conecte-se conosco


Atlético-PR

À espera de reforços, Autuori defende o rodízio e cobra um Atlético-PR eficaz

Publicado

O técnico Paulo Autuori está à espera de reforços no Atlético-PR para a sequência da temporada. Ele, que já tinha destacado a necessidade de contratações para o Brasileirão e para a Copa do Brasil, admite carências, principalmente na lateral esquerda. Até por isso, ele defende o rodízio que tem sido feito no time titular. O treinador argumenta que a definição sobre poupar ou não jogadores é baseada em exames feitos no clube. O lateral-esquerdo Sidcley, o volante Otávio e o zagueiro Thiago Heleno, por exemplo, estão entre os mais desgastados – apesar disso, devem ser titulares contra o Santa Cruz, às 16h de sábado, na Arena da Baixada:

– Questão do Sidcley (lateral esquerda) é, sim, uma carência. O Otávio é
um jogador que vem trabalhando bem e vem tendo essa sequência. Na zaga, o
Thiago é um pouco diferente porque temos mais opções. (Thiago Heleno) Jogador com experiência e que tem recuperado bem de um jogo para o
outro, mesmo com alguns desconfortos. Mas estamos sempre a analisar
isso. Se acharmos que eles têm que dar continuidade é porque as análises
dão essa garantia. No mais, nós vamos continuar fazendo aquilo que
temos que fazer porque temos um grupo grande – falou o comandante rubro-negro em entrevista coletiva nesta sexta-feira, no CT do Caju.

Técnico Paulo Autuori Atlético-PR (Foto: Fernando Freire)Técnico Paulo Autuori pede um Atlético-PR eficaz contra o Santa Cruz, às 16h de sábado (Foto: Fernando Freire)

O próprio presidente do clube, Luiz Sallim Emed, já tinha comentado que a diretoria procura reforços e que a lateral esquerda é realmente a principal carência. Para a posição, o técnico Paulo Autuori conta apenas com Sidcley (o titular) e Nicolas (o reserva imediato).

Enquanto as contratação não desembarcam no CT do Caju, Paulo Autuori faz os ajustes necessários com as opções do grupo atual. Nesse cenário, ele cobra um Atlético-PR mais eficaz no momento da finalização. O time tem quatro gols marcados e nove sofridos no Brasileirão:

– Espero que, como um todo, a gente possa ser eficiente como tem sido na
maneira de jogar e eficazes na hora de finalizar. Se somarmos os jogos
do Botafogo e do Figueirense, acho que a quantidade de situação de gol
que criamos foi ótima. Isso significa algo. O importante é concretizar.
Para isso, temos que estar mais atentos, mais concentrados porque, na
hora que acontecer de a bola bater na trave e voltar para um jogador
nosso, as coisas poderão tornar-se menos difíceis – completou o técnico, que vai mexer no time para o próximo compromisso.

Para o jogo contra o Santa, o técnico Paulo Autuori promove seis mudanças em relação à derrota para o Inter, quarta-feira. Eduardo (suspenso), Cleberson (machucado), Pablo, Marcos Guilherme, Giovanny e Walter saem; Léo, Wanderson, Vinícius, Ewandro, Nikão e André Lima entram. Com isso, o provável time tem Weverton; Léo, Thiago Heleno, Wanderson (Paulo André) e Sidcley; Otávio, Deivid e Vinícius; Ewandro, Nikão e André Lima.

O Atlético-PR soma quatro pontos em cinco jogos no Brasileirão. Tem uma vitória (2 a 1
sobre o Figueirense), um empate (1 a 1 com o Atlético-MG) e três
derrotas (4 a 0 para o Palmeiras, 2 a 1 para o Botafogo e 1 a 0 para o
Internacional). Ele é o 19° colocado. Se vencer, o Furacão deve sair da
zona de rebaixamento. Caso contrário, segue entre os últimos.

Obrigação da vitória– Essa pergunta vem diariamente, né? Independente das circunstâncias, a resposta é sempre a mesma: isso aí é vulgar dentro do futebol. Se você está em cima, está pressionado a ganhar; se está no meio, da mesma maneira; se está em baixo; da mesma maneira. Então, nós temos o sentimento generalizado que as coisas tendem a acontecer. O importante, no futebol, é o seguinte: para análise de mídia e de torcida, o importante são os resultados. Dos resultados, a responsabilidade é minha e acabou. Vamos para a outra pergunta.

Correções necessárias– Em relação aos últimos três jogos que fizemos, tivemos oportunidades suficientes para ganhar. Aí temos que ser mais eficazes nas oportunidades. Elas poderiam ter nos dado vitórias. Contra o Figueirense, nos deu, mas poderia ser um placar mais elástico, o que melhoraria nosso saldo de gols. Mas o que temos que analisar são os gols e, acima de tudo, as atuações. Isso que nos dá uma certa garantida porque, em relação ao futebol, não vi qualquer diferença entre aquele que está em primeiro lugar (Inter) e nós no jogo passado. Saímos bem no jogo, tivemos chances, não fizemos, sofremos o gol da maneira que sofremos. Mas não adianta ficar falando nisso. O importante é o jogo com o Santa Cruz, no sábado. Tenho certeza que faremos um grande jogo novamente, só que com o resultado final distinto, com a vitória.

Falta eficiência– Ontem (quinta-feira) eu revi o jogo e fiquei muito satisfeito com a atuação da equipe, mais ainda do que no jogo. Tivemos muitas coisas boas, não tivemos que nos desgastar muito para defender, utilizamos bem os espaços principalmente no primeiro tempo. Tudo o que combinamos, no primeiro tempo foi feito e aconteceu. Infelizmente, não fomos felizes. Volto a frisar: no último terço do campo, que tem a ver com o último passe, com a eficácia nas finalizações. O que a gente pode fazer neste momento? Nada. É conversar porque hoje (sexta) já é véspera de jogo e é o pior dia em termos de recuperação pós-jogo, que são as 48h. Então, as coisas terão que ser feitas de maneira leve e o mais importante é conversar e conseguir manter a ideia de jogo.

Duelo com o Santa Cruz– Em relação a mim, o cuidado que temos que ter é o mesmo com todas as equipes, o mesmo respeito que temos com todas as equipes. Para isso, temos que jogar nosso melhor, trabalhar muito e bem ao longo dos 90 minutos, assim como temos que fazer em todos os jogos, independente do adversário.

Técnico Milton Mendes– O Milton, eu já conheço há muito tempo, desde o tempo de jogador. Ele esteve na Madeira na altura que eu estava (em Portugal). Ele jogava no União da Madeira, e eu trabalhava no Marítimo. Depois, o reencontrei já como auxiliar técnico no Qatar e, lá, pelo tempo que nos conhecíamos de Portugal, convivemos bastante porque o conheço há muito tempo.

Técnico Milton Mendes 2– Ele tem dado sinais de que pode construir uma bela carreira, e espero que sim. O futebol precisa de gente nova, e não tenho dúvida de que poderá fazer aquilo tudo de forma contínua, como tem feito. Que saia do sucesso e adquira o prestígio. Ele tem todas as condições para isso como tem mostrado até o momento.

André Lima x WalterO André é um jogador que tem feito bem o papel dele, tem feito gols e tem trabalhado para a equipe, assim como o Walter também. Essa é a disputa sadia, ganha a equipe. Espero que, como um todo, a gente possa ser eficiente como tem sido na maneira de jogar e eficazes na hora de finalizar. Se somarmos os jogos do Botafogo e do Figueirense, acho que a quantidade de situação de gol que criamos foi ótima. Isso significa algo. O importante é concretizar. Para isso, temos que estar mais atentos, mais concentrados porque, na hora que acontecer de a bola bater na trave e voltar para um jogador nosso, as coisas poderão tornar-se menos difíceis.

Reforços e carências– Questão do Sidcley (lateral esquerda) é, sim, uma carência. O Otávio é
um jogador que vem trabalhando bem e vem tendo essa sequência. Na zaga, o
Thiago é um pouco diferente porque temos mais opções. Volto a frisar:
jogador com experiência e que tem recuperado bem de um jogo para o
outro, mesmo com alguns desconfortos. Mas estamos sempre a analisar
isso. Se acharmos que eles têm que dar continuidade é porque as análises
dão essa garantia. No mais, nós vamos continuar fazendo aquilo que
temos que fazer porque temos um grupo grande.

Pecando no ataque– Futebol se faz com análise. Nós temos uma visão que não é igual à de mídia e de torcida. Você analisa futebol por resultados. Isso, para mim, é muito simples. Em relação aos pontos positivos, acho que a gente tem se comportado bem nos jogos, mas isso não funciona se a gente não concretizar isso em gols que te levem às vitórias. Aí nós temos pecado, no último terço do campo, no terço final. Tirando o jogo contra o Palmeiras, em que sofremos quatro gols, nos outros jogos não sofremos quase nada. Acho que temos jogado. Saímos do Beira-Rio ouvindo dos próprios rivais que a equipe se comportou bem, e eu também concordo. Infelizmente, não conseguimos transformar aquilo, principalmente no primeiro tempo.

Próximo adversário: Santa Cruz
Local: Arena da Baixada, em Curitiba
Data e horário: sábado, 16h (horário de Brasília)
Escalação provável: Weverton; Léo, Thiago Heleno, Wanderson (Paulo André) e Sidcley; Otávio, Deivid e Vinícius; Ewandro, Nikão e André Lima
Desfalques: Eduardo (suspenso) e Cleberson (fratura no nariz e no maxilar)
Arbitragem: Wagner Reway (MT) apita a partida, com Eduardo Gonçalves da Cruz (MS) e Fábio Rodrigo Rubinho (MT) nas bandeiras
Tempo real: a partir das 15h de sábado, no GloboEsporte.com
Transmissão: Premiere FC

Fonte: Globo Esporte

Comentários Facebook

Atlético-PR

Depois de rodada polêmica, Autuori elogia arbitragem em jogo tranquilo

Publicado

Em meio a tantos ataques em relação à arbitragem no Campeonato Brasileiro, a categoria do apito ganhou elogios do técnico Paulo Autuori, depois da derrota do Atlético-PR por 1 a 0 para o América-MG. Na Arena Independência, a facilidade da disputa não minimizou os comentários positivos do treinador sobre o paulista Luiz Flávio de Oliveira. 

Luiz Flávio de Oliveira ilha do retiro (Foto: Aldo)Luiz Flávio de Oliveira recebeu elogios nominais do técnico Paulo Autuori (Foto: Aldo)

? Não poderia sair daqui sem fazer um elogio ao árbitro. Quando se fala tanto de arbitragem. do Luiz Flávio, era assim com o Paulo César, irmão dele, também. Não posso deixar de realçar aqui a qualidade, a categoria e a sobriedade dele. Em um momento de muitos problemas, ter um árbitro desse, para nós profissionais, quando entramos em campo, ter uma figura como o Luiz Flávio nos dá total garantia de que vai ser um jogo tranquilo em relação às decisões que um trio de arbitragem tem que ter. Parabéns a ele.

Ao contrário de pelo menos quatro partidas da 32ª rodada do campeonato, o jogo do Furacão com o time mineiro deu pouco trabalho para o árbitro. Foram apenas 14 faltas ? a partida menos faltosa dentre todas as disputadas nesta fase. Em toda a rodada, a média foi de 29,5 faltas por confronto. Nenhum cartão foi aplicado. 

Na rodada, a questão da arbitragem foi central em pelo menos quatro confrontos. Em Curitiba, o rival Coritiba reclamou do critério para expulsão do atacante Kleber contra o Fluminense, em um lance supostamente desmedido. No Maracanã, no empate em 2 a 2 entre Flamengo e Corinthians, o atacante Paulo Guerrero marcou um gol em posição de impedimento. Na partida entre Palmeiras e Sport, em São Paulo, o time visitante reclamou de um pênalti não marcado. A briga entre Edílson e Rodrigo Dourado, no clássico Grenal, também colocou a arbitragem em discussão.  

