conecte-se conosco


Destaque

17 mil fazem vestibular neste domingo na Unemat

Publicado

Mais de 17 mil candidatos realizarão neste domingo (09.06) a prova do Concurso Vestibular 2019/2 da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), para ingresso no segundo semestre deste ano. Esta edição oferta 3.020 vagas em 72 cursos, distribuídos em 16 municípios do Estado.

As provas serão realizadas em 18 cidades: Água Boa, Alta Floresta, Alto Araguaia, Barra do Bugres, Brasnorte, Cáceres, Campos de Júlio, Colíder, Comodoro, Cuiabá, Diamantino, Juara, Nova Mutum, Nova Xavantina, Pontes e Lacerda, Rondonópolis, Sinop e Tangará da Serra.

Os portões dos estabelecimentos onde serão aplicadas as provas serão fechados, impreterivelmente, às 08h (horário de Cuiabá). Não será permitido o ingresso de candidatos ao local de realização das provas após esse horário.

Após o início das provas, o candidato deverá obrigatoriamente permanecer na sala por no mínimo duas horas.

O que levar

No domingo (09.06), o candidato deverá comparecer ao seu local de realização da prova com antecedência mínima de uma hora em relação ao horário de início, munido somente de documento de identidade original e caneta esferográfica de tinta azul ou preta, não porosa, fabricada em material transparente.

O que NÃO levar

Não será permitida a entrada de candidato no estabelecimento de aplicação de provas alcoolizado ou portando arma.

Os candidatos também não poderão portar:

– Livros, códigos, impressos ou qualquer outra fonte de consulta.

– Óculos escuros.

– Lápis, lapiseira, marca-texto, borracha.

– Quaisquer acessórios de chapelaria, como chapéu, boné, gorro, etc.

– Dispositivos eletrônicos, como calculadora, agenda eletrônica, telefone celular, smartphone, tablet, iPod, gravador, pen drive, aparelho MP3, notebook, máquina fotográfica, relógio, alarmes de qualquer espécie, fone de ouvido.

Leia mais:   ALERTA: MT é o 7º em número de mortes por raio

Antes de entrar na sala de provas, o candidato deverá guardar o telefone celular ou quaisquer outros equipamentos eletrônicos, desligados em uma embalagem fornecida pela equipe de aplicação. A embalagem deverá ser depositada embaixo da carteira, não podendo ser manipulada durante toda a aplicação das provas, sob pena eliminação do candidato. É aconselhável que o candidato retire a bateria do celular, garantindo que nenhum som seja emitido. A embalagem somente poderá ser aberta fora do estabelecimento de aplicação de provas, na rua.

O que NÃO FAZER

Será eliminado do Concurso Vestibular o candidato que, durante a realização das provas:

– Chegar ao local de prova após o fechamento dos portões.

– For surpreendido em comunicação verbal, por escrito ou por qualquer outra forma, com outro candidato ou qualquer outra pessoa, dando ou recebendo auxílio para a execução das provas.

– For surpreendido alcoolizado ou portando arma.

– For surpreendido portando aparelhos eletrônicos ou outros objetos proibidos listados no Edital.

– for surpreendido portando caneta fabricada fora do padrão especificado no Edital.

– Tiver seu telefone celular, relógio ou aparelho eletrônico emitindo sons e ruídos.

– Fizer, em qualquer documento, declaração falsa ou inexata.

– Faltar com o devido respeito para com qualquer membro da equipe de aplicação das provas, com as autoridades presentes ou com os demais candidatos.

– Perturbar, de qualquer modo, a ordem dos trabalhos e a tranquilidade necessária à realização das provas.

– Ausentar-se da sala de prova sem justificativa ou sem autorização.

Leia mais:   Após intensas mobilizações ADUNEMAT emplaca no STF data do julgamento para a ADI 6275

– Não entregar o material das provas ao término do tempo destinado para a sua realização.

– Recusar-se a ser submetido ao detector de metal.

– Não assinar os Cartões de Respostas.

Documentos de identidade

Serão considerados documentos de identidade a Carteira de Identidade de Registro Geral (RG), passaporte brasileiro, Certificado de Reservista, carteiras funcionais do Ministério Público, Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS), Carteira Nacional de Habilitação (CNH) com foto ou carteiras expedidas por Comandos Militares, Secretarias de Segurança Pública, Institutos de Identificação, Corpos de Bombeiros Militares, Forças Armadas, Polícia Militar, Polícia Federal, órgãos fiscalizadores de exercício profissional ou pelo Ministério da Justiça para estrangeiros.

Não será permitido o ingresso de candidatos na sala de aplicação de prova que não forem identificados por um dos documentos oficiais de identidade disposto no Edital.

Mais informações sobre os documentos de identidade podem ser obtidas no Item 17 do Edital, que pode ser acessado clicando aqui.

Cotas

A Unemat adota sistema de ações afirmativas: todos os cursos oferecidos destinam 30% das vagas para estudantes oriundos de escolas públicas, e reservam 25% para candidatos pretos e 5% para candidatos indígenas. As vagas restantes (40%) são para ampla concorrência.

Resultado final

O resultado final será divulgado a partir do dia 26 de julho. O período letivo terá início no dia 5 de agosto, exceto o curso de Medicina está previsto para dia 7 de outubro.

Todas as informações sobre as etapas do Vestibular e seus editais podem ser acessadas em: http://vestibular.unemat.br/

Comentários Facebook

Destaque

Prefeito distribui cloroquina nas unidades de saúde, em Cáceres, para tratamento do Covid-19

Publicado

Editoria – Sinézio Alcântara

Vários pacientes com casos confirmados e suspeitos de contaminação pelo novo coronavirus, em Cáceres, já podem ser tratados com Cloroquina. A prefeitura, através da Secretaria de Saúde, está distribuindo o medicamento nas unidades de saúde do município. A informação foi dada pelo prefeito Francis Maris Cruz.

“A Cloroquina já está disponível nas unidades de saúde da rede municipal. Porém, só é fornecida ao paciente do SUS que estiver prescrição médica para o medicamento” garantiu o prefeito. Atualmente, em Cáceres, conforme a SES, existem 21 casos confirmados e, dezenas de outros suspeitos de contaminação pelo Covid-19. Seis pessoas já morreram.

O prefeito revelou que, em razão de vários pedidos, principalmente, de familiares de pessoas com suspeita de contaminação pela doença, a administração teve que emprestar o medicamento de um hospital local. “Diante da demora do nosso pedido, resolvemos tomar emprestado. Tínhamos que atender as famílias que nos recomendam”.

Polêmica

O uso da cloroquina para tratamento do Covid-19 é bastante polêmico. Um grupo de profissionais da saúde assegura que não há eficácia, para a doença. E, que são grandes os efeitos colaterais. Por outro lado, a maioria da população defende o tratamento com a droga. Acredita que, a questão é política, levando em conta que, o presidente Jair Bolsonaro é um defensor do uso da cloroquina.

Leia mais:   Taxa de desemprego sobe para 8,5% em MT

Francis é um dos prefeitos do Estado a incentivar o tratamento do novo coronavirus com o medicamento. No entanto, antes de fornecer as unidades de saúde, ele se reuniu com a equipe médica do município para avaliar em que circunstâncias os pacientes poderão fazer uso do medicamento, levando em conta que,  alguns defendem o uso da droga no início da doença, outros somente, em casos mais graves.

Um dos principais defensores do medicamento, o presidente Jair Bolsonaro, divulgou neste mês orientações para médicos que tratam pacientes com a covid-19, reconhecendo a possibilidade de riscos colaterais graves e admitindo que não possui respaldo técnico sobre a utilidade da cloroquina. O documento assinado pelo Ministério da Saúde, afirma que a droga pode ser receitada até no caso de sintomas leves da doença.

Para isso, entretanto, o paciente precisa assinar um termo de consentimento em que afirma expressamente que ele sabe que não há estudos conclusivos de que a cloroquina melhoraria seu quadro de saúde e conhece os inúmeros efeitos colaterais que o medicamento pode causar, como problemas cardíacos, disfunção do fígado e problemas de visão. Logo, só terão acesso as medicações somente quem obtiver a prescrição médica.

Comentários Facebook
Continue lendo

Destaque

Pontes e Lacerda: PF realiza operação contra garimpo ilegal em terra indígena

Publicado

A Polícia Federal (PF) realiza nesta quinta-feira (28) a operação Alfeu em Mato Grosso, para o combate ao desmatamento e garimpo ilegal na região de Pontes e Lacerda (448 km a oeste da Capital), em uma terra indígena. São cumpridos 6 mandados de prisão e 7 de busca e apreensão.

A operação tem o objetivo de apurar associação criminosa voltada ao desmatamento e garimpo ilegal no Rio Sararé. A área está localizada na Terra Indígena Sararé, onde as investigações apontam a ocorrência de graves danos ambientais ao rio e à vegetação ciliar.

Leia também – Foragida da Justiça por envolvimento com Novo Cangaço é presa pela Polícia Civil

Os levantamentos indicam que as degradações aumentaram intensamente durante a pandemia da covid-19, com a crença dos criminosos de que os agentes públicos não atuariam para combater o crime na região.

A Operação Alfeu faz parte da ação nacional Verde Brasil 2 e conta com a participação de 200 agentes públicos federais, entre eles, policiais federais, militares, agentes da Fundação Nacional do Índio (Funai) e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). O nome da operação é uma referência ao deus do rio na mitologia grega. (Com informações da assessoria)

GD

Leia mais:   Crise para uns, oportunidade para outros: Distribuidora de equipamentos de segurança eletrônica investe em adaptação inovadora para manter suas vendas ativas mesmo diante da pandemia
Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana