conecte-se conosco


Cáceres e Região

Acontece neste domingo a 31ª edição do mutirão de limpeza do rio Paraguai

Publicado

Com o slogan “Rio Poluído peixe ausente, Rio Limpo peixe presente, Povo contente” acontece neste domingo, em Cáceres, a 31ª edição do mutirão de limpeza do rio Paraguai. O mutirão é uma ação coletiva da população, com a participação prefeitura, através da Secretaria de Meio Ambiente e Turismo (Sicmatur), Lanchas Araés, Marinha do Brasil, 2º Batalhão de Fronteira (2º B.Fron), Polícia Ambiental, Cruz Vermelha, além de várias entidades ambientalistas.

A proposta é alertar a população, principalmente, aos usuários do rio – pessoas que, durante o ano, pescam e tiram do rio momentos de lazer – para a questão ambiental, dedicando um dia de trabalho em defesa do rio, retirando o lixo deixado nas praias, nas margens, barrancos e nas profundezas da água.  A área delimitada para a limpeza é 70 quilômetros a baixo e 50 quilômetros acima do rio Paraguai. São esperadas, conforme os organizadores, a participação de mais de 50 embarcações de pequeno, médio e grande portes.

Embora haja grande estrutura para a coleta, a expectativa dos organizadores é de que diminua a quantidade de lixo retirado. Essa seria a forma de aferir a conscientização dos usuários do rio, sobre a preservação ambiental. No ano passado foram retirados lixos que encheram seis caminhões basculantes. A maioria garrafas de plásticos, lonas, caixas de geladeira, fogões velhos, pneus, tambores e até uma caixa d’água, além de e uma enormidade de descartes da população que utiliza o rio para desova do lixo.

Leia mais:   Governo quita segunda e última parcela do salário dos servidores nesta quinta

“Hoje, podemos dizer que, os usuários do rio estão tendo maior consciência da preservação ambiental. Os lixos pesados, como geladeiras e fogões velhos são poucos, o que existem muito é o chamado lixo volumoso, como sacolas plásticas, garrafas e galões de plásticos, geralmente, deixados por pescadores nos acampamentos. Contudo, muito nocivo, porque há estudo de que o plástico diminui o volume de oxigênio na água e isso pode causar danos às espécies” avalia Claudionor Duarte Correa, coordenador do mutirão.

Assim como nos dois últimos anos, todo lixo retirado do rio ficará em exposição nas praças da cidade. Nos anos de 2017 e 2018, os dejetos foram expostos na praça Barão do Rio Branco. Neste ano, além da Barão de Rio Branco, o lixo ficará exposto nas demais praças da cidade. A ideia, conforme o prefeito Francis Maris Cruz é chamar a atenção da população para a falta de respeito com a questão ambiental.

Além da coleta do lixo, neste ano, serão realizados trabalhos de cunho pedagógico pela Escola Adventista sobre o mutirão de limpeza e pela Secretaria de Educação com a realização de um Concurso de Redação com o objetivo de sensibilização para a preservação do Rio Paraguai. O Mutirão de Limpeza foi idealizado pelo oficial reformado da Marinha, capitão Renato Thomas. Depois de 30 anos, por questões de saúde, o criador do evento não estará presente.

Leia mais:   Mais antiga secretária da administração, Nelci é exonerada pelo prefeito: “brigava muito”

Editoria – Sinézio Alcântara

Comentários Facebook

Cáceres e Região

Prova do seletivo do Hospital Regional de Cáceres será dia 8 de dezembro

Publicado

O Diário Oficial do Estado publicou um edital com a nova data para realização do seletivo do Hospital Regional de Cáceres para o preenchimento de 325 vagas em diversas áreas. A prova será no dia 8 de dezembro. A mudança se deu por uma determinação da Justiça que acatou recurso de uma candidata que teve a inscrição indeferida.

As inscrições foram reabertas até o dia 22 e deve ser realizada presencialmente no Escritório Regional do município.

Os interessados devem procurar o Escritório Regional de Cáceres, localizado na Avenida Sete de Setembro, nº 978, bairro Cidade Alta, das 8h às 17h, em dias úteis.

As vagas ofertas são: 41 para enfermeiro, um enfermeiro auditor, 164 técnico em enfermagem, um engenheiro do trabalho, três para técnico em segurança do trabalho, 12 farmacêutico, cinco técnico de imobilização ortopédica, 13 técnico em radiologia, 10 fisioterapeuta e duas para psicólogo.

