conecte-se conosco


Destaque

Adriano cobra mais ventiladores mecânicos para aumentar capacidade de atendimento do Hospital Regional e São Luiz

Publicado

Representante de Cáceres, junto ao governo do Estado, o presidente da Fapemat, Adriano Silva, mantém contatos com o secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, cobrando o envio de 170 ventiladores e monitores mecânicos para os hospitais Regional e São Luiz, em Cáceres. A ideia é reforçar a capacidade de atendimento dos hospitais contra o coronavirus.

A ventilação mecânica, através de ventiladores, consiste em um método de suporte para o tratamento de pessoas com insuficiência respiratória. Principal sintoma de pacientes infectados por coronavirus. Em Cáceres existem, pelo menos, três pacientes suspeitos de terem contraído o corona.

Os hospitais São Luiz e Regional dispõe de a mesma quantia de ventiladores e monitores mecânicos que de leitos. O Hospital São Luiz, de acordo com o diretor Jean Cleber Spricigo, dispõe de 148. Desse total, conforme a direção, 70 podem ser transformados em UTI,desde que receba os ventiladores mecânicos leitos.

No Hospital Regional existem 24 leitos. Sendo, 6 de UTI adulto, 10 pediatria e 8 em Box de Emergência que também funciona como leito. Em caso de “extrema necessidade” de acordo com o diretor administrativo Onair Nogueira, haveria a possibilidade de se transformar o auditório em UTI capaz de ampliar entre 20 e 25 leitos.

Leia mais:   Confirmados dois casos de coronavírus em Cáceres; casal de 79 e 82 anos

“Não queremos que essa pandemia atinja o nosso Estado a nossa população. Mas, não podemos ser pegos de surpresa. Temos que nos precaver. Estamos cobrando do governo, mais ventiladores e monitores mecânicos, assim como luvas e máscaras, para aumentar a capacidade de atendimentos dos nossos hospitais em caso de necessidade”.

Editoria – Sinézio Alcântara

Comentários Facebook

Cáceres e Região

Prefeito quer proibir venda de passagem para idosos; veja vídeo

Publicado

O prefeito de Cáceres, Francis Maris, quer que empresas de transporte intermunicipal não emitam bilhetes para idosos. Em vídeo publicado em rede social, o gestor apela aos deputados e senadores para que seja feito um decreto que suspenda a venda de passagem ao grupo de risco de contaminação pelo Covid-19.

Leia também -Pontos de ônibus estão lotados em várias regiões de Cuiabá

“Pessoas acima de 60 anos, que são grupo de risco, têm viajado muito. Principalmente de ônibus. Ficando um dia, dois dias, dentro de um ônibus” pontua na filmagem.

A aglomeração de pessoas facilita o contágio, por conta da proximidade entre os indivíduos em ambiente fechado. O vírus é carregado pelo ar e no contato com uma pessoa contaminada, tornando o ambiente propício para disseminação da doença. Os idosos são as “vítimas” mais afetadas, por conta da saúde debilitada, na maioria dos casos.

“Faço um apelo aos nossos deputados e senadores para que seja editado um decreto proibindo a venda de passagens para pessoas que tenham mais de 60 anos. Eles têm que ficar em casa. Estamos todos conscientes disso”, é o requerimento do prefeito.

Leia mais:   Devido à pandemia, TCE-MT prorroga prazo para prestação de contas anuais de governo e de gestão

Conforme decreto municipal, os estabelecimentos comerciais podem funcionar desde que cumpram as medidas de higiene recomendadas para evitar a disseminação do novo coronavírus. Eventos com aglomeração de pessoas também estão suspensos.

Vídeo

GD
Comentários Facebook
Continue lendo

Destaque

Governo e Senai fazem parceria para produção de 5 milhões de máscaras

Publicado

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana