conecte-se conosco


Destaque

Bloqueio na fronteira da Bolívia já prejudica comércio em Cáceres

Publicado

O bloqueio na fronteira entre Cáceres (225 km ao oeste de Cuiabá) e San Matias já afeta o comércio da cidade brasileira. Insatisfeitos com a reeleição do presidente Evo Morales, que assume o 4º mandato, bolivianos fecharam a passagem há duas semanas.

Leia também – Vídeo mostra desespero de mãe despejada junto os 5 com filhos em Cuiabá

Segundo o prefeito de Cáceres, Francis Maris (PSDB), o município está oferecendo todo apoio necessário ao protestantes e aos bolivianos que necessitam de serviços ofertados na cidade. No entanto, não irá intervir na manifestação.

“O bloqueio já tem afetado o comércio da cidade. Eles estão proibindo todo mundo de passar pela dívida. Somente ambulâncias travessam para buscar serviços de saúde. Principalmente partos. Estamos à disposição para o que precisar”, esclareceu o gestor.

San Matias é um município pequeno, por isso moradores optam por buscar atendimento de saúde e fazer compras de mantimentos e outros produtos em Cáceres.

Os protestos contra o presidente eleito se espalham por todo o país e alguns registram feridos. Contudo, em San Matias a manifestação é pacífica.

Leia mais:   12 municípios indicados pelo deputado Nininho recebem novas viaturas para PM

Membros da oposição a Evo acreditam que a eleição foi fraudada e iniciaram o protesto, que se alastrou por todas as regiões e angaria cada vez mais simpatizante.

De acordo com o TSE boliviano, o partido de Evo, o MAS-IPSP, venceu as eleições com 47,08% dos votos (2.888.359, ao todo), contra 36,51% (2.240.920 votos) do partido do opositor Carlos Mesa, o CC (Comunidad Ciudadana). Os votos em branco representaram 1,47% e, os nulos, 3,57%.

Jessica Bachega / GD

Comentários Facebook

Destaque

Fortalecimento Partidário: Deputado federal adota calendário de videoconferências para manter partido unido durante pandemia

Publicado

O deputado federal e vice-presidente estadual do Solidariedade em Mato Grosso, Dr. Leonardo, adotou uma rotina de videoconferências para manter as atividades partidárias da sigla em alta sem contrariar as normas de prevenção e enfrentamento a pandemia de coronavírus. Durante o final de semana, ele fez reunião com membros do partido de cinco município diferentes da Região Sudoeste e Oeste de Mato Grosso.

“A prioridade é combater o avanço da pandemia, por isso adotamos as videoconferências para dar continuidade aos trabalhos partidários. Além de Mantermos os filiados próximos, tiramos dúvidas sobre as eleições municipais, traçamos calendário online de capacitações e continuamos a traçar metas e projetos para contribuir com os municípios. Somos o Solidariedade e em um momento como esse estamos demonstrando mais do que nunca o espírito solidário e de união”, afirmou Dr. Leonardo.

Antes do início do isolamento social, o líder do Solidariedade visitava entre três e seis municípios por final de semana para manter o projeto de participação e conexão com a base popular. E todas idas a municípios, o parlamentar também se reunião com membros do partido para traçar metas e alinhamentos. Agora, as reuniões são online.

Leia mais:   Deputado reforça pedido de viaturas para os 22 municípios da região oeste

“O partido Solidariedade segue um projeto de fortalecimento regional. Teríamos grandes eventos e capacitação in loco, agora faremos tudo online. Vamos fortalecer os laços partidários independente, da possibilidade de reunião pessoalmente. O espírito e união que faz parte dos fundamentos do Solidariedade nos favorecem neste aspecto”, afirmou Dr. Leonardo.

 

Jardel P. Arruda
Assessoria de Imprensa
Deputado Dr. Leonardo
Comentários Facebook
Continue lendo

Destaque

ALERTA: MT é o 7º em número de mortes por raio

Publicado

Mato Grosso está entre as 10 unidade federativas onde mais pessoas morrem em decorrência de descarga elétrica atmosférica (DEA). Com 126 mortes ocasionadas por raios, o Estado ocupa a 7ª colocação do ranking elaborado pelo Grupo de Eletricidade Atmosférica (Elat) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Levantamento aponta mortes registradas nas últimas décadas (2000 – 2019). Este ano, alguns casos emblemáticos foram registrados, como de um ciclista que foi atingido por um raio na cabeça, em Sinop (500 Km ao norte de Cuiabá). Devido às circunstâncias, ele sofreu uma parada cardiorrespiratória, mas sobreviveu. No mesmo município, uma semana depois, uma DEA atingiu um pasto, matando 8 cabeças de gado.

Em se tratando de âmbito estadual, dos 10 municípios com maior densidade de descargas, 8 se concentram na região sul. A

cidade de Araguainha (460 Km ao sul) lidera a lista, seguida de Alto Taquari (479 km ao sul) e Alto Araguaia (415 Km ao sul).

Questionado sobre o motivo da região sul de Mato Grosso ser a que mais recebe descargas elétricas, o físico Modesto Paiva, do Clima Tempo, explica que, provavelmente, essa região é composta por mais ambientes favoráveis a

receber as DEAs, como campos abertos, por exemplo.  “Há também o fator agropecuário, já que 26% das mortes causadas por raios ocorrem no campo”.

Leia mais:   Deputado João Batista apresenta trabalhos no combate ao coronavírus

O especialista esclarece que todos devem tomar cuidado com os raios, pois, apesar de parecem distantes da terra, podem chegar com rápida velocidade ao solo. “Eles percorrem 340 metros por segundo e a intensidade média é de 20 mil ampères, o que corresponde a mil vezes a intensidade de um chuveiro elétrico”.

Paiva ainda lembra que estudos apontam que as descargas elétricas naturais costumam ocorrer mais durante o verão e a primavera, período do ano em que as altas temperaturas e umidade do ar favorecem a formação de tempestades e raios. “Isso não significa que as descargas não ocorram durante outono e inverno, até porque temos registros de fatalidades por raios nessas estações”.

ELAYNE MENDES
Gazeta Digital

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana