Análise: São Paulo convence em campo, mas coça a cabeça fora dele

257
Bauza manteve o esquema e contou com a mobilidade de Cueva e Thiago Mendes no meio (Foto: GloboEsporte.com)Bauza manteve o esquema e contou com a mobilidade de Cueva e Thiago Mendes no meio-campo tricolor

A
partida estava praticamente decidida quando Ganso disputou a bola aos 42
minutos do segundo tempo. Imediatamente, o meia levou a mão à parte de trás da coxa direita. Uma cena que aterroriza os tricolores, já que há a suspeita de estiramento. Nesse caso, ele perderá a semifinal da Taça Libertadores. O primeiro jogo, contra o Atlético Nacional, da Colômbia, será na próxima quarta, no Morumbi.

Veja os detalhes da lesão de Ganso 

Este
é o cenário final de um jogo em que o São Paulo havia deixado boa impressão. O time comandado por Edgardo Bauza seguiu a programação
pré-Libertadores: para ter folga na tabela, venceu o Fluminense de forma convincente,
por 2 a 1, no Morumbi
. Era para tudo dar certo.

A
torcida estava empolgada com o ?fico? de Maicon, mas queria mesmo era ver o
desempenho do estreante Cueva. O peruano foi escalado na vaga de Ganso, que começou no banco. Apesar
das características diferentes, conseguiu dar mobilidade ao ataque são-paulino,
principalmente quando se aproximou de Michel Bastos pela esquerda.

Edgardo
Bauza manteve o mesmo esquema: 4-2-3-1. Enquanto João Schmidt era o volante
mais preso à defesa, Thiago Mendes se mandava e ajudava o Tricolor a pressionar
a saída de bola do Fluminense. Sem a bola, o São Paulo
atuava com quatro jogadores em linha, mantendo Centurion pela ponta
direita e Michel na esquerda.

Para pressionar a saída de bola do Flu, Thiago Mendes jogou mais adiantado, na linha do peruano Cueva (Foto: Reprodução)Para pressionar a saída de bola do Flu, Thiago Mendes jogou mais adiantado, na linha do peruano Cueva

A
partida, porém, começou a se desenhar antes mesmo que qualquer aposta tática
pudesse surtir efeito. A 1min46s, Cueva cobrou escanteio para o meio da área,
Centurión desviou na primeira trave e João Schmidt, livre de marcação, emendou
de primeira para abrir o placar no Morumbi (veja abaixo).

 

O
escanteio, aliás, surgiu na principal jogada do Tricolor na primeira etapa. Escalado
para retomar o ritmo de jogo, Carlinhos se apresentava bem na
esquerda, Michel Bastos se aproximava do lateral, e Cueva sempre se deslocava para
o lado em que se sentia mais à vontade.  

O
gol no começo ajudou, e o São Paulo soube como dominar o Fluminense ao longo do
primeiro tempo. As triangulações pela esquerda atraíam a marcação do
adversário, abrindo espaços. Quem aproveitou foi Thiago Mendes,
que chegava com liberdade à área carioca e levava perigo em chutes de média distância.

Segundo gol do São Paulo começa com o corte de Thiago Mendes no meio-campo, posicionado na linha de Cueva (Foto: Reprodução)Segundo gol do São Paulo começa com o corte de Thiago Mendes no meio-campo, jogando mais adiantado

Mais
adiantado, Thiago mostrou ser peça fundamental para o bom jogo do São Paulo.
Ao pressionar a saída de bola dos cariocas, roubou a bola ainda na linha do
meio-campo, entregou rapidamente para Cueva, que fez o passe a Michel Bastos na
esquerda. O meia cruzou com capricho, e Alan Kardec finalmente
desencantou (veja o segundo gol).

 

O
primeiro tempo em que até Kardec marcou (apenas o segundo gol dele em 32 jogos na temporada)
foi irretocável. Desta forma, o São Paulo voltou do vestiário sem modificações.
A proposta era a mesma, tanto que, logo aos quatro minutos, Thiago Mendes
recebeu na entrada da área e acertou o travessão de Diego Cavalieri (veja o lance).

 

A
atuação era convincente, mas houve um contratempo. Aos sete, o
árbitro Anderson Daronco viu João Schmidt tocar com a mão na bola dentro da
área. Cícero cobrou o pênalti e descontou para o Fluminense (veja o gol). O São Paulo
complicaria mais um jogo dominado?

 

Bauza
rapidamente mudou a equipe. Para dar ritmo a todos até a semifinal da
Libertadores, colocou Ganso na vaga de Michel Bastos. Desta forma, Cueva foi
deslocado para o lado, voltando à posição de origem pela qual foi contratado.

Formação no final do jogo já mostrava preocupação com o desgaste físico dos titulares do São Paulo (Foto: GloboEsporte.com)Formação no final do jogo já mostrava preocupação com o desgaste físico dos titulares do São Paulo

A substituição
não mudou a cara da partida. O Tricolor seguiu com dificuldades para chegar com
clareza ao gol de Cavalieri. Por isso o técnico argentino sacou Centurión para
a entrada de Ytalo. Aproveitou também para descansar Carlinhos, titular pela
primeira vez desde que se recuperou de lesão muscular na coxa esquerda
.

A
missão era gastar o tempo, garantir o resultado e seguir o cronograma de
Edgardo Bauza até a semifinal da Libertadores. A vitória foi conquistada, mas o
técnico argentino agora tem mais um grande problema para o duelo contra o Atlético
Nacional.  

Aos 42 minutos do segundo tempo, Paulo Henrique Ganso sentiu incômodo na coxa
esquerda e pediu para ser substituído. Como o São Paulo já havia feito as três
substituições, o meia teve que permanecer em campo até o fim. Já na saída do
gramado, questionado sobre a possível lesão, se limitou a dizer: ?Estou fora? (veja o vídeo abaixo).

 

A
vitória que poderia dar tranquilidade a Bauza para focar apenas na Libertadores
se transformou em enorme dor de cabeça. Se a meta dentro de campo foi cumprida,
o trabalho fora dele tende a ser mais árduo e mais importante nos próximos
dias. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here