necessária a formação e ter experiência. Embora alguns profissionais estejam resistentes em assumir ingressar no mercado de trabalho devido ao risco, as vagas vêm sendo preenchidas rapidamente.
Diante desse cenário, a Grandy tem notado uma oferta muito maior do que profissionais no mercado. Mas, com a abertura do comércio agora, a situação atual vem obtendo um crescimento, os empresários têm voltado a retomar na procura de vagas que tinham sido suspensas.

Leia mais:   Senar lança concurso de videoaulas para instrutores credenciados

Para mais informações sobre vagas de empregos, acesse: http://grandy.com.br/

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana