conecte-se conosco


Política

Café no Bule denuncia existência de suposta indústria da multa em Cáceres.

Publicado

 

 

 O vereador Edmilson Campos (Café no Bule) considerado maior oposição ao modelo de gestão do prefeito Francis Maris Cruz (PSDB) no Legislativo Cacerense revela ter fortes indícios da existência de uma suposta indústria da multa de trânsito no município de Cáceres.

Para comprovar sua suspeita o vereador apresentou requerimento aprovado por unanimidade pela Câmara solicitando da secretaria de fazenda planilha completa de outubro de 2015 até maio de 2016 do número de multas aplicadas, os valores de cada multa e os valores pagos aos agentes de trânsito referentes a produtividade. Segundo o parlamentar a situação se agravou a partir de novembro de 2015 quando o prefeito Francis, através de decreto, implantou a produtividade como forma de incrementar a arrecadação.

“Todo cidadão é plenamente a favor de se punir quem não respeita as leis de trânsito. Só que em Cáceres como cada fiscal está ganhando um adicional sobre o seu salário base aos poucos tem se verificado a existência da indústria da multa, ou seja, aplica-se a multa apenas para que o município arrecade mais e o fiscal aumente o seu salário em até 250%” argumenta Café no Bule.

Leia mais:   Governador visita fábrica da vacina Sputnik e busca compra direta para Mato Grosso

Sem citar nomes o vereador apresenta dois exemplos de que a produtividade tem servido para que se estabeleça a indústria da multa na cidade. No primeiro caso o fiscal “x” tem como salário base R$ 1.520,27. Nos meses de janeiro, fevereiro, março e abril de 2016 esse fiscal recebeu R$ 7.000,00 de produtividade.

Já em outro caso o fiscal “y” tem como salário base R$ 1.330,21. Pela produtividade esse fiscal recebeu no mês de janeiro/2016 R$ 6.952,00, em fevereiro/2016 R$ 6.793,20, em março/2016 R$ 6.976,80 e em abril/2016 o valor adicional pela produtividade foi de R$7.000,00.

Segundo o vereador Edmilson Campos (Café no Bule) a produtividade é um tipo de comissão que cada fiscal e também o chefe de fiscalização recebem pelas multas aplicadas. A avaliação de desempenho para o pagamento da produtividade, segundo o parlamentar, é feita pelo Secretário de Fazenda, Coordenador de Trânsito e pelo Chefe da Fiscalização.

“Tenho informações que estão sendo aplicadas uma média de 800 multas por mês no município. A mais comum é por parar e estacionar em local proibido. O que precisa ser discutido é que a prefeitura tem se limitado na aplicação das multas sem oferecer alternativas para ampliar os espaços para estacionamentos” salienta Café no Bule.

Leia mais:   Delegacia da Mulher de Tangará da Serra precisa de veículo descaracterizado

De acordo com o vereador a coordenação de trânsito revelou a ele que a praça de eventos da Sematur é um dos locais que os motoristas podem estacionar seus veículos para evitarem as multas. Para o vereador, não houve nenhuma campanha de orientação nesse sentido e tão pouco o local oferece as condições necessárias para a tal finalidade.

“Volto a dizer: Quem desrespeita as leis deve ser penalizado, mas, o que está acontecendo em nossa cidade é que a intenção dessa administração do prefeito Francis é a aplicação das multas para se arrecadar mais dinheiro ao invés de criar alternativas para resolver o grave problema que se tornou o trânsito em Cáceres” conclui Café no Bule.

Comentários Facebook

Geral

TRE atendeu a solicitação da AMM para a prorrogação das eleição em Torixoréu

Publicado

 

O Tribunal Regional Eleitoral determinou a suspensão da realização da eleição suplementar para os cargos de prefeito e vice-prefeito no município de Torixoréu, considerando o requerimento encaminhado pela Associação Mato-grossense dos Municípios, postulando a designação de uma nova data para o pleito eleitoral.

A AMM solicitou a prorrogação da eleição suplementar em Torixoréu, programadas para  11 de abril, justificando o aumento dos casos contaminação e de óbitos pela Covid-19. O documento foi apresentado ao presidente do Tribunal Regional Eleitoral, desembargador Gilberto Giraldelli.

A Procuradoria Regional Eleitoral opinou pelo adiamento da eleição suplementar no município para outra data oportuna, a ser agendada pelo Tribunal, assim que houver a diminuição da média móvel de casos, estabilização da contaminação a números aceitáveis e que a ocupação de leitos de Unidades de Terapia Intensiva-UTIs, esteja ao menos em 60%.

A Associação Mato-grossense dos Municípios informou no requerimento que a curva de contágio e de óbitos, tem subido rapidamente nas últimas semanas e o controle efetivo da doença, parece estar longe, mesmo com as iniciativas da vacinação. O município de Torixoréu pertence a circunscrição da 9ª Zona Eleitoral de Barra do Garças, até nova deliberação do Tribunal.

Leia mais:   Delegacia da Mulher de Tangará da Serra precisa de veículo descaracterizado

O presidente da AMM, Neurilan Fraga, ressaltou que as estatísticas apontam o crescimento nos casos de Covid-19 em Torixoréu e em localidades próximas. Conformes os boletins divulgados pela Secretaria Estadual de Saúde. O número de casos vem crescendo nos municípios ao redor de Torixoréu, como Nova Xavantina e Barra do Garças. “Devido a este quadro da pandemia e da situação local, entendemos a necessidade do pedido de prorrogação da eleição. Se fosse realizada em abril, a eleição poderia provocar ainda mais a propagação do vírus”, argumentou.

Para minimizar os riscos, a AMM sugere que a eleição em Torixoréu seja realizadas paralelamente a eleição de Acorizal, mas data ainda não foi marcada. A medida traria economia de custos e aproveitamento de servidores à disposição para apuração do resultado da votação.

Além da solicitação da AMM, a recente edição do Decreto Estadual 836/2021, que impôs medidas restritivas de isolamento social para conter a disseminação do vírus em todo Estado, também foi considerada.

De acordo com levantamento realizado pela equipe da AMM, o Estado aparece em 22º lugar no ranking de distribuição das vacinas contra a Covid-19. Atualmente, um percentual da população mato-grossense recebeu a primeira dose da vacina, e ainda aguarda a segunda dose.

Leia mais:   Lúdio alerta para necessidade de quarentena: "O coronavírus não circula só à noite"

O relatório elaborado pela Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa de Mato Grosso aponta que após o pico da doença, em julho de 2020, o Estado teve uma desaceleração no número de pessoas infectadas, entre agosto e outubro. Essa redução foi interrompida em novembro de 2020, quando a curva epidêmica voltou a crescer, atingindo um novo pico no mês de janeiro de 2021.

Comentários Facebook
Continue lendo

Política

Sob articulação de Dr. Eugênio, Escola Militar de Barra do Garças dá início às atividades

Publicado


Foto: DIEGO SAPORSKI / Gabinete do deputado Dr. Eugênio

Após anos de espera e muitas articulações junto ao governo do Estado, o município de Barra do Garças pode finalmente comemorar o início das atividades da Escola Militar Tiradentes. As aulas tiveram início no dia 8 de fevereiro e segue no formato de aulas online determinado pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc) para prevenção e combate a COVID-19.  

A unidade funciona no prédio da Escola Estadual São João Batista, no bairro Santo Antônio e tem como diretor o Tenente Coronel Naildo Guedes, da Polícia Militar. Inicialmente serão atendidos cerca de 400 alunos da sexta série do Ensino Fundamental até o primeiro ano do Ensino Médio.

A instalação da Escola Militar em Barra do Garças é resultado de um trabalho conduzido pelo deputado estadual Dr. Eugênio Paiva (PSB) desde o início de seu mandato. Em diversos momentos, Eugênio foi categórico ao cobrar do governo do Estado urgência na instalação da unidade.

Antes da garantia definitiva da escola, o deputado percorreu um longo caminho com a realização de audiências públicas, reuniões com prefeito, vereadores e comunidade escolar. Até mesmo uma visita técnica do vice-governador Otaviano Pivetta e da então secretária Marioneide Kliemaschewsk (SEDUC) ao município foi articulada pelo deputado para garantir a instalação da unidade.

Leia mais:   Deputados aprovam mensagem do governo para conter disseminação do coronavírus

“Nós precisávamos garantir a instalação da Escola Militar e mais, essa instalação precisava ter a melhor localização e atender ao maior número possível de famílias, e conseguimos. Trabalhamos arduamente para o Estado entender a importância da unidade, já que era um compromisso antigo com a comunidade escolar. Quero agradecer ao vice-governador Pivetta  e ao atual secretário Alan Porto que cumpriram conosco, e hoje Barra do Garças comemora sua merecida unidade militar de ensino. Uma escola diferenciada, pautada na valorização da família, nos princípios morais, no resgate cívico e na formação de uma postura socialmente comprometida”, definiu Dr. Eugênio.

Um sonho antigo da comunidade escolar, a Escola Militar traz consigo um currículo de referência na formação de jovens e adolescentes. Além da boa qualidade de ensino, a unidade militar instalada no bairro Santo Antônio também assumiu o importante papel de atender as famílias localizadas naquele setor, até então sem nenhuma unidade estadual.

O deputado também acompanha de perto a proposta de reordenamento das escolas estaduais que será apresentada pela Seduc ao município. A preocupação é evitar que as escolas sejam subutilizadas devido à baixa demanda.  

Leia mais:   Faissal visita seis cidades do interior em uma semana

Padrão diferenciado – A Escola Militar de Barra do Garças é a segunda unidade instalada no Araguaia, e faz parte do projeto de expansão das unidades militares projetadas pelo governo do Estado. A primeira unidade foi instalada no município de Confresa, em 2017.  

Com uma educação considerada modelo, as escolas militares são referência em qualidade de ensino, disciplina e na formação humanizada de jovens e adolescentes.

As unidades militares possuem gestão compartilhada entre a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) e a Polícia Militar de Mato Grosso. Cabe à Seduc atuar na definição de estratégias para a prática pedagógica, planejamento e execução do plano político-pedagógico definido pela comunidade escolar. Já a Polícia Militar é responsável por toda gestão cívico-militar, proporcionando o desenvolvimento de um ambiente de disciplina, respeito à hierarquia, a meritocracia e a promoção de um ambiente organizado e acolhedor, voltado à melhoria da aprendizagem dos estudantes.

Fonte: ALMT

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana