conecte-se conosco


Mato Grosso

Assessores pedagógicos são capacitados para compra de produtos da alimentação escolar

Publicado

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) realizou, nesta quinta-feira (13.06), um curso de capacitação para os assessores pedagógicos de Cuiabá e Várzea Grande sobre chamada pública e pregão presencial da alimentação escolar. A formação ocorreu nas dependências do Centro de Educação de Jovens e Adultos (CEJA) Cesário Neto, no centro da capital.

Os técnicos da Coordenadoria de Alimentação Escolar (CAE) da Seduc, responsáveis pelo curso, detalharam os procedimentos do certame.

Segundo a técnica da CAE Leila Abutakka, a formação é importante porque muitos assessores iniciaram os trabalhos este ano e estão com dúvidas. Durante o curso, os técnicos explicam as duas modalidades de compra – o pregão presencial, para adquirir grandes quantidades de produtos e a chamada pública, voltada para a compra de produtos da agricultura familiar.

“Esse é o foco da nossa capacitação. Como já fizemos essa formação com os novos gestores, restavam os assessores pedagógicos, que orientam as escolas na compra de produtos da alimentação escolar”, ressalta.

Para a assessora pedagógica Maria Denise Souza Carvalho, que é representante na Câmara de Negócios da Alimentação Escolar (CNAE), os assessores pedagógicos precisam dessas informações porque são eles que tiram as dúvidas dos gestores escolares. “Precisamos de uma formação para sermos pregoeiros que é quem conduz o pregão. Com isso, ganhamos em agilidade em todo o processo”, ressalta.

Leia mais:   Filhote de onça melânica é resgatado no município de Paranaíta

Com os repasses da alimentação escolar em dia, os diretores têm uma preocupação a menos que é o pagamento dos fornecedores. Uma vez recebendo pelo produto, os fornecedores fazem a entrega dentro do prazo estipulado.

No entendimento de Leila Abutakka, os repasses em dia são fundamentais para o fornecimento da alimentação escolar. “Na hora das compras, os gestores das unidades escolares já compram e pagam. Dá mais segurança aos fornecedores”, afirma.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook

Mato Grosso

Operação fecha pontos de tráfico de drogas na Guia e prende suspeitos

Publicado

Integrantes das Polícias Civil (PJC-MT) e Militar (PM-MT) fecharam pontos de distribuição de drogas no Distrito Nossa Senhora da Guia, município de Cuiabá, na manhã desta quarta-feira (19.06). A ação faz parte da Operação Reforço Integrado na Baixada Cuiabana, desenvolvida pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT).

Foram cumpridos 12 mandados de busca e apreensão e efetuadas cinco prisões de suspeitos de envolvimento com tráfico de drogas. Os policiais também apreenderam quantias em dinheiro, drogas, armas de fogo, munições, relógios e aparelhos celulares. O objetivo da operação é reprimir crimes de tráfico de drogas, roubos e furtos que têm aumentado na região dos municípios de Chapada dos Guimarães, Barão de Melgaço, Nobres e Rosário Oeste.

Para isso, além da PJC (por meio da Derf, DRE, DHPP e Derfva) e PM (por meio do 10º BPM-1 CR e Canil do Bope), participam ainda o Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer), Corpo de Bombeiros Militar (CBM-MT), Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) e Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT).

Leia mais:   Hospital Regional de Rondonópolis retoma cirurgias de alta complexidade

De acordo com o titular da Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecentes (DRE), delegado Vitor Bruzulato, nos últimos meses houve muitos registros de roubos e furtos a chácaras na região. “São crimes patrimoniais fomentados pelo tráfico de drogas, por isso este é o foco da operação, que já conta com um balanço parcial positivo”.

O comandante do 1º Comando Regional da PM-MT, coronel PM Wankley Rodrigues, ressaltou que a operação atende aos anseios da população da região. “O planejamento visou principalmente o combate a crimes que estão diretamente relacionados ao tráfico de drogas, como roubos e furtos, e que têm sido alvos de queixas dos moradores. A ação integrada tem este viés de fazer a parte preventiva e repressiva, possibilitando as medidas necessárias imediatas, com prisões e instauração de inquéritos pela Polícia Civil”.

Vale do São Lourenço

Com o mesmo objetivo, a Sesp-MT realiza operação integrada também na região de Vale do São Lourenço, contemplando os municípios de Juscimeira, Jaciara e Dom Aquino. Já na primeira fase de levantamento de dados, a Agência Regional de Inteligência do 4º Comando Regional da PM-MT identificou ação suspeita de tráfico de drogas em Juscimeira (156 km ao Sul de Cuiabá), que resultou na prisão de uma pessoa, nesta terça-feira (18.06).

Leia mais:   Filhote de onça melânica é resgatado no município de Paranaíta

Com o suspeito, foram apreendidos aproximadamente 20 kg de substância análoga a maconha. O comandante do 5º Batalhão da PM-MT e da 14ª Cia Independente de Força Tática, tenente-coronel PM Gleber Candido Moreno, frisou que ainda vão ocorrer novas fases, no final do mês e em julho. “Esta ação é fundamental para reduzir os índices criminais de homicídios, roubos, furtos e tráfico de drogas na região e com a integração das forças, vamos conseguir resultados ainda melhores nas próximas etapas”.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Consumidores e fornecedores devem ficar atentos ao comércio de alimentos, trajes e fogos de artifício

Publicado

Para aproveitar as festas juninas e julinas, os organizadores precisam planejar cada detalhe para que não surjam problemas inesperados. Afinal, quem vai festejar não pode correr o risco de passar por alguma situação adversa, seja por conta da comida ou incidentes com fogos de artifício. Por isso, o Procon-MT reúne dicas para consumidores e organizadores ficarem atentos e não pararem o arrasta pé.

Alimentos

Os pratos típicos das festas juninas lembram as comidas da roça. Pamonha, milho cozido, quentão e paçoca são exemplos do que se esperar de um bom arraiá. Esses alimentos precisam de cuidados na preparação, armazenamento e distribuição.

Deve-se armazenar e refrigerar em ambiente limpo e organizado. O consumidor ainda deve ficar atento ao manuseio dos alimentos: quem recebe o dinheiro não deve ser a mesma pessoa que prepara e entrega o alimento, por exemplo. Além do uso de toucas, luvas e aventais.

As embalagens devem conter informações quanto à identificação do fabricante, prazo de validade, ingredientes, peso e origem. Isso vale também para alimentos pré-embalados e industrializados.

Leia mais:   Filhote de onça melânica é resgatado no município de Paranaíta

Quem deseja comprar produtos naturais ou a granel deve verificar o peso e a aparência do produto. O procedimento de pesagem deve ser feito na presença do consumidor em balanças aferidas pelo Inmetro.

Trajes Típicos

Nas festanças é comum encontrarmos pessoas vestidas à caráter: vestidos de chita, camisas xadrez coloridas, botas e chapéus. A principal dica para quem quer estar com o melhor estilo na festa junina é fazer a própria roupa. Além de exclusivo e característico, é mais barato, deixando o consumidor longe de dívidas.

Aos que vão às compras a dica é sempre pesquisar preço. Outra orientação é experimentar a peça antes de comprar, pois o Código de Defesa do Consumidor (CDC) só obriga a troca do produto em caso de defeito. Fora isso, vai depender da política de troca do estabelecimento comercial. E para garantir o direito à troca, o consumidor não pode esquecer de pedir a nota fiscal.

Fogos de Artíficio

Consumidores e organizadores devem estar sempre atentos a este item, inclusive para alertar os responsáveis em caso de alguma irregularidade.

Leia mais:   Setasc apoia conferências que discutem violência contra Pessoa Idosa em MT

Explosivos como estes só podem ser comercializados em lojas especializadas, regulamentadas para essa atividade pelo corpo de bombeiros, exército ou prefeitura. O alvará de funcionamento do estabelecimento deve estar em local visível ao consumidor. Ou seja, não compre fogos de artifício de vendedores ambulantes, pois esses produtos não são testados e oferecem risco aos usuários.

Também é preciso cuidar com o transporte, armazenagem e execução dos fogos, seguindo rigidamente o que dizem as instruções do rótulo. Essas informações devem constar na embalagem, em português, mesmo que o produto seja importado. Dê preferência aos artefatos que possuam base para encaixar os fogos, evitando que sejam segurados com as mãos.

O Procon estadual reitera que qualquer irregularidade encontrada no fornecimento de serviços e produtos que possam ir de encontro aos direitos do consumidor devem ser reclamadas ao órgão. O Procon-MT está à disposição da população para fiscalizar e apurar denúncias dos consumidores.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Entretenimento

Mais Lidas da Semana