Câmara reprova projeto eleitoreiro de Pastorelo que criaria CPI para cassação de Francis

191

A maioria dos vereadores sepultou a proposta do vereador Cesare Pastorelo (SD) de alterar o Regimento da Câmara, para facilitar possível cassação do prefeito Francis Maris Cruz (PSDB). A proposta do agora desafeto de Fancis seria reduzir da maioria absoluta para 1/3, o número de vereadores para abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI). O projeto foi apresentado, mas retirado da pauta no mês de fevereiro. Diante da insatisfação com o prefeito, Pastorelo o reapresentou na sessão de 4 de junho onde foi reprovado.

Embora de oposição, o questionamento mais contundente contra o projeto partiu do vereador Wagner Barone (Podemos). “Nós sabemos que existe uma incoerência entre o Regimento Interno da Câmara e a Lei Orgânica. Mais, apresentar esse projeto agora, em época de campanha eleitoral?” indagou Barone acrescentando: “Qual a preocupação do autor se ele não teve no ano passado.  Eleitoreira? voltou a indagar afirmando que “pela minha indignação dessa postura e por não concordar com essa esperteza não vou participar da votação” se absteve.

O Projeto de Resolução nº 01 de 16 de fevereiro de 2018, que teria como objetivo “Regulamentar a Composição de CPI para Garantia dos Direitos de Minoria Parlamentar” foi apresentado, no mês de fevereiro pelo vereador Wagner Barone. Porém, por decisão de todos os vereadores, ele foi retirado da pauta e montada uma comissão para que se fizessem as adequações necessárias ao Regimento Interno e a Lei Orgânica do Município. Por julgá-lo eleitoreiro, a maioria dos vereadores votou pela reprovação.

Esse vereador é um lobo vestido de cordeiro, diz Francis

            O prefeito Francis Maris não disfarça sua insatisfação com o antigo companheiro de partido. “Esse vereador é um lobo vestido de cordeiro. Para se promover politicamente faz de tudo para prejudicar a nossa administração: mente, trai, inventa” diz lembrando que “ele traiu a minha confiança e de toda executiva, quando armou para deixar o partido. Veio humilde, com todas as desculpadas, pedir para que assinássemos sua desfiliação. Hoje nos apunhá-la” afirma acrescentando que “mesmo com toda politicagem e mentira desse cidadão, a população aprova a nossa administração”.

Pastorelo acusa Francis e diz que colegas se vendem em troca de cargos

            Procurado pela reportagem, o vereador Pastorelo também não poupou críticas ao prefeito assim como aos colegas.  Segundo ele, a maioria dos colegas se vende em troca de cargos para apoiar a administração. “A abertura de CPI não tem nada anormal, é um direito de fiscalização das minorias, não deveria passar por votação. Até porque, o executivo está empregando irmãos de vereadores, assessores de vereadores, contratando máquinas de vereadores e chamando vereadores para secretaria, para assumir suplentes, que ficam na mão da administração. Ou seja, o Francis compra a maioria com cargos e nomeações”.

Editoria – Sinézio Alcântara

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here