Tranquilo em campo, ruim para a tabela do Furacão. A derrota deixou o time na sétima colocação, com 48 pontos. O próximo confronto é no sábado, contra o Cruzeiro, na Arena da Baixada. A partida está marcada para às 16h30 (horário de Brasília). 

Confira mais notícias do esporte paranaense no globoesporte.com/parana


Comentários Facebook
Continue lendo

Atlético-PR

De volta ao time, Nikão diz não saber motivos de atuações ruins fora de casa

Publicado

 

A derrota por 1 a 0 para o América-MG, na Arena Independência, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro, foi a oitava seguida do Atlético-PR fora de casa. O time está o mesmo tempo sem balançar as redes como visitante. O meia Nikão, que retornou ao elenco em Belo Horizonte, depois de três meses de recuperação, criticou o retrospecto, mas disse não saber o que precisa ser feito para motivar o time longe de seus domínios. (confira acima o vídeo dos melhores momentos)

? Se eu soubesse como, a gente já tinha resolvido. É uma situação que não dá para falar que é A ou B. Os nossos números são tão bons dentro de casa que a gente continua brigando pelo G-6, mesmo perdendo tanto fora de casa. Temos que procurar um jeito de vencer. O time está tentando de todas as maneiras. Tem dias que as coisas não acontecem. E é justamente fora de casa que são os momentos que as coisas não estão acontecendo. A gente tá procurando uma explicação para poder vencer. Temos que procurar um jeito de somar pontos. Se a gente quer brigar pelo G-6, temos que somar pontos fora de casa ? decretou o jogador. 

américa-mg x atlético-pr brasileiro (Foto: Marco Oliveira/Atlético-PR)Atlético-PR quase não atacou durante o jogo contra o América-MG (Foto: Marco Oliveira/Atlético-PR)

Pelo Brasileiro, a última vez que o Furacão venceu sem mandar a partida foi contra o Cruzeiro, no Mineirão. Na 14ª rodada, o Atlético fez 3 a 0 no time mineiro. Foi também a última vez que a equipe fez gols fora de casa. Para Nikão, o desempenho reflete na tabela, mas não afeta os jogadores de forma negativa.

? Em números, se for pensar, afeta sim. Mas a gente, como jogador, não. A gente está procurando jogar, procurando vencer. A gente jogou na Vila o último jogo e vencemos. Em casa, estamos há muitos jogos sem perder. Só que fora a gente não está conseguindo ganhar, fazer gols e repetir as atuações que a gente tem tido dentro de casa quando jogamos fora ? avaliou. 

Esse assunto já está ficando repetitivo. A equipe veio com propósito de jogo, mas isso não nos levou a concluir gols. 

Lucas Fernandes, meia do Atlético-PR

 Titular da partida, o meia Lucas Fernandes ficou em campo até os 10 minutos do segundo tempo, antes de dar lugar para Giovanny. De acordo com o jogador, o erro do Atlético-PR em Belo Horizonte foi não cumprir o que havia sido proposto. Para a sequência, Lucas Fernandes aponta uma solução. 

? Complicado falar, porque esse assunto já está ficando repetitivo. A equipe veio com propósito de jogo, mas isso não nos levou a concluir gols. Tem que levantar a cabeça. Contávamos com essa vitória pelo trabalho que vínhamos fazendo. Nossa equipe controlou o jogo. Infelizmente, não conseguimos concluir a gol. Quando isso não acontece, a gente tem que lamentar e continuar trabalhando ? disse o meia. 

Na sétima colocação, a derrota deixou o Furacão fora do G-6, com 48 pontos na tabela. O próximo confronto é no sábado, contra o Cruzeiro, na Arena da Baixada. A partida está marcada para 16h30 (horário de Brasília). 

Confira mais notícias do esporte paranaense no globoesporte.com/parana


Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana