conecte-se conosco


Destaque

Caos na saúde expõe divergência entre Dr. Leonardo e Adriano Silva

Publicado

O caos na saúde pública na região oeste do Estado, pela falta de atendimento na Santa Casa de Pontes e Lacerda o fechamento do Hospital o Bom Samaritano e as dificuldades vivenciadas pelo Hospital Regional “Antônio Fontes” em Cáceres expõe, publicamente, as divergências entre os deputados Adriano Silva (PSB) e doutor Leonardo (PSD).

Dr Leonardo (PSD) classificou como “politicagem e criação de factoides” a denuncia apresentada pelo deputado Adriano, ao afirmar em discurso na Assembleia que, o Hospital Regional de Cáceres, estaria sofrendo um “desmonte” pela equipe do Secretário de Estado de Saúde Luiz Soares.

Em nota distribuída à imprensa, na segunda-feira (13/11), após o Jornal Expressão destacar a denúncia feita pelo por Adriano, Leonardo disse que ela partiu de “pessoas com interesses políticos ou financeiros” que falam mentiras sobre a real situação da unidade de saúde e tentam prejudicá-lo. Oportunidade em que conclamou a população a “abrir os olhos”.

“Tem que abrir nossos olhos mesmo, para picaretagem, malandragem de vagabundos e para aqueles que querem roubar o dinheiro do Estado e pra político desonesto. Cáceres tem um deputado ficha limpa, que orgulha os votos dessa terra. Um deputado que não passa envergonha saindo nos jornais, na mídia, aparecendo em vídeos. Cáceres tem abrir o olho para saber que político que faz o bem ao invés de politicagem”, afirmou.

Acrescentou que pessoas com interesses não esclarecidos tentam o culpá-lo, assim como ao secretário Luiz Soares, de coisas que nem mesmo acontece. Como, por exemplo, a “cuiabanização” do Hospital Regional, com suposta troca das equipes de Cáceres por equipes de médicos vindos de Cuiabá. Contudo, somente duas equipes foram trocadas, todas as outras permanecem as mesmas.

Além disso, Dr Leonardo citou o fato de ter trabalhado pela construção de um modelo de gestão compartilhada para o Hospital Regional de Cáceres, o qual seria tocado pelo Consórcio de Saúde da Região, tendo sido contra uma intervenção estadual. Entretanto, após uma manobra política que contou com a participação de alguns médicos, depois de 150 dias de negociações e o termo de responsabilidade já estar assinado, o Consórcio recuou e foi feita a intervenção.

Leia mais:   Politec conclui nesta semana perícia que pode esclarecer o que causou acidente que matou quatro pessoas em Cáceres

“Tem que parar de mentira sobre meu nome. Fico me perguntando qual é a minha culpa. Dr Leonardo quer o consórcio, então é ‘glebalização’. Convenceram a não ter consórcio, aconteceu intervenção, agora é culpa do Dr Leonardo porque é ‘cuiabanização’. Tem que parar de fazer politicagem no Hospital Regional. Isso eu não admito. Estão criando um caminhão em cima do Hospital Regional. Só trocaram duas equipes até agora. E todas as outras? E outra coisa, quem administra o Hospital Regional não é o Dr. Leonardo, é o Governo do Estado. Não venham me culpar”, disse o parlamentar.

Auditoria e Preço Elevando – O deputado Dr Leonardo ainda explicou que a equipe de oncologia foi trocada após surgirem indícios de irregularidades. Uma auditoria está sendo realizada pela Secretaria de Estado de Saúde. E, mesmo com a troca, ele salienta o fato de terem aumentado os atendimentos neste setor. “Em outubro de 2016 foram realizadas 13 cirurgias de oncologia. Em outubro de 2017, com a nova equipe, foram realizadas 40 cirurgias”, ressaltou.

Conforme dados da Secretaria de Estado de Saúde, em outubro de 2016 também foram realizadas 70 cirurgias gerais, que agora estão sendo investigadas para descobrir se não receberam pagamento de oncologia. “Da equipe de Oncologia, especificamente não tenho nada contra, eles tem seu trabalho prestado, mas só posso fazer juízo de valor após a auditoria que está sendo realizada. Ficaram algumas dúvidas e por isso estão fazendo auditoria”, ponderou Dr Leonardo.

Além disso, o Hospital Regional de Cáceres apresentava custos muito elevados, batendo gasto mensal de R$ 5 milhões, tendo 108 leitos. Enquanto isso o Hospital São Luiz, com 154 leitos, entre eles UTI e UTI Neo Natal, custa cerca de R$ 2,4 milhões mensais. O deputado estadual também se colocou a disposição para tentar ser uma ponte entre médicos, prefeitos e outros deputados para com o secretário Luiz Soares. De acordo com ele, o secretário pode ser difícil de contatar, mas possui um histórico de reputação ilibada e bons serviços prestados.

Leia mais:   Amanhã é o último dia dos passaportes promocionais 53ª EXPOCÁCERES

“Luiz Soares é antigo mesmo. Não estou aqui para defendê-lo, mas para falar a verdade. Ele foi deputado duas vezes, secretário de Estado de Saúde, secretário de Cuiabá, de Várzea Grande. Sempre fumando muito cigarro, seu chapeuzinho e em seu carro popular. Nunca ouvi nada contra Luiz Soares de roubo, falcatrua. Ou seja, não compactua com desonestidade”, concluiu.

Não vou polemizar vou continuar defendendo a minha região

            Em contato com o Jornal Expressão, o deputado Adriano Silva, diz que estranhou a reação do doutor Leonardo porque, segundo ele, em momento algum citou o seu nome na denuncia e tampouco, o culpou pelo “desmonte” do Hospital Regional, mas afirmou que não irá polemizar.

“Não vou polemizar com ele (doutor Leonardo). É opinião de ele achar que a situação da saúde em nossa região está boa. Que o Hospital Regional vive as mil maravilhas. Eu vejo diferente e vou continuar lutando pela volta do atendimento na Santa Casa de Pontes e Lacerda, da reabertura do O Bom Samaritano e pela melhora do Hospital Regional que reafirmo vem sofrendo um desmonte”.

            Disse ainda que “em momento algum citei o nome dele na denuncia e também jamais o culpei por nada, mesmo sabendo que todo o processo, no caso do Hospital Regional foi coordenado por ele” e que acrescentou: “neste momento precisamos de união para solucionar o problema. Ainda nesta semana, me reuni com o secretário da Casa Civil, Maxi Russi que se prontificou a juntos, sentarmos com o governador, o secretário de Saúde e alguns prefeitos da região para debater e encontrar uma solução para o impasse”.

Editoria- Sinézio Alcântara

Comentários Facebook

Destaque

Entrevista da Semana: Donizete garante troca de toda rede de água até o próximo ano e diz que candidatura não depende só de decisão pessoal

Publicado

Diretor da Águas do Pantanal, Paulo Donizete Costa diz que não procede aumentos abusivos na tarifa de água; afirma que infelizmente os roubos do produto continuam. Garante que a substituição de toda rede de água será concluída até o próximo ano e que não haverá privatização do sistema. Não confirma, mas também não descarta a possibilidade de lançamento de candidatura a sucessão municipal: “Na minha opinião, o fato de vir a ser candidato ou não, não pode depender só de uma decisão pessoal. A vaidade pessoal não pode sobrepor aos interesses do município ”.

Jornal Expressão (-J-E) Levar água tratada em todos os bairros foi uma das principais propostas de campanha do prefeito Francis Maris Cruz, o senhor acredita que essa promessa já foi comprida?

R- Hoje já atendemos mais de 93% da área urbana com água tratada. Com obras de extensão de rede que já estão em execução e a reforma das duas estações antigas de tratamento de água (ETA), que estão sendo licitadas com recursos próprios no valor de R$ 6,9 milhões, 100% da área urbana será contemplada com água tratada até o final do mandato do prefeito Francis.

J- E. A administração municipal é bastante criticada pelos altos valores taxados pela Autarquia Águas do Pantanal. Alguns consumidores alegam que estão pagando até 300% a mais que em alguns anos atrás. O que o senhor diz sobre isso?

R- Não procede 300% de aumento na tarifa de água. Desde o mês de setembro de 2013, quando assumimos o saneamento, o maior reajuste que teve foi em 07/2012 ainda na gestão do prefeito Túlio Fontes que editou o decreto nº 293 determinando um reajuste de 64,41% na tarifa de água, porém dividindo este em três vezes de 22.47%. Ficando parte deste encargo para a gestão do prefeito Francis. De setembro 2013 até o mês de maio de 2019, fizemos além de parte da correção determinada pelo decreto 293/2012, também a correção pelo INPC, conforme determina a Lei federal, que acumulou até o presente momento um reajuste de 43,83% considerando só o INPC, ou seja, a tarifa mínima que era de R$13,40 em 2013 após 6 anos está em R$23,40, um reajuste total em 6 anos de 74,6%. Muitos confundem aumento do seu consumo, com aumento de tarifa. A tarifa de água por lei, só pode reajustar uma vez por ano.

J –E. Até recentemente era muito grande o número de casos de roubos de água, através de ligações clandestinas. Como está essa situação atualmente e o que foi feito pela autarquia?

Leia mais:   Amanhã é o último dia dos passaportes promocionais 53ª EXPOCÁCERES

R – Infelizmente ainda persiste essa prática por parte de alguns consumidores.Conseguimos reduzir após uma efetiva fiscalização e também através de denúncias dos próprios consumidores que se sentem lesados com essa prática, afinal a água é um bem público onde todos são proprietários. Também encaminhamos várias ocorrências para o Ministério Público e Polícia Civil, infelizmente, algumas pessoas não entendem que é uma prática de furto de patrimônio público e, portanto, um crime grave que pode levar a prisão.

J – E. O aterro sanitário foi construído para substituir o antigo lixão a céu aberto na região da Piraputanga. No entanto, até hoje ainda não está em funcionamento. O que realmente está acontecendo com esse setor?

R- O aterro sanitário está sim sendo operado desde julho de 2016 quando concomitante encerramos as atividades do antigo lixão. Inclusive já estamos num processo de implantação da nova vala, porque a capacidade de recepção de resíduos da vala atual já está saturando. Com recursos próprios no valor de R$ 400 mil já adquirimos a geomembrana de PAD. Só estamos aguardando a licença de instalação da Sema, para dar início às obras de escavação e conclusão da nova vala.

J –E. A coleta de lixo, também sob a responsabilidade da Água do Pantanal, ainda recebe muitas reclamações da população. O que é necessário ser feito para sanar esses problemas?

R – Todos sabem que a Autarquia assumiu o serviço de coleta domiciliar em 09/2018, adquirimos com recurso próprio seis caminhões coletores novos, num investimento de quase R$1.800.000.00, a partir desta aquisição mais as adequações nas rotas, a coleta domiciliar melhorou consideravelmente. Hoje utilizamos quatro coletores na coleta e deixamos dois de reserva para garantir que o serviço não pare por conta de problemas mecânicos, que podem ocorrer. Nos cinco distritos que hoje atendemos também, praticamente não tem reclamação, o que era muito comum quando o serviço era terceirizado. Além de melhorar o serviço, economizamos uma média de R$ 100 mil por mês com o custo de coleta.

J- E. Embora seja uma obra de fundamental importância, a substituição de grande parte da rede de água, causa alguns transtornos à população. Quando esse trabalho será concluído?

O transtorno já ocorria anteriormente, por conta dos constantes rompimentos das redes de amianto na área central, porém, agora elas estão ocorrendo, mas por uma boa razão. 6.000 mts de rede de amianto já foram substituídas e mais 9.000 mts de rede serão até o final do próximo ano, que é quando esses transtornos esporádicos deixarão de existir.

J –E. Na semana passada, o senhor anunciou a aprovação, pelo Governo Federal, do projeto de saneamento básico para o município, com recursos de cerca de R$ 180 milhões do que consta esse projeto e quando será executado?

Leia mais:   Em Sessão Solene, Câmara celebra nomeação de Cáceres e San Matías como cidades gêmeas

R- Este, sem duvida, será o maior feito da gestão do prefeito Francis para Cáceres. Há 6 anos  iniciamos esse processo, onde, primeiro licitamos os  projetos executivos de saneamento (água, esgoto, resíduos sólidos e drenagem). De posse dos projetos fomos em busca de recursos numa peregrinação do prefeito Francis por várias instituições financeiras , inclusive internacionais. Este será o maior investimento feito em saneamento no estado, caso venha a ser aprovado pela Caixa Econômica Federal. Desse total de R$ 187milhões, R$ 133.5 milhões serão destinados para o projeto de coleta e tratamento de Esgoto e R$ 53.5 milhões para o projeto executivo de Água.

J – E. A Autarquia Águas do Pantanal abriu edital para expansão e melhoria na qualidade dos serviços. Quantas vagas serão ofertadas e para que especialidades?

R- Serão ofertadas 30 vagas, sendo três para PCD (pessoas com deficiência), e 27 distribuídas entre; auxiliar administrativo, engenheiro, advogado, contador, encanador e eletromecânico. As inscrições vão até 08/09/2019 e a prova será aplicada dia 13/10/2019. Maiores detalhes no site www.aguasdopantanal.eco.br ou www.ufmt/concurso todos os aprovados serão chamados no máximo até final deste ano.

J–E. Há alguns comentários de que o prefeito Francis Maris cogita a privatização da autarquia, procedem esses comentários?

R- Não procede! O que foi cogitado é que, se a prefeitura juntamente com a Autarquia não conseguir os recursos necessários para execução das obras de coleta e tratamento de esgoto, teríamos que fazer uma concessão deste serviço ou uma PPP (Parceria Público Privada). O que não pode é o município permanecer sem este serviço de fundamental importância para a prevenção da saúde da população.

 J-E. Muitas pessoas que se destacam em seus respectivos ramos de atividade despontam como possíveis candidato a sucessão municipal. Nesse caso já surgiram informações de que o senhor seria um possível candidato. Procedem essas informações?

R- Na minha opinião, o fato de vir a ser candidato ou não, não pode depender só de uma decisão pessoal. A vaidade pessoal não pode sobrepor aos interesses do município de Cáceres. Exemplo foi a eleição para deputado estadual onde a vaidade pessoal deixou o município sem representante ou correu o risco de ser mal representado. Então, pertenço a um grupo político que, até então, comunga com os mesmos princípios de ética, de respeito ao dinheiro público e de muito trabalho, e é com a decisão deste grupo que pretendo seguir, lutando pelos interesses de Cáceres, seja na gestão ou não.

Comentários Facebook
Continue lendo

Destaque

Politec conclui nesta semana perícia que pode esclarecer o que causou acidente que matou quatro pessoas em Cáceres

Publicado

A Polícia Técnica deverá concluir, no decorrer desta semana, o resultado da perícia realizada no Renault/Duster, que colidiu com uma das paredes de um pontilhão na BR-174, entre Cáceres e o distrito do Caramujo, despencou no rio Paraguai, causando a morte dos quatro ocupantes do veículo. Com o resultado da perícia, de acordo com o diretor da Politec, Ataíde Malheiros, será possível saber o que teria provocado à tragédia.

O acidente aconteceu, por volta das 6h30 da última segunda-feira (12/8). O veículo, conforme pessoas próximas da família, estava sendo conduzido por Luiz da Guia. Comandante da guarnição do Corpo de Bombeiros, que atendeu a ocorrência, sargento Adilson, informou que o impacto do acidente foi tão grande que o Renault/Duster foi arremessado a uma distância de cerca de 12 metros do local, antes de cair no rio.

Pelas circunstâncias, a hipótese até agora, mais provável, é de que veículo trafegava em alta velocidade e o condutor perdeu o controle ao aproximar da ponte. Contudo, são apenas suposições que deverão ser esclarecidas pela perícia. “O levantamento pericial realizado, horas após o acidente, irá esclarecer as circunstâncias e o que ocasionou o acidente se foi falha mecânica ou humana” explica Malheiros.

Leia mais:   Em Sessão Solene, Câmara celebra nomeação de Cáceres e San Matías como cidades gêmeas

Morreram no local Luiz da Guia Cintra de Alcântara, 58 anos, Wilson André de Alcântara, popularmente conhecido como “Baixinho do Espeto”, 39 anos, e Rosenildo do Espírito Santo Bragantini, 40 anos. Alessandro Luis de Alcântara Coelho,40 anos, foi socorrido e levado às pressas pelo Corpo de Bombeiros ao Hospital Regional. Mas, infelizmente, não resistiu aos ferimentos e morreu no dia seguinte. Luiz da Guia era tio de Baixinho e Alessandro.

Os corpos de Luiz da Guia, Baixinho do Espeto e Alessandro Luis foram velados na Paróquia Cristo Trabalhador, localizada na Avenida Talhamares, o de Rosenildo do Espirito Santo, foi levado para a localidade de Caramujo onde residem os familiares. Neste domingo, serão celebradas duas missas de 7º Dia pelas mortes. A primeira no período da manhã, às 8h na Paroquia Nossa Senhora de Aparecida e a segunda às 19 na comunidade de São Francisco, Cohab Velha.

Editoria / Sinezio Alcântara

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Entretenimento

Mais Lidas da Semana