Do total de 325 vagas, 41 estão sendo ofertadas exclusivamente para Pessoas com Deficiência (PCD) nos cargos de enfermeiro (seis vagas), técnico em enfermagem (27), farmacêutico (2), técnico em radiologia (2), fisioterapeuta (2), maqueiro (1) e nutricionista (1).

Leia mais:   Governo quita segunda e última parcela do salário dos servidores nesta quinta

O processo seletivo será realizado mediante prova objetiva e análise de currículo, sendo que o resultado final será publicado e homologado no dia 6 de janeiro e divulgado no site da Imprensa Oficial do Estado de Mato Grosso.

Clique abaixo e veja o novo cronograma:
https://www.iomat.mt.gov.br/portal/visualizacoes/pdf/15721/#/p:38/e:15721?find=Hospital Por Jornal Oeste

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Mato-grossenses recebem doações de comida durante protestos na Bolívia

Publicado

À meia noite desta quarta-feira (13) encerraram os protestos na Bolívia e a vida da população começa a retornar à normalidade. O estudante de medicina Rodrigo Motta Fedatto, que mora em Santa Cruz de La Sierra, conta que houve limitação no ir e vir da comunidade, mas os casos de violência foram pontuais. Mesmo com as restrições, houve solidariedade, com distribuição gratuita de comida para os moradores.

Leia também – Vídeo mostra liberação de fronteira em Cáceres após 16 dias de bloqueio

Os protestos na Bolívia começaram em 21 de outubro, logo após a votação que elegeu Evo Morales para seu 4° mandato. A oposição alegava fraude nas urnas e exigia que ele renunciasse. Os opositores foram para as ruas e o caos se instalou em muitas cidades até esta quarta-feira (13) quando foram suspensos os protestos.

O cuiabano se mudou para a Bolívia em 2013 para estudar medicina e aguarda a realização de uma última prova para pegar o diploma. Devido aos conflitos, a avaliação foi suspensa e terá nova data marcada. Após o teste, ele deve voltar ao Brasil.

Leia mais:   Mais antiga secretária da administração, Nelci é exonerada pelo prefeito: “brigava muito”

Fedatto conta que as notícias veiculadas no Brasil tratavam os protestos de forma exagerada. Ninguém ficou sem comida, os atos de violência foram isolados o tráfego estava bloqueado para sair do país por fronteias terrestres. No entanto, quem quisesse deixar a Bolívia tinha opção por voos comerciais ou táxi aéreo.

Ele relata que em Santa Cruz, onde vive, havia pelo menos 200 pontos de distribuição de alimentos gratuitos para a população. As doações foram feitas por fazendeiros, comunidade em geral e Comitê Cívico de Santa Cruz. Havia pessoas voluntárias que preparavam refeições em lugares estratégicos da cidade e empresas que vendiam alimentos em condomínios e bairros a preços de custo (o mesmo que venderiam para o comércio).

O mesmo acontecia com revendas de água e outros alimentos. Foi registrado aumento dos preços de alguns produtos nos supermercados, mas nada exorbitante que impedisse a população de consumir.

“Os mercados abriam das 7h às 12h. Só passavam ambulâncias com pacientes que precisavam de atendimento urgente. Os hospitais estavam recebendo pacientes. Mas os bancos fecharam, poucos funcionavam, os órgãos públicos pararam, as universidades pararam. Estava tudo parado, mas no geral, aqui em Santa Cruz, não houve violência”, afirma o estudante.

Leia mais:   Câmara cria Comissão de Ética e Decoro Parlamentar; vereadores suspeitam de manobra para beneficiar acusados de esquema

O morador de Santa Cruz conta que na sexta-feira (8) a polícia se recolheu aos quarteis, para não investir contra os manifestantes, uma vez que restou comprovada a fraude nas eleições que levaram Evo Morales á presidência pela 4ª vez. “Foi comprovado que até morto votou, gente que não existia votou”, relata.

A amiga de Fedatto, Dany Tyelle Rodrigues da Costa, que é de Glória D’Oeste (312 km a oeste de Cuiabá) e mora em Santa Cruz, afirma que participou de vários protestos contra Morales e não houve conflito em nenhum deles.

“Não estavam hostilizando brasileiros, nem brigando entre si. Houve alguns casos isolados de pessoas que se desentenderam e só”, conta.

Morales renunciou no domingo (10) e a senadora Jeanine Anez assumiu a presidência do país. Ela é indicada da oposição e fica no cargo até que sejam realizadas novas eleições para escolher o presidente.

Vídeo

GD
Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Entretenimento

Mais Lidas da Semana