conecte-se conosco


Brasileirão Série A

Análise: marcação, desfalques e falta de aproximação zeram o São Paulo

Publicado

O São Paulo, semifinalista da Libertadores, ficou no empate por 0 a 0 com o Sport, que está na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, dentro do Morumbi. Por que?

Sport marcou o São Paulo com todos os jogadores do meio-campo para trás. Diego Souza, o mais adiantado, ainda conseguiu levar perigo em contra-ataques no primeiro tempo (Foto: Arte: GloboEsporte.com)Sport marcou o São Paulo com todos os jogadores do meio-campo para trás. Diego Souza, o mais adiantado, ainda conseguiu levar perigo em contra-ataques no primeiro tempo (Foto: Arte: GloboEsporte.com)

1) Por causa do Sport

Os pernambucanos foram exemplares no sistema de marcação. O início equivocado, em que tentaram apertar a saída de bola tricolor e, com isso, deram espaço, foi logo corrigido e deu lugar à compactação de 11 jogadores no sistema defensivo.

Do goleiro a Diego Souza, que ainda se aproveitou de erros de Maicon para criar perigo no primeiro tempo.

O São Paulo não encontrou espaço entre as linhas e, quando tentou sair em velocidade, as opções eram Centurión, que continua com seu apreço por perder bolas atrás de bolas, e Luiz Araújo, mais impetuoso e objetivo do que o argentino, mas sem o entrosamento necessário para entender quais eram os melhores espaços a serem explorados.

E MAIS: São Paulo e Sport empatam sem gols em noite pouco inspirada no Morumbi

2) Por causa de Calleri

O argentino tinha mesmo que ser expulso contra o Flamengo? Sua presença faz diferença enorme no ataque do São Paulo, frágil em qualidade e quantidade. Ytalo, seu substituto, até demonstrou inteligência para sair da área e fazer tabelas, tentando criar espaços de infiltração dos homens de meio-campo, mas não teve peso, dentro da área, para assustar o Sport.

ATUAÇÕES: veja as notas dos jogadores do São Paulo

Em seu lugar entrou Alan Kardec, que ainda se parece com um irmão gêmeo daquele talentoso centroavante que tem presença de área e costuma ganhar a maioria das jogadas de corpo. Na última quinta-feira, era como se ele estivesse desaparecido, facilmente entregue à marcação.

Isso sem falar em Centurión. O argentino entrou bem, deu um chute perigoso, teve movimentos inteligentes, mas logo voltou ao normal: perdas de bola na tentativa de dribles impossíveis e passes errados. A melhor alternativa foi Luiz Araújo, jovem de 20 anos que mostrou personalidade e boa leitura de jogo, mas pecou nas finalizações.

3) Por causa do meio-campo

 

Se o São Paulo chegou à semifinal da Libertadores, um dos motivos é a participação decisiva dos volantes, especialmente nos jogos no Morumbi. João Schmidt fez gol contra o Trujillanos, Thiago Mendes sobre o Toluca, Hudson teve boa participação ofensiva… Mas diante do Sport, Schmidt e Mendes erraram demais quando se aproximaram de Paulo Henrique Ganso.

Travados, obrigaram o meia a recuar demais, afastar-se da zona onde é mais perigos. Para complicar, Ganso tentou dar sempre o último passe, mesmo quando ainda era hora de mais uma tabela para abrir espaço. Só conseguiu, efetivamente, deixar um companheiro na cara do gol, no primeiro tempo, em lindo passe para Michel Bastos (veja no vídeo acima).

Michel Bastos recebe na esquerda e ninguém se aproxima. As setas mostram o que o time teria feito com os jogadores titulares, na Libertadores: passagem do lateral, triangulação com o meio e espaços criados (Foto: Arte: GloboEsporte.com)Michel Bastos recebe na esquerda e ninguém se aproxima. As setas mostram o que o time teria feito com os jogadores titulares, na Libertadores: passagem do lateral, triangulação com o meio e espaços criados (Foto: Arte: GloboEsporte.com)

4) por causa de Mena

Como faz falta o lateral-esquerdo ao São Paulo. Não há mais aproximação pelos lados do campo como havia na Libertadores. Michel Bastos recebeu boa bola de Maicon no primeiro tempo, mas teve de encarar a marcação sozinho.

O lançamento era longo, o lateral e os volantes tinham tempo de sobra para se aproximarem. as triangulações entre Michel e Mena, e ora Ganso, ora Hudson ou João Schmidt, abriram caminho para muitos gols no torneio sul-americano.

Sem aproximação, o São Paulo dependeu de jogadas individuais, sendo que o único jogador com essas características, Kelvin, teve quase sempre um marcador e alguém na sobra, em razão da compactação do Sport na defesa.

5) por causa do azar

 

LEIA TAMBÉM: Kelvin sai do Morumbi mancando: “Nunca tinha sentido isso”

Kelvin, como dizíamos acima, teve quase sempre marcação dupla. Quando não teve, arrancou pelo meio em direção ao gol, em ótima condição para finalizar com o pé bom, o canhoto. Mas quando se aproximava da área, uma fisgada na coxa esquerda o tirou do jogo e, possivelmente, das semifinais da Libertadores, nos dias 6 e 13 de julho, contra o Atlético Nacional, da Colômbia.

Comentários Facebook

Brasileirão Série A

Em Minas, Cuiabá perde para o líder Atlético-MG e cai invencibilidade

Publicado

A Gazeta

Após 12 jogos sem derrotas fora de casa pelo Campeonato Brasileiro, o Cuiabá perdeu a longa invencibilidade que acumulava na série A para o líder Atlético-MG neste domingo (24), em Belo Horizonte, pela 28ª rodada do Brasileirão. O galo venceu por 2 a 1 e pôs fim a longa série do auriverde sem derrotas longe de casa.

O Dourado continua com 35 pontos, em décimo lugar na tabela de classificação. O Galo, por sua vez, chegou aos 59 tentos e é mais líder do que nunca.

A mil por hora, assim começou o início do jogo entre Cuiabá e Atlético-MG no Mineirão. Logo aos 2 minutos, Nathan Silva, contra, inaugurou o marcador em recuo infeliz para Everton, que viu a bola entrar lentamente no gol. Aos 4, Hulk, dentro da pequena área, deixou tudo igual após jogada ensaiada de escanteio.

O time mineiro conseguiu a virada com Jair, que completou de cabeça para as redes após assistência de Guilherme Arana.

No início da etapa final, Hulk marcou o terceiro para o Atlético, mas o gol foi anulado após a arbitragem pegar um toque de mão do atacante. Daí em diante o Atlético continuou pressionando, mas sempre parando nas defesas seguras do goleiro Walter.

À medida que o relógio foi passando, o Atlético deixou o Cuiabá mais a vontade para trabalhar com a bola e passou a contar com os contra-ataques. O Dourado martelou, porém não conseguiu criar chances claras de gol.

O próximo compromisso do Cuiabá no campeonato brasileiro é contra o Red Bull Bragantino no dia 1º de novembro, na Arena Pantanal, às 19h30 (de MT.

Comentários Facebook
Continue lendo

Brasileirão Série A

Seleção Brasileira encerra preparação para amistoso contra República Tcheca

Publicado

Programa No Mundo da Bola desta segunda-feira (25) também destacou a reta final dos principais campeonatos estaduais do país; ouça na íntegra

O programa No Mundo da Bola desta segunda-feira (25) destacou o amistoso da Seleção Brasileira com a República Tcheca. Waldir Luiz, Márcio Guedes, Bruno Mendes e toda a nossa equipe também analisaram a reta final dos principais campeonatos estaduais do país e as principais notícias do esporte nacional e internacional.

Clique no player e ouça o programa na íntegra:

No Mundo da Bola é transmitido pela Rádio Nacional do Rio de Janeiro, de segunda a sexta-feira, a partir das 17h. Para participar das transmissões, o internauta deve ligar para (21) 2117-6918 ou (21) 2117-6919.

Fale com a equipe de esportes das Rádios EBC pelo e-mail: esporte.radios@ebc.com.br.

Agencia Brasil
Